CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 01 a 07-06-2024

Mapa institui Programa Emergencial de Reconstrução do agro do RS

O Ministério da Agricultura instituiu nesta nesta semana o Programa Emergencial de Reconstrução do Agronegócio do Rio Grande do Sul (PerSul), conforme Portaria MAPA nº 683, de 28 de maio de 2024 publicada no Diário Oficial da União (DOU). O programa tem o objetivo de auxiliar no restabelecimento das atividades agropecuárias. O PerSul terá validade até 31 de dezembro deste ano. As ações do programa serão lideradas pelo gabinete itinerante do Ministério da Agricultura no estado e vai transitar entre os municípios afetados pelas fortes enchentes. O programa terá dez eixos de atuação: estradas vicinais; defesa agropecuária; assistência técnica e extensão rural; insumos agropecuários; financiamento ao setor agropecuário; seguro rural; monitoramento e comercialização de safra; reparação de instalações físicas do Ministério da Agricultura; estratégia de comunicação e integração institucional; e transparência e controle social. Além das secretarias da pasta, a Embrapa também estará envolvida na coordenação do PerSul.

Cerca de 280 bubalinos podem ter se perdido na enchente no RS

Com a tragédia das chuvas e enxurradas fechando um mês no RS, a Associação Gaúcha de Criadores de Búfalos (Ascribu), acredita que resgatou 15% de um rebanho que se perdeu nas águas. Só na Ilha do Lages, do arquipélago de Porto Alegre, havia 400 cabeças e conseguiu-se retirar metade disso. Os demais foram levados pelas águas. Foram resgatados animais próximo ao aeroporto, na Freeway, em Canoas, no Barra Shopping, no Centro de Treinamento do Grêmio, na Arena, no Beira Rio e no Gasômetro. Os resgatistas encontraram búfalos por tudo e aos pouquinhos ainda estão reunindo animais.

Indústria de tratores

Nova lei para indústria deve gerar R$ 20 bi em investimentos

Sancionada esta semana, a nova Lei nº 14.871, de 28 de maio de 2024 para a modernização do parque industrial do país, também conhecida como lei para a depreciação acelerada, deverá alavancar investimentos de R$ 20 bilhões, estima a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Essa é uma demanda antiga do setor para dar competitividade para quem investe, abatendo Imposto de Renda e antecipando a restituição. De alguma forma se garante fluxo de caixa para as empresas, e isso é bastante positivo devendo influenciar nas decisões de investimentos. O programa destinará, inicialmente, R$ 3,4 bilhões em créditos financeiros para a compra de máquinas, equipamentos, aparelhos e instrumentos novos.

Governo federal já destinou R$ 62,5 bilhões ao RS

Para a vida retomar no Rio Grande do Sul, o Governo Federal estima ter destinado R$ 62,50 bilhões para o estado. Na agropecuária, a prioridade é organizar os débitos dos produtores rurais, tanto que a primeira medida foi o pedido ao Banco Central de suspensão das dívidas contraídas no crédito agrícola até o fim da primeira quinzena de agosto. Como resposta à tragédia, o governo concedeu subvenção na ordem de R$ 1 bilhão como desconto nos juros em empréstimos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural. Assim, agricultores familiares podem acessar recursos a juro zero em até 120 meses de financiamento e médios produtores, com taxa de 4% ao ano, com até 96 meses para pagar. Ambos com 36 meses de carência. O crédito emergencial varia de acordo a situação de cada município.

Silvicultura sai de lista de atividades poluidoras

O setor de silvicultura, responsável pelo plantio de florestas como pinus e eucalipto para a produção de celulose, não precisará mais de licenciamento ambiental e estará isento da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TFCA). A mudança foi estabelecida pela Lei nº 14.876, de 31 de maio de 2024, sancionada nesta semana, que )exclui a atividade do rol de potencialmente poluidoras. A medida visa incentivar o reflorestamento, aumentar investimentos e promover a produção sustentável. A expectativa é que a desburocratização impulsione o setor, considerado fundamental para a economia brasileira.

Culturas agrícolas

Governo planeja diversificar culturas agrícolas para fortalecer segurança alimentar

O próximo Plano Safra, esperado para ser anunciado neste mês de junho, trará medidas para incentivar os agricultores a cultivar uma variedade de produtos essenciais para a alimentação brasileira. A iniciativa visa formar estoques públicos desses alimentos, visando garantir o abastecimento nacional, especialmente em face de eventos climáticos extremos que possam afetar a produção agrícola e pecuária. A formação desses estoques públicos se torna crucial para assegurar o fornecimento regular de alimentos em momentos de adversidade, como secas ou chuvas intensas. O Mapa ressaltou a necessidade de diversificação da produção agrícola, afirmando que é preciso ir além do cultivo tradicional de soja, milho e algodão, sendo importante promover o plantio de culturas como arroz, feijão, trigo e mandioca em diferentes regiões do país. As recentes cheias históricas no Rio Grande do Sul fizeram, por exemplo, com que o governo decidisse zerar a taxa de importação de arroz e comprar o cereal de outros países, já que o estado detém 70% da produção do grão no país e enfrenta dificuldades para escoar a produção, além de perdas na lavoura.

Produtores gaúchos terão prazo estendido para entrega da declaração do Imposto de Renda

Entre as medidas de auxílio ao Rio Grande do Sul, uma delas vem da Receita Federal e prorroga para agosto o prazo final para a entrega da declaração do Imposto de Renda de 2024. Contudo, apenas moradores de 397 municípios, conforme a Portaria RFB nº 419, de 10 de maio de 2024, poderão se beneficiar da medida. Além da DIRPF 2024, também terá prazo alterado a entrega do Livro Caixa Digital do Produtor Rural, por se tratar de uma obrigação acessória que normalmente acompanha o prazo de entrega da DIRPF. Essas prorrogações, além das obrigações acessórias, incluem os tributos federais, inclusive os parcelamentos, e também suspendeu os prazos para as práticas dos atos processuais no âmbito da Secretaria Especial da Receita Federal. Os prazos dos tributos e parcelamentos, incluindo os produtores que aderiram ao Programa de Regularização Tributária Rural, e com vencimento em abril, maio e junho de 2024, ficam prorrogados para o último dia útil dos meses de julho, agosto e setembro de 2024, respectivamente.

Faesp destaca importância de acompanhar o Cadastro Ambiental Rural

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um processo que não se encerra com a apresentação dos documentos pelos produtores à Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (SAA) e a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) está atenta para este tema. Nesta semana, em reunião virtual da Faesp com os Sindicatos Rurais, reforçou-se a necessidade de se fazer um trabalho junto aos produtores rurais para o acompanhamento do passo a passo do CAR até a sua validação e adesão ao Programa de Regularização Ambiental – PRA, quando necessário para que o imóvel esteja em conformidade com Código Florestal. É necessário que o proprietário tenha conhecimento da situação atual do seu imóvel e tome as providências para que a validação da sua declaração (inscrição no CAR) e do processo de regularização ambiental sejam concluídos. Cada Sindicato Rural pode exercer um importante apoio para os proprietários nesse acompanhamento. Dados da SAA indicam que mais de 90% dos 423 mil cadastros ativos já passaram por uma análise dinamizada, no entanto, 60% deles ainda precisam de alguma ação dos produtores para a conclusão da análise de seus dados e que 10% das mais de 400 mil propriedades rurais paulistas já estão com os cadastros validados.

Áreas agrícolas afetadas pela enchente no RS
Áreas agrícolas afetadas pela enchente no RS

Agricultura gaúcha enfrenta impactos devastadores das enchentes

A catástrofe climática recente deixou um rastro de destruição no setor agropecuário do Rio Grande do Sul. Os primeiros levantamentos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico revelam que as perdas parciais na produção agrícola são os principais danos, afetando 25,75% dos produtores rurais. Seguem-se os danos à infraestrutura, como galpões e estradas (11,71%), e a perda de animais (3,68%). Os prejuízos vão além das perdas imediatas. A logística de escoamento, transporte e armazenamento de grãos foi gravemente prejudicada devido aos danos em rodovias, ferrovias e portos. A escassez e o encarecimento de produtos agrícolas, especialmente frutas, verduras e legumes, já são notáveis. A pecuária também sofre com a perda de pastagens e a mortalidade de rebanhos, aumentando os custos logísticos do setor. Apesar de a colheita das principais lavouras de soja, milho, arroz e feijão (safra de primavera-verão 2023/2024) ter sido concluída antes da catástrofe, as áreas agrícolas enfrentam sérias dificuldades. Deslizamentos, inundações e erosão comprometeram a estrutura química, física e biológica do solo, afetando a próxima safra de inverno e possivelmente a de verão de 2024/2025.

Aumento de pragas no RS após alagamentos preocupa especialistas

O Sindicato dos Controladores de Pragas (SindPrag) emitiu um alerta importante para a população do Rio Grande do Sul sobre o aumento significativo de pragas e vetores devido aos recentes alagamentos na região. As enchentes criaram ambientes propícios para a proliferação de mosquitos, ratos, baratas e outros insetos, elevando o risco de doenças graves como dengue, leptospirose, febre amarela e hepatite A. Segundo o SindPrag, é crucial que a população tome medidas preventivas imediatas. A recomendação inclui evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados, limpar regularmente calhas e quintais, e manter alimentos bem armazenados para impedir o acesso de roedores e insetos. O uso de repelentes e a instalação de telas nas janelas são medidas adicionais que podem ajudar a minimizar o contato com mosquitos.

PIB agropecuário sobe 11,3% no primeiro trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário brasileiro aumentou 11,3% no primeiro trimestre de 2024 em relação aos últimos três meses de 2023 segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em comparação, o PIB total da economia do Brasil avançou 0,8% na mesma comparação. Em valores correntes, o PIB do agro somou R$ 192,2 bilhões no trimestre, enquanto o PIB geral do país ficou em R$ 2,7 trilhões. A alta reflete as diferenças nas lavouras dos dois períodos.

Transporte por caminhões

Fretes rodoviários do agro caíram 12,6% no primeiro trimestre

O volume de fretes rodoviários do agronegócio caiu 12,6% no primeiro trimestre de 2024 no Brasil, em comparação ao mesmo período de 2023, segundo dados coletados pela Frete.com, plataforma de transporte de cargas que atua na América do Sul. Na avaliação da empresa, a menor produção de grãos impactou o volume de frete. Os volumes contratados de milho recuaram 41,4% na comparação anual; de trigo, 38,6% e de fertilizantes, 20,6%. Entretanto, o transporte de soja que é o mais relevante no primeiro trimestre, teve alta de 14,4% no volume de cargas movimentadas.

MDA amplia validade das declarações de aptidão da agricultura familiar no RS

O Ministério do Desenvolvimento Agrário ampliou para nove meses o período de prorrogação da validade das Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) de produtores do Rio Grande do Sul, por conta das dificuldades enfrentadas com as chuvas e inundações que afetaram o Estado. Anteriormente, a pasta havia prorrogado a validade desses documentos que permitem aos agricultores acessarem as políticas públicas do governo para o setor e financiamentos do Plano Safra, por exemplo, por seis meses. A prorrogação vale para DAP com vencimento entre 1º de maio de 2024 e 31 de outubro de 2024. A estimativa é que 115 mil documentos estejam ativos no Rio Grande do Sul.

Produtores gaúchos pensam em criar cooperativa de azeite de oliva

Passado um mês das fortes enchentes que causaram severos estragos no Rio Grande do Sul, incluindo cultivos agrícolas como as oliveiras, que são marca no estado, o Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva), vai debater junto com integrantes da cadeia do azeite gaúcho a criação de uma cooperativa para fortalecer os pequenos produtores. Sempre se colocou a pauta de buscar uma cooperativa que visasse fortalecer os produtores menores e onde se possa compartilhar as estruturas dos produtores maiores. O momento é oportuno, pois o setor atravessa uma crise social climática no Rio Grande do Sul. O segmento já vinha, desde o ano passado, projetando problemas de qualidade das olivas devido ao clima. De acordo com dados da Secretaria de Agricultura do Estado, a produção de azeites da safra gaúcha de 2022/2023 foi de 580,228 mil litros, um aumento de 29% em relação ao período anterior.

Presidente Lula

Lula chama o MST para planejar o Plano Safra 24/25

O governo federal convidou o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) para integrar um grupo de entidades convocadas para ajudar a decidir o que fazer com os R$ 70 bilhões do Plano Safra 24/25 e para participar da formulação do Pronaf, pela relevância como organização representativa do setor e para a elaboração de uma política nacional de abastecimento que enfrente a volatilidade de preços e mitigue fatores como a insegurança alimentar. Além do MST, integrarão o grupo de entidades organizações simpáticas ao movimento, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Brasil (Contraf) e o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). Uma das poucas não alinhadas a integrar as rodadas de discussão do Pronaf 2024/2025 é a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Nova lei permite que agricultor familiar use recursos do Fundo para Calamidades Públicas

Ações para recuperar solos e investimentos produtivos feitos em propriedades de agricultura familiar passam a estar entre aquelas custeadas pelo Fundo Nacional para Calamidades Públicas, Proteção e Defesa Civil (Funcap) por determinação da Lei nº 14.872, de 28 de maio de 2024 sancionada recentemente. O projeto é congruente com os objetivos das Políticas Nacionais de Proteção e Defesa Civil e do Meio Ambiente e contribui com o cumprimento dos requisitos estabelecidos no art. 186 da Constituição Federal para o cumprimento da função social da propriedade rural.

Vendas de máquinas agrícolas caem 18,5% em abril, diz Fenabrave

As vendas de máquinas agrícolas caíram 18,5% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo a Fenabrave, associação que representa revendedores de equipamentos usados no campo. No total, 4 mil tratores de rodas e colheitadeiras de grãos foram vendidos em abril. Na comparação com março, quando foram vendidas 3,8 mil unidades, o número representa um aumento de 5,1%, atribuído pela Fenabrave ao início da nova safra. No acumulado de janeiro a abril, as vendas de máquinas agrícolas somaram 12,7 mil unidades, 33,5% a menos do que nos quatro primeiros meses de 2023.

Grazia CCC é a matriz mais cara da raça Tabapuã
Grazia CCC é a matriz mais cara da raça Tabapuã

Tabapuã celebra a conquista de um novo recorde

Em um evento marcante para a pecuária nacional, o Grupo Daga, renomado por sua excelência na criação de gado Tabapuã, estabeleceu um novo recorde durante o leilão realizado na na Fazenda Gurita, localizada em Edéia, Goiás. O leilão, que é um dos mais aguardados do ano, celebrou um aumento significativo nos valores alcançados, com uma média geral de R$ 103.687 por animal, representando um impressionante aumento de 109% em relação à edição anterior. Destaque especial para a venda de 33% da Matriz Grazia CCC. Este resultado não apenas reafirma o Grupo Daga como líder na criação de Tabapuã, mas também sublinha a robustez e o potencial de crescimento do mercado de genética de alta qualidade no Brasil. Grazia CCC é a matriz mais cara da raça Tabapuã com valorização de R$ 2.160.000.

Mais de 206 mil propriedades rurais foram afetadas pelas enchentes no RS

As chuvas extremas desde o final de abril causaram danos por inundações e deslizamentos em boa parte do Rio Grande do Sul. No meio rural, mais de 206 mil propriedades foram afetadas, com perdas na produção e na infraestrutura, e 34.519 famílias ficaram sem acesso à água potável. Esses dados constam no relatório de perdas referente à maior calamidade climática que atingiu o Rio Grande do Sul, divulgado nesta semana, pelas secretarias da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) e de Desenvolvimento Rural (SDR). A Emater-RS não divulgou prejuízo financeiro ao setor agro após as enchentes no Estado. Mas, cálculos mais recentes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) mostram que as chuvas provocaram uma perda superior a R$ 3,3 bilhões para o agronegócio gaúcho. O maior número de animais mortos foi de aves, totalizando 1.198.489 animais adultos. Também houve perdas substanciais de bovinos de corte (14,8 mil cabeças) e de leite (2.451 cabeças), suínos (14,7 mil animais), peixes (937 toneladas) e abelhas (16 mil caixas).

PIB do Brasil cresce 0,8% no primeiro trimestre

No primeiro trimestre de 2024, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil registrou um crescimento de 0,8% em comparação ao quarto trimestre de 2023, ajustado sazonalmente. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os principais destaques foram os setores de serviços, que cresceram 1,4%, e agropecuária, com um impressionante aumento de 11,3%. A indústria, por sua vez, permaneceu praticamente estável, com uma leve queda de 0,1%. O PIB no primeiro trimestre de 2024 alcançou R$ 2,7 trilhões, com R$ 2,4 trilhões provenientes do Valor Adicionado a preços básicos e R$ 361,1 bilhões dos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Novo recorde batido com o maior queijo do mundo
Novo recorde batido com o maior queijo do mundo

Minas Gerais bate novamente o recorde de maior queijo do mundo

A cidade de Ipanema, no Vale do Rio Doce, registrou mais uma vez o recorde de maior queijo padrão do mundo. A marca de 2.870 Kg foi alcançada durante a realização da 14ª Festa do Queijo, maior e mais importante evento do município. Ainda durante o evento, os produtores locais também superaram os recordes de maior doce de leite, maior queimadinha e, pela primeira vez, do maior pão de queijo feito no planeta. As novas marcas registradas substituem os resultados obtidos no ano passado e que já pertenciam a cidade. Em 2024, a empresa Laticínio Dois Irmãos produziu o maior queijo do planeta, usando 28 mil litros de leite, a fim de quebrar o recorde do ano passado, com utilização de 26 mil litros. A expectativa era que o peso do queijo ultrapassasse os 2,7 mil quilos, atingidos em 2023. E a meta foi alcançada, a peça passou dos 2,8 mil Kg.

Fazendeiros bloqueiam estradas na Europa

Fazendeiros da Espanha e França bloquearam estradas na fronteira entre os dois países em protesto contra as regras de produção agrícola da União Europeia. A mobilização ocorre poucos dias antes das eleições para o Parlamento Europeu. Os agricultores estão pressionando candidatos e eleitores a apoiarem representantes que defendam suas causas. Centenas de tratores foram levados à região dos Pirineus, a cordilheira que separa naturalmente França e Espanha, bloqueando várias vias, inclusive algumas abertas excepcionalmente para veículos pesados. Essa ação causou grandes interrupções no tráfego e destacou a determinação dos agricultores em fazer suas vozes serem ouvidas. Os manifestantes protestam contra o que consideram leis agrícolas injustas da União Europeia e a concorrência desleal resultante das mesmas. Entre suas demandas estão a priorização de produtos locais, restrições às importações, redução de impostos sobre energia utilizada na produção de alimentos, menos burocracia e a flexibilização das regras sobre o uso de pesticidas. Os produtores também expressaram preocupação com acordos comerciais, como o recentemente firmado entre Mercosul e União Europeia, temendo que a entrada de produtos da América Latina possa prejudicar suas atividades. Por isso, pressionam para que esses acordos não avancem e que as regras existentes sejam flexibilizadas. Nessa mesma semana, a capital da Bélgica, Bruxelas, foi também palco de uma manifestação significativa. Cerca de 1,2 mil fazendeiros, acompanhados de 500 tratores, se reuniram para protestar contra a política agrícola da União Europeia (UE). Máquinas agrícolas formaram uma procissão que cruzou a fronteira belga e se estendeu por mais de oito quilômetros. Os fazendeiros expressaram sua oposição com a mensagem de repúdio: “Não a Ursula von der Leyen e não ao Acordo Verde”.

Aspiração de matriz nelore é vendida por quase R$ 1 milhão

Mais um recorde batido na 9ª edição do Leilão da Fazenda Sisan, na venda da aspiração de Jade FIV, vaca adquirida recentemente pela Nelore Monte Sião, na ExpoZebu 2024, por aproximadamente R$ 2 milhões. Foram muito comemorados os grandes lances na aspiração do animal Puro de Origem, ficando marcado na história de todo o evento. A aspiração de Jade FIV, foi leiloada e arrematada por R$ 900 mil. O procedimento, que foi adquirido pela Fazenda Sisan, em Janaúba, MG, é uma biotécnica reprodutiva moderna que tem como principal objetivo, coletar os oócitos de Jade para serem fecundados em laboratório e transplantados para uma fêmea receptora do próprio comprador. Conforme o veterinário da Nelore Monte Sião, a garantia é de dois casais puros de origem, ou seja, com a conquista, o beneficiário terá dois machos e duas fêmeas de alta genética em seu rebanho.

A marca chinesa Luckin Coffee
A marca chinesa Luckin Coffee

Maior rede de cafeterias da China comprará em café do Brasil

A Luckin Coffee, rede de café com mais de 16 mil lojas na China, e principal importadora de café brasileiro no país asiático, assinou um Memorando de Entendimento com o governo brasileiro para a promoção do café nacional na rede. O documento prevê a compra de 120 mil toneladas de café em 2024, o que movimentará cerca de US$ 500 milhões. Representantes da cadeia do café de Minas Gerais e do Brasil classificaram o acordo como um importante passo para a expansão dos negócios envolvendo o café brasileiro com a China. Conforme os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic), a Luckin Coffee, por meio da parceria, se comprometeu a promover e comercializar ativamente o café brasileiro para seus clientes e parceiros.

É mentira que arroz importado terá agrotóxicos proibidos no Brasil

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) elucida que o edital do aviso de leilão de compra de arroz beneficiado polido nº 47/2024 determina que o produto importado deverá ter aspecto, cor, odor e sabor característico de arroz beneficiado polido longo fino Tipo 1, de acordo com todas as especificações explícitas no Anexo II do edital. Peças de desinformação repercutem a tese inverídica de que o arroz seria importado com agrotóxicos proibidos no Brasil. Desde que foi anunciada para combater a especulação do preço do produto no país, a importação do grão tem sido alvo de narrativas falsas que questionam a qualidade de um produto que sequer foi adquirido ainda. O edital do leilão de compra do arroz também estabelece que o produto será analisado por lote de produção, sendo recusado aquele que não se enquadrar nos padrões e especificações de qualidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e demais legislações vigentes. Complementarmente, cabe destacar que, para que o produto arroz possa ingressar no país, independentemente da forma como é produzido, ele deve se enquadrar no padrão brasileiro, ou seja, deve atender à legislação vigente no Brasil.

USDA comunica que vírus H5N1 foi encontrado em carne bovina

O Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar (FSIS) do USDA anunciou nesta semana que o vírus H5N1 foi descoberto na carne de uma única vaca leiteira de abate como parte de testes em 96 vacas leiteiras. Após os resultados finais do teste H5N1 do FSIS confirmam que o fornecimento de carne é seguro. O Serviço de Inspeção Sanitária Animal e Vegetal (APHIS) desviou as 96 vacas leiteiras para testes porque os inspetores federais notaram sinais de doença durante suas inspeções. Num comunicado, o APHIS disse que partículas virais do H5N1 foram detectadas em amostras de tecido de uma vaca em 22 de maio de 2024. Até o momento, os tecidos das 95 vacas leiteiras restantes tiveram resultados negativos para partículas virais. Nenhuma carne dessas vacas entrou no abastecimento alimentar. O FSIS e o APHIS estão trabalhando em conjunto para realizar o rastreamento, incluindo a notificação ao produtor para recolher mais informações.

Área rural inundada - Foto: Maurício Tonetto/Governo do RS
Área rural inundada – Foto: Maurício Tonetto/Governo do RS

Setor aquícola gaúcho ainda sofre enquanto planeja recuperação após catástrofe climática

Mesmo após um mês das enchentes históricas que afetaram drasticamente o Rio Grande do Sul (RS), o estado continua enfrentando situações críticas. O setor aquícola, crucial para a economia gaúcha, também sofreu pesadas perdas e lida com prejuízos enquanto planeja recuperação. O Rio Grande do Sul ocupa a 12ª posição no ranking nacional de peixes de cultivo, conforme dados da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR). Em 2023, foram produzidas 26.800 toneladas de peixes no estado, sendo 17.000 toneladas de “outras espécies”, como carpas, trutas e panga – o que rendeu ao estado a liderança na categoria. O levantamento detalhado dos prejuízos, essencial para planejar a recuperação, faz parte das ações imediatas junto ao setor. Em maio, representantes da atividade realizaram uma reunião com o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), e uma nova reunião está prevista para este mês, aguardando os dados completos dos danos. Além disso, está sendo formado um grupo técnico nacional para elaborar um plano de reestruturação e desenvolvimento, buscando apoio de especialistas de outros estados.

Anater completa dez anos e amplia recursos para a extensão rural

A inovação se dá quando a pesquisa consegue chegar ao campo e transforma realidades. É preciso ampliar o acesso de extensionistas rurais às plataformas digitais da Embrapa, oferecendo cursos de capacitação em temas estratégicos para o desenvolvimento rural sustentável nas comunidades, como forma de fortalecer as ações de inclusão socioprodutiva rural digital junto aos agricultores. A Embrapa está buscando aproximar-se da Anater, por meio do uso ampliado das plataformas de Ater Digital e através de ações de TT(Transferência de Tecnologia) oferecidas pelos 43 centros de pesquisa espalhados em quase todos os estados. Pretende-se que as tecnologias e os conhecimentos da Embrapa cheguem ao público que mais necessita – agricultores, indígenas, quilombolas, extrativistas e produtores das regiões periurbana. Atualmente, a Embrapa dispõe de cerca de 2 mil cultivares, que adaptadas aos diferentes biomas brasileiros, permitem contribuir para a produção de alimentos, segurança alimentar e soberania. O Bem Viver Semiárido vai investir R$ 23,5 milhões do Governo Federal, através do MDA e da Anater, para levar assistência técnica e extensão rural a 5,5 mil famílias, nos dez estados do Nordeste. Cada lote contempla 250 famílias.

Petrobras retoma fábrica de fertilizantes no Paraná com operação em 2025

A Petrobras informou que sua diretoria executiva aprovou a reativação da sua fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados S.A. (ANSA), localizada no Paraná, que está hibernada desde 2020. A previsão é de que a operação seja reiniciada no segundo semestre de 2025. A decisão, segundo a estatal, também autoriza à ANSA celebrar acordo e efetuar a contratação dos antigos empregados, condicionada à homologação do acordo pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Os procedimentos necessários à retomada da fábrica serão iniciados imediatamente. O investimento na produção de fertilizantes da Petrobras voltou a fazer parte do portfólio da companhia, conforme plano Estratégico 2024 – 2028.

O arroz importado pelo governo será colocado no mercado a R$ 4,00 o Kg
O arroz importado pelo governo será colocado no mercado a R$ 4,00 o Kg

Justiça autoriza a realização de leilão de compra de arroz importado

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região suspendeu os efeitos de medida liminar do juízo da 4º Vara Federal de Porto Alegre, que impedia leilão para compra de arroz beneficiado polido, objeto do Aviso de Leilão 47/2024 da CONAB. O leilão prevê a compra de trezentos milhões de quilos de arroz beneficiado, polido, longo fino, Tipo 1, safra 2023/2024, importado. A suspensão do leilão havia sido determinada pelo juiz federal substituto Bruno Risch Fagundes de Oliveira. A Advocacia Geral da União peticionou no mesmo dia ao presidente do TRF4 pleiteando decisão de “suspensão de segurança”. Trata-se de figura jurídica destinada a “evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas”. O pedido foi deferido e o leilão mantido. A fim de mitigar o impacto social e econômico decorrente do desastre climático no Rio Grande do Sul e assegurar o abastecimento no país, o governo federal comprou 263,37 mil toneladas de arroz importado. O arroz adquirido ontem no leilão será entregue em três etapas, sendo que o prazo mínimo para o fornecimento do produto é de 90 dias e o máximo de 150 dias. A Conab adquire o grão de empresas brasileiras responsáveis pela importação. Os lotes arrematados foram para os estados da Bahia, do Ceará, do Espírito Santo, de Goiás, do Maranhão, de Minas Gerais, do Pará, da Paraíba, do Paraná, de Pernambuco e de São Paulo. Já os lotes destinados para Amazonas, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Tocantins não foram comercializados.

Mapa pede à Fazenda R$ 452 bi para Plano Safra

O Mapa propôs ao Ministério da Fazenda R$ 452,3 bilhões em recursos para custeio, comercialização e investimentos de médios e grandes produtores no Plano Safra 2024/25. O número, se acatado na íntegra, deve representar um crescimento de 24% em relação aos R$ 364,2 bilhões disponibilizados no ciclo que se encerrará no próximo dia 30. A intenção do Mapa é direcionar R$ 332,2 bilhões para as linhas de custeio e comercialização e R$ 120,1 bilhões para os investimentos. O pedido foca no aumento da disponibilidade de recursos com juros equalizados aos produtores. A intenção é quase dobrar o valor das linhas que receberão a equalização, para R$ 151,8 bilhões. Desses, R$ 90,5 bilhões seriam para custeio e comercialização e R$ 61,4 bilhões para investimentos.

Novo acidente em silo da C. Vale deixa vítimas

Um homem morreu e outro ficou gravemente ferido em um acidente em um silo de secagem de grãos da Cooperativa C. Vale, em Encantado d’Oeste, distrito de Assis Chateaubriand, na região Oeste do Paraná. A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar (PM), por volta da 1h15 de ontém (6/6). Até o momento, não há informações sobre as causas do acidente. O Corpo de Bombeiros também foi acionado e informou que não há indícios de novas explosões ou focos de incêndio no local da ocorrência. A Polícia Civil de Assis Chateaubriand investiga o caso.

Incêndio no Ceasa Curitiba e destrói mais de 40 boxes - Foto: Ailton Vieira
Incêndio no Ceasa Curitiba e destrói mais de 40 boxes – Foto: Ailton Vieira

Incêndio de grandes proporções atinge Ceasa de Curitiba

Um incêndio de grandes proporções destruiu parcialmente um dos oito pavilhões da Central de Abastecimento (Ceasa), em Curitiba (PR), na noite de ontem (6/6). Segundo informações da Ceasa, não houve feridos. O incêndio começou por volta das 22 horas. Na manhã de hoje (7/6), as chamas estavam controladas. Além dos danos na estrutura, todo o estoque de hortifrutis foi perdido. Os prejuízos ainda estão sendo calculados. A Ceasa de Curitiba abriga 423 atacadistas que comercializam frutas, verduras e hortaliças e em torno de 20 empresas estavam instaladas no pavilhão atingido pelo fogo. Apesar do incêndio, a Ceasa informa que o atendimento não está comprometido e os outros sete pavilhões continuam funcionando. Os comerciantes da ala atingida estão sendo remanejados.