CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 08 a 14-06-2024

Chuvas e enchentes continuam afetando a piscicultura e pesca gaúchas

A Emater/RS-Ascar, destaca os impactos adversos das fortes chuvas e enchentes na piscicultura, acarretando transbordamento e rompimento de açudes, perdas de espécies e suspensão das atividades de despesca em várias áreas do estado, além de problemas sanitários em peixes estocados. Atividades de despesca foram paralisadas em muitas regiões. A situação se agrava na pesca artesanal na região de Porto Alegre, especialmente para os pescados de água salgada, como camarão, devido às enchentes que atingiram várias localidades. Os pescados de água doce também sofrem com a incerteza, já que informações sobre os danos ainda são escassas. Em Rio Grande, apesar de alguma captura de camarão na Lagoa dos Patos, ela é insuficiente para a comercialização, preocupando as famílias das ilhas. Na Lagoa Mirim, a captura de traíra e viola foi registrada, porém os níveis elevados de água dificultam a pesca, com poucos peixes sendo relatados. Em Pelotas, os pescadores estão limitados à captura de tainha, enquanto o camarão permanece fora de alcance. Comunidades pesqueiras como Colônia Z3 e Pontal da Barra enfrentam deslocamentos devido a alagamentos.

Leilão para compra de arroz importado é anulado

A Conab anulou o edital do leilão realizado na última semana para a compra de arroz importado após suspeita de irregularidades que passará por uma revisão. O episódio levou também à saída do secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller. De acordo com nota emitida pela estatal, os mecanismos para a realização de leilão serão revistos, com apoio da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Controladoria-Geral da União (CGU) para assegurar que as empresas participantes tenham a solidez que uma operação deste porte exige. O resultado do leilão vinha sendo questionado pelo setor produtivo e pela bancada do agro no Congresso Nacional. Com o leilão realizado, foram colocadas sob suspeição as empresas que arremataram os lotes, que não teriam capital social compatível ao volume importado, além de ter atividades sem nenhuma relação com o mercado de cereais. As compras não chegaram a ser efetivadas e o dinheiro não saiu dos cofres públicos. A Polícia Federal analisará todo o processo e vai investigar se houve fraude no leilão. As medidas têm como objetivo garantir toda a transparência no processo, bem como prestar contas e dar a tranquilidade à sociedade brasileira. Um novo leilão será realizado daqui a 10 dias.

O baru do cerrado mineiro que conquistou Dubai
O baru do cerrado mineiro que conquistou Dubai

Dubai é novo mercado da castanha de baru do cerrado mineiro

A castanha de baru produzida no cerrado de Minas Gerais chegou a Dubai. O primeiro embarque destinou ao país dos Emirados Árabes Unidos duas toneladas do produto. Conforme a Cooperativa Regional de Base na Agricultura Familiar e Extrativismo (Copabase), com sede em Arinos, no noroeste do estado, a negociação é importante pela oportunidade de abertura de novos mercados e também pela geração de renda. A cooperativa já exporta a castanha de baru para os Estados Unidos e comercializa no mercado interno. Entre os parceiros, está o Carrefour.

Quase mil queijos canastra falsificados são apreendidos em SP

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu quase uma tonelada de queijo canastra falsificado na Rodovia Transbrasiliana (BR-153), em São José do Rio Preto, SP. A operação ocorreu após a identificação de irregularidades durante uma inspeção de rotina. Os agentes da polícia verificaram que os queijos não eram produzidos na Serra da Canastra e que a empresa responsável pelo transporte não tinha autorização para comercializar os produtos. Além disso, os 920 queijos transportados não possuíam a numeração do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e apresentavam selos falsificados nas embalagens. Os queijos estavam armazenados de forma inadequada, com presença de moscas, forte odor e material de uso pessoal misturado à carga, levantando suspeitas de fraude e risco à saúde pública. O caminhão foi apreendido e levado à base da PRF. A Vigilância Sanitária assumiu a carga para proceder com o descarte adequado. O caminhoneiro foi detido, ouvido pelas autoridades e posteriormente liberado.

Número de cervejarias cresceu 6,8% em 2023

Chegou a 1.847 o número de estabelecimentos produtores de cerveja registrados no Brasil em 2023, um crescimento de 6,8% em relação ao ano anterior – ou 118 cervejarias novas. Os dados estão no Anuário da Cerveja do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). São Paulo continua na liderança como o estado com maior número de cervejarias, com a marca de 410 estabelecimentos registrados, seguido do Rio Grande do Sul (335), de Minas Gerais (235), Santa Catarina (225) e do Paraná 171. Considerando as regiões, o Sudeste tem o maior número de produtores de cerveja – 856 estabelecimentos registrados, seguido do Sul (731), Nordeste (122), Centro-Oeste (96), e Norte (42). Já em relação aos municípios, a capital paulista é a cidade com mais cervejarias registradas – 61. Em seguida, vêm Porto Alegre (43), Curitiba (26), Caxias do Sul (RS) (23), Nova Lima (MG) (22) e Belo Horizonte (21). O anuário mostra ainda que, em 771 municípios brasileiros, há pelo menos uma cervejaria, o que representa um aumento de 6,8% em comparação ao número registrado em 2022 (722).

Terra agricultável paranaense - Foto: Roberto Dziura Jr/AEN
Terra agricultável paranaense – Foto: Roberto Dziura Jr/AEN

Terra nua do Paraná é a mais cara do país

A Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) reivindicou ao Congresso Nacional a derrubada da Medida Provisória nº 1227, de 2024, do governo federal, que delega às prefeituras de cada município a palavra final sobre questões envolvendo o Imposto Territorial Rural (ITR). Na visão da Federação, a medida causa falta de uniformidade na aplicação das normas relativas ao ITR, reduzindo a chance de sucesso nas discussões administrativas, além de aumentar a burocracia e ameaçar a competitividade do agro. O valor de terra nua do Paraná é o mais caro do país e o problema acontece desde 2019, quando a instrução normativa publicada pela Receita Federal alterou as regras para o cálculo do imposto sobre a propriedade territorial rural. O regulamento modificou a forma de prestação de informações sobre o valor de terra nua, pelos municípios, que aderiram ao convênio e assumiram a responsabilidade pela cobrança do imposto, ficando com 100% da arrecadação. Muitos produtores rural estão reclamando que estão sendo notificados e cobrados pela Receita Federal do ITR, acima do que o devido. Atualmente 231 prefeituras paranaenses possuem convênio vigente com a Receita Federal para a cobrança do ITR, e conforme a legislação, os valores de VTN (Valor de Terra Nua) devem ser definidos mediante levantamento técnico realizado por profissional legalmente habilitado, vinculado ao Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CREA) e aos correspondentes conselhos regionais, e contratado pela prefeitura, o procedimento garante rigor e caráter técnico ao levantamento.

Prorrogação da DAP/Pronaf beneficia agricultores familiares

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) recebeu com entusiasmo a notícia da prorrogação das Declarações de Aptidão ao Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP/Pronaf) por nove meses. Essa medida, anunciada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), visa garantir o acesso contínuo dos agricultores familiares às políticas públicas, assim como às formas associativas da agricultura familiar, durante o período de transição da DAP para o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF).

Quebra de 67% na produção do azeite no RS agrava cenário do produto

O Rio Grande do Sul, que lidera o ranking nacional de produção de azeite, sofreu uma forte quebra de safra em 2023/24, com a fabricação de apenas 193,5 mil litros. O volume caiu 67% se comparado com a temporada anterior, e ainda representa uma queda de 73% em relação à expectativa inicial do Programa Estadual de Desenvolvimento da Olivicultura (Pró-Oliva). O excesso de chuvas, desde a floração até a colheita, foi o principal motivo da quebra na produção dos olivais. A umidade também aumentou a quantidade de fungos no solo e nas plantas, assim como gerou lixiviação, ou seja, a retirada de nutrientes do solo. A recuperação das áreas levará vários anos, o que deverá aumentar ainda mais a importação de azeites pelo Brasil, em um cenário em que os grandes produtores internacionais também estão sofrendo com problemas climáticos em seus olivais.

A broca Anarsia lineatella detectada pelo Vigiagro; A mariposa (inseto adulto); A broca ou lagarta em detalhe
A broca Anarsia lineatella detectada pelo Vigiagro; A mariposa
(inseto adulto); A broca ou lagarta em detalhe

Mapa intercepta praga quarentenária em importação de pêssegos

Uma carga com 576 Kg de pêssegos importados dos Estados Unidos foi barrada pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. O laudo com o resultado do exame laboratorial foi recebido pelos auditores fiscais com o alerta de Praga Quarentenária Ausente (PQA), de acordo com a atual lista publicada na Portaria SDA/MAPA nº 617, de 12 de julho de 2022. Os pêssegos chegaram ao aeroporto e Ao analisar o material, o Vigiagro constatou a presença da lagarta, mas foi preciso enviar para análise laboratorial visando a identificação precisa da espécie. O exame foi feito pelo laboratório de diagnóstico fitossanitário Agronômica, de Porto Alegre, que indicou a praga Anarsia lineatella, um tipo de broca da ordem Lepidoptera e ausente no Brasil. Ainda não se sabe os riscos que esse inseto poderia provocar ao país, pois sempre que uma praga inexistente entra no país as consequências da introdução na fruticultura nacional são imprevisíveis. As frutas importadas seriam distribuídas para pontos de venda. A carga agora passará por uma fumigação, tipo de tratamento químico para mitigar os riscos de escape e introdução da praga, em seguida, será encaminhada para destruição por incineração.

São Paulo regulamenta cadeia produtiva de cogumelos

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) de São Paulo regulamentou a cadeia produtiva da fungicultura paulista. São Paulo é responsável por 80% da produção nacional de fungos e cogumelos e, até hoje, não possuía nenhuma regulamentação no setor. Com este marco regulatório, o estado se coloca na dianteira no setor. Espera-se que a medida reverbere em outros estados e no âmbito federal, para que o setor seja contemplado com a segurança jurídica que merece. A medida, além de classificar e agrupar os diferentes tipos de produtos da cadeia, possibilita que diversos instrumentos governamentais favoreçam os produtores paulistas de cogumelos. O texto foi formulado pela SAA em parceria com a Associação dos Produtores e Distribuidores de Hortifrúti do Estado de São Paulo (APHORTESP) através da Câmara Setorial de Fungos e Cogumelos e da Associação Nacional dos Produtores de Cogumelos (ANPC).

Fundador do MST afirma que governo federal não avançou na reforma agrária

João Pedro Stedile, fundador do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra), criticou a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação à reforma agrária. Stedile lamentou a inércia do governo, afirmando que “não está fazendo nada na reforma agrária”. Ele destacou que, após um ano e meio de mandato, não houve avanços significativos em questões como desapropriação de terras e crédito para assentados. Além disso, criticou a estagnação do Pronera (Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária), chamando-o de essencial para garantir o acesso dos jovens camponeses à universidade. O MST, que apoiou Lula nas eleições de 2022, agora avalia a política de democratização de terra do governo federal com uma nota baixa. Após quatorze meses do início do terceiro mandato de Lula, o líder do movimento concedeu um três, à política de democratização de terras, numa escala de 0 a 10. Apesar das críticas, Stedile afirmou que continuará a apoiar o presidente contra seus adversários políticos que incluem multinacionais, o capital financeiro e os latifundiários, expressando sua insatisfação geral com o governo e afirmando que este não corresponde às expectativas da classe trabalhadora.

Consagração da vaca girolando Fanny FIV Kingboy 131 FGS Sapucaia

Vaca girolando é a nova recordista de produção de leite

O 33º Torneio Leiteiro da Megaleite 2024, considerada a maior exposição de pecuária leiteira da América Latina, terminou com o registro de dois recordes nacionais. A vaca Fanny FIV Kingboy 131 FGS Sapucaia, produziu no total 306,960 kg/leite, com média de 102,320 kg/leite se a tornando nova recordista nacional de produção de leite. Com essa produção, ela quebra um recorde que foi estabelecido em 2015, na Exposição de Araxá/MG, que era a média de 99,340 kg/leite. Fanny, de propriedade do expositor Fernando Gonçalves dos Santos, sagrou-se Grande Campeã de Produção Absoluta do Torneio Leiteiro de Girolando.