CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

BlogCampoCiência e TecnologiaSem categoriaSustentabilidade

Campo – A Importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Ilustração de trabalhadores rurais

No entanto, muitos desses trabalhadores enfrentam condições desafiadoras para garantir que os alimentos cheguem às nossas mesas. A produção agrícola depende diretamente da eficiência e dedicação desses trabalhadores, cujo perfil evolui constantemente devido à crescente mecanização e avanços tecnológicos, exigindo novas habilidades e adaptações.

Cabe lembrar que a agricultura familiar representa mais de 80% dos estabelecimentos agropecuários do Brasil, sendo responsável por cerca de 70% dos alimentos consumidos no país.

A contribuição econômica dos trabalhadores rurais

Os trabalhadores rurais são pilares da economia brasileira, interligando diversas atividades, desde a produção até a comercialização. Eles desempenham um papel crucial não apenas na economia local, mas também no mercado global, influenciando a estabilidade econômica e alimentar em todo o mundo. Contribuem significativamente para a economia brasileira. A agricultura, que depende fortemente dessa mão de obra, é um dos principais setores econômicos do país. O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de diversos produtos agrícolas, como soja, café, açúcar, carne bovina e aves. Sem a dedicação e o trabalho árduo dos trabalhadores rurais, essa produção em larga escala não seria possível.

Trabalhador rural na colheita de batatas
Trabalhador rural na colheita de batatas

Além disso, a agricultura familiar, que representa a maioria dos estabelecimentos agropecuários no Brasil, é responsável por grande parte dos alimentos consumidos internamente. Isso inclui a produção de feijão, milho, mandioca, hortaliças, frutas e leite. A agricultura familiar não só sustenta a economia local, mas também assegura a segurança alimentar para milhões de brasileiros.

Exportações e mercado global

A produção agrícola brasileira desempenha um papel crucial no mercado global. O país é um dos maiores exportadores de commodities agrícolas, contribuindo significativamente para o comércio internacional de alimentos. Os trabalhadores rurais, portanto, não são apenas fundamentais para o sustento e a economia local, mas também influenciam na estabilidade econômica e alimentar em todo o mundo.

História e contextualização do trabalho rural

Historicamente, o trabalhador rural no Brasil emergiu do trabalho escravo. Após a abolição da escravidão em 1888, muitos ex-escravos continuaram a trabalhar nas plantações, agora como trabalhadores rurais. No entanto, esses trabalhadores inicialmente não gozavam de direitos trabalhistas e enfrentavam condições de trabalho extremamente difíceis.

Escravizados em uma fazenda de café em 1882 - Foto: Wikimedia Commons
Escravizados em uma fazenda de café em 1882 – Foto: Wikimedia Commons

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), Decreto Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, sancionada por Getúlio Vargas, inicialmente excluiu os trabalhadores rurais. Somente com a Lei nº 5.889, de 8 de junho de 1973, foram definidas normas reguladoras específicas para assegurar os direitos desses trabalhadores. A Constituição de 1988 finalmente equiparou os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores rurais aos dos trabalhadores urbanos.

Direitos trabalhistas e previdenciários

Os direitos trabalhistas dos trabalhadores rurais foram reconhecidos de forma tardia em comparação aos trabalhadores urbanos. Antes da Constituição de 1988, os trabalhadores rurais não tinham acesso à Previdência Social e ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Hoje, os trabalhadores rurais têm os mesmos direitos que os trabalhadores urbanos, incluindo férias, 13º salário, licença-maternidade e aposentadoria.

Mesmo assim, as atividades rurais apresentam particularidades que demandam tratamento específico em algumas situações. É comum, por exemplo, o contrato por safra, que dura o período de plantio ou de colheita. Ao fim do prazo, o empregado recebe o saldo de salários, 13º e férias proporcionais.

A NR 31 estabelece regras mínimas de adequação para alojamentos, refeitórios, áreas de vivência e estruturas físicas. Alimentação de qualidade é fundamental para o trabalhador rural
A NR 31 estabelece regras mínimas de adequação para alojamentos, refeitórios, áreas de
vivência e estruturas físicas. Alimentação de qualidade é fundamental para o trabalhador rural

Norma Regulamentadora nº 31 (NR 31)

Em 2005, a Norma Regulamentadora nº 31 (NR 31) passou a exigir a adoção de medidas de segurança adequadas para preservar a saúde e integridade física de quem lida com as atividades no campo. Esta norma estabelece regras mínimas de adequação para alojamentos, refeitórios, áreas de vivência e estruturas físicas. Também define regras relacionadas ao treinamento mínimo a ser oferecido ao trabalhador rural, dentre outras questões.

Principais riscos da atividade rural

Os trabalhadores rurais estão expostos a diversos riscos que podem afetar sua saúde e segurança. É importante conhecer esses riscos para implementar medidas de proteção adequadas.

Riscos físicos

Os riscos físicos incluem fadiga, insolação, dores crônicas pelo corpo e até câncer de pele. Trabalhar ao ar livre, sob calor intenso ou chuva, em tarefas extenuantes e lidando com maquinário pesado pode causar sérios problemas de saúde. A exposição prolongada ao sol aumenta o risco de câncer de pele, enquanto a repetição de movimentos e o esforço físico intenso podem levar a lesões musculoesqueléticas.

Riscos mecânicos

Os riscos mecânicos incluem ferimentos provocados por instrumentos de corte, acidentes envolvendo tratores ou outras máquinas e incidentes com animais, como coices ou mordidas. O uso inadequado de equipamentos e a falta de treinamento adequado são fatores que aumentam o risco de acidentes no trabalho rural.

Acidente com máquina agrícola
Acidente com máquina agrícola
Riscos químicos

Os riscos químicos estão associados ao contato com agrotóxicos e fezes de animais. A exposição a agrotóxicos pode causar dermatite, bronquite e intoxicação. É essencial o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados e a aplicação de medidas de segurança no manuseio de produtos químicos.

Riscos biológicos

Os riscos biológicos incluem alergias e infecções causadas pelo contato com insetos, pólen, partículas e outros agentes infecciosos. Os trabalhadores rurais frequentemente enfrentam condições de trabalho que aumentam a exposição a esses riscos, como a manipulação de plantas e animais.

Riscos organizacionais

Os riscos organizacionais estão relacionados à fadiga, lesão por esforço repetitivo e doença osteomuscular. Um ritmo de trabalho muito intenso ou desorganizado pode levar a problemas de saúde graves. É fundamental uma gestão eficaz do trabalho para minimizar esses riscos e garantir a saúde e segurança dos trabalhadores rurais.

Gestão de segurança e medidas de proteção

Uma gestão de segurança eficaz é crucial para minimizar acidentes e doenças no campo. As medidas incluem:

Capacitação dos trabalhadores

O investimento em educação e capacitação dos trabalhadores rurais é essencial para garantir a segurança no trabalho. Treinamentos sobre o uso correto de agrotóxicos, medidas de higiene, instruções de primeiros socorros e práticas seguras no manejo de máquinas são fundamentais. Programas de educação continuada e reciclagem também são importantes para manter os trabalhadores atualizados sobre as melhores práticas de segurança, ajudando os trabalhadores rurais a adquirir as habilidades necessárias para utilizar novas tecnologias e adotar práticas agrícolas sustentáveis. A educação também promove a conscientização sobre os direitos trabalhistas e as melhores práticas de segurança no trabalho.

A capacitação dos trabalhadores rurais é essencial para garantir a segurança no trabalho
A capacitação dos trabalhadores rurais é essencial para garantir a segurança no trabalho
Disponibilização de EPIs

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são essenciais para proteger os trabalhadores rurais dos diversos riscos a que estão expostos. EPIs como luvas, máscaras, óculos de proteção, roupas impermeáveis e calçados adequados devem ser disponibilizados e utilizados corretamente. O cumprimento das normas de segurança determinadas pela NR 31 é crucial para garantir a proteção dos trabalhadores.

Uso de tecnologia

A tecnologia pode ser uma aliada importante na gestão de segurança no campo. O monitoramento por softwares e o gerenciamento de máquinas à distância permitem maior precisão na atividade rural e ajudam a prevenir acidentes. A adoção de tecnologias avançadas pode transformar o trabalho rural, aumentando a eficiência e a produtividade. Tecnologias como drones, sensores e sistemas de automação e inteligência artificial também podem melhorar a eficiência e a segurança no trabalho rural, como a gestão das atividades agrícolas, reduzindo os riscos. No entanto, é essencial garantir que os trabalhadores tenham acesso ao treinamento necessário para utilizar essas tecnologias de forma eficaz.

Práticas sustentáveis

A adoção de práticas sustentáveis é fundamental para a preservação ambiental e a saúde dos trabalhadores rurais. Isso inclui o manejo integrado de pragas, a redução do uso de agrotóxicos, a conservação do solo e da água e a implementação de técnicas de agricultura orgânica. A sustentabilidade no campo não só protege o meio ambiente, mas também melhora as condições de trabalho e a qualidade de vida dos trabalhadores rurais.

O trabalhador deve ser orientado da importância das práticas sustentáveis como a conservação de recursos hídricos
O trabalhador deve ser orientado da importância das práticas
sustentáveis como a conservação de recursos hídricos

O dia a dia, as condições de trabalho e o que precisa melhorar

É preciso se solidarizar cada vez mais com os trabalhadores rurais. Superar o trabalho análogo ao escravo é uma obrigação mínima. Mas as condições de trabalho rural precisam melhorar muito além disso.

Exigências físicas extremas

É possível que um trabalhador, formalizado e trabalhando em condições totalmente dentro da lei, corte 12 toneladas de cana em um dia? Pois este é o caso de muitos trabalhadores rurais do estado de São Paulo. De acordo com o estudo “A produção da cana-de-açúcar no Brasil e a saúde do trabalhador rural”, o trabalhador que atingir esta marca terá, em um dia:

  • Caminhado 8.800 metros;
  • Realizado 133.332 golpes de podão;
  • Carregado 12 toneladas de cana em montes de 15 kg cada, em média; portanto, faz 800 trajetos e 800 flexões, levando 15 kg nos braços por uma distância de 1,5 a 3 metros;
  • Feito aproximadamente 36.630 flexões e entorses torácicos para golpear a cana;
  • Perdido, em média, 8 litros de água por dia, por realizar toda esta atividade sob sol forte do interior de São Paulo, sob os efeitos da poeira, da fuligem expelida pela cana queimada, trajando uma indumentária que o protege da cana, mas aumenta sua temperatura corporal.
Trabalhador rural na plantação de cana de açúcar
Trabalhador rural na plantação de cana de açúcar

Essa jornada é comparável, ou até mais intensa, do que a de muitos atletas profissionais. Se esta é a situação de um trabalhador rural cortador de cana que trabalha formalmente, imagine a situação dos que trabalham informalmente ou em situações ainda piores.

Desafios da modernização e globalização

A globalização e a digitalização exigem que os trabalhadores rurais se adaptem rapidamente às novas demandas do mercado agrícola. A diversidade geracional no campo e a necessidade de práticas sustentáveis são desafios constantes. Investir em educação e capacitação contínua é essencial para manter a competitividade e eficácia no agronegócio.

Adaptação à tecnologia

A modernização do agronegócio traz desafios e oportunidades para os trabalhadores rurais. A adoção de novas tecnologias exige que os trabalhadores rurais desenvolvam novas habilidades e se adaptem rapidamente às mudanças. O uso de maquinário avançado, sistemas de automação e tecnologias de precisão podem aumentar a eficiência e a produtividade, mas também requerem treinamento e capacitação contínua.

Operador na cabine de uma colheitadeira de última geração
Operador na cabine de uma colheitadeira de última geração
Diversidade geracional no campo

A diversidade geracional no campo apresenta desafios únicos. Trabalhadores rurais mais jovens podem estar mais abertos a novas tecnologias e métodos de trabalho, enquanto os trabalhadores mais velhos podem ter mais dificuldade em se adaptar às mudanças. É importante promover um ambiente de trabalho inclusivo e colaborativo, onde todas as gerações possam aprender e crescer juntas.

Práticas sustentáveis e resiliência

A necessidade de práticas sustentáveis é cada vez mais importante no mercado global. Os consumidores estão se tornando mais conscientes sobre a origem dos alimentos e a sustentabilidade dos métodos de produção. Os trabalhadores rurais precisam estar orientados na adoção de práticas agrícolas que preservem o meio ambiente e garantam a sustentabilidade a longo prazo. Isso inclui a rotação de culturas, o uso responsável de recursos naturais e a implementação de técnicas de agricultura orgânica. A promoção da sustentabilidade no campo é fundamental para garantir a viabilidade a longo prazo da produção agrícola. Os trabalhadores rurais desempenham um papel crucial na implementação dessas práticas e na promoção da sustentabilidade no campo.

A importância da sustentabilidade

O consumo consciente e a sustentabilidade são cada vez mais importantes no mercado global. Os trabalhadores rurais precisam não apenas produzir, mas também comunicar efetivamente as qualidades e sustentabilidade de seus produtos. Adaptabilidade e proatividade são cruciais para responder às expectativas sociais e ambientais.

Produção orgânica está cada vez mais valorizada e o trabalhador rural tem que acompanhar as novas tendências
Produção orgânica está cada vez mais valorizada e o trabalhador
rural tem que acompanhar as novas tendências
Preservação do meio ambiente

A sustentabilidade no campo é essencial para a preservação do meio ambiente. Práticas agrícolas responsáveis ajudam a conservar os recursos naturais, proteger a biodiversidade e reduzir o impacto ambiental. Isso inclui a gestão eficiente da água, a conservação do solo, a redução do uso de agrotóxicos e a promoção da biodiversidade agrícola.

Segurança alimentar

A sustentabilidade no campo também é crucial para garantir a segurança alimentar. Práticas agrícolas sustentáveis ajudam a garantir a produção de alimentos de alta qualidade e seguros para o consumo. Isso inclui a adoção de técnicas de agricultura orgânica, a produção de alimentos livres de resíduos químicos e a promoção de dietas saudáveis e equilibradas.

O trabalhador garante a produção de alimentos de alta qualidade e seguros para o consumo
O trabalhador garante a produção de alimentos de alta qualidade e seguros para o consumo
Comunicação e Transparência

A comunicação e a transparência são fundamentais para promover a sustentabilidade no campo. Os trabalhadores rurais e os produtores agrícolas devem comunicar efetivamente as práticas sustentáveis que adotam e os benefícios dos seus produtos. Isso inclui a certificação de produtos orgânicos, a rastreabilidade dos alimentos e a transparência nas práticas agrícolas.

O futuro do trabalho rural no Brasil

A atividade depende de uma combinação de investimentos em tecnologia, educação e sustentabilidade. Os trabalhadores rurais precisam estar preparados para enfrentar os desafios da modernização e da globalização, enquanto adotam práticas agrícolas que protejam o meio ambiente e garantam a segurança alimentar.

Melhoria das condições de trabalho

Melhorar as condições de trabalho dos trabalhadores rurais é essencial para garantir a saúde e a segurança no campo. Isso inclui a implementação de normas de segurança, a disponibilização de EPIs adequados, a redução das jornadas de trabalho extenuantes e a promoção de um ambiente de trabalho saudável e seguro.

Valorização e reconhecimento

A valorização e o reconhecimento dos trabalhadores rurais são fundamentais para promover a dignidade e a justiça no trabalho. Isso inclui o respeito aos direitos trabalhistas, a promoção de salários justos, o acesso a benefícios sociais e a garantia de condições de trabalho dignas. Os trabalhadores rurais são essenciais para a produção agrícola e merecem ser valorizados e reconhecidos pelo seu trabalho árduo e dedicação.

Operador de máquinas trabalhando com prazer
Operador de máquinas trabalhando com prazer

Conclusão

O futuro do trabalho rural no Brasil é promissor, mas também desafiador. A modernização e a globalização trazem novas oportunidades e desafios que exigem adaptação e inovação. Os trabalhadores rurais precisam estar preparados para enfrentar esses desafios, adotando novas tecnologias, práticas sustentáveis e abordagens inovadoras. Com investimentos em educação, tecnologia e sustentabilidade, o trabalho rural pode continuar a ser uma fonte vital de inovação, produtividade e prosperidade para o Brasil.

Reconhecer e valorizar os trabalhadores rurais é fundamental para sustentar a vitalidade e produtividade da cadeia produtiva de alimentos. Investir em melhorias nas condições de trabalho, garantir direitos trabalhistas adequados e fornecer acesso à capacitação são passos essenciais para assegurar qualidade e segurança alimentar. Ao encarar os desafios futuros, o setor agrícola pode se reinventar e prosperar, garantindo que o trabalho rural continue sendo uma fonte vital de inovação, produtividade e sustentabilidade.

Leia também: