CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

O feijão é bem cotado para os objetivos da FAO

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) lançou um plano para tornar o setor agroalimentar um sumidouro de carbono até 2050, com foco em 10 áreas prioritárias. Além de combater a fome, o plano visa promover um futuro sustentável e resiliente.

Impulsionado pela evidência científica dos impactos das mudanças climáticas nos sistemas alimentares globais, conforme destacado pelo IPCC, a COP28 dedicou um dia à discussão sobre Alimentação, Água e Agricultura, destacando o compromisso global em integrar a agricultura na mitigação das mudanças climáticas, evidenciado pela assinatura da Declaração dos Emirados por 134 nações.

Mulheres regressam dos campos com sacos de leguminosas em Bancharampur, Cumilla (Bangladesh), onde muitas pessoas ganham a vida na agricultura
Mulheres regressam dos campos com sacos de leguminosas em Bancharampur, Cumilla
(Bangladesh), onde muitas pessoas ganham a vida na agricultura

O roteiro da FAO, intitulado “Alcançar o ODS2 sem ultrapassar o limite de 1,5°C, identifica áreas críticas como pecuária, solo e água para atingir a “Fome Zero” dentro dos limites climáticos do Acordo de Paris. Um aspecto-chave é a “transição justa”, garantindo equidade na transformação do setor, incluindo redução do consumo de carne em países ricos e apoio a pequenos agricultores em países em desenvolvimento.

As leguminosas podem desempenhar um papel potencialmente muito significativo nos sistemas agroalimentares amigos do clima delineados pela FAO. O roteiro incentiva os agricultores a minimizarem a utilização de fertilizantes químicos e a encontrarem novas práticas para escalar a produção, uma tarefa que as culturas fixadoras de nitrogênio, como as leguminosas, são inerentemente capazes de apoiar. Isto não só reduziria as emissões, mas também melhoraria a saúde do solo, promoveria a biodiversidade e reduziria a poluição dos cursos de água.

No contexto das novas abordagens à pecuária, as leguminosas podem fornecer alimentos mais eficientes em termos de água, o que ajuda a reduzir a pegada de carbono dos animais, além de constituir uma importante fonte de proteína para as regiões que deveriam mudar de proteína animal para proteína vegetal.

Pulses podem tem papel fundamental para atingir os objetivos do plano da FAO
Pulses podem tem papel fundamental para atingir os objetivos do plano da FAO

Do lado da nutrição, o roteiro coincide com uma nova pesquisa publicada na Nutrients que mostra como uma dieta rica em leguminosas melhora significativamente o perfil nutricional da dieta, somando-se ao amplo conjunto de evidências estabelecidas que mostra os múltiplos benefícios da inclusão de leguminosas como parte de uma dieta saudável. Combater a fome e a desnutrição globais reduzindo as emissões é perfeitamente viável para as pulses.

Financiamento adequado é crucial, com apenas uma pequena parcela do financiamento climático global atualmente destinada aos sistemas alimentares. A FAO prevê que atingir essas metas pode reduzir a fome e criar sistemas alimentares neutros em carbono até 2035. Com este roteiro e detalhes adicionais nas próximas cúpulas da COP, o setor agroalimentar está caminhando para uma transformação verde, mas apoio contínuo e investimento serão essenciais para concretizar essa visão. As informações foram divulgadas pela Global Pulses Confederation (GPC).

Leia também: