CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

AgriculturaAgricultura FamiliarAssociativismo e CooperativismoCapacitaçãoCultura e SocialGastronomiaTurismo e Lazer

Circuito dos Mercados de Origem beneficiará pequenos produtores rurais

Mercado de Origem MG - direto da terra para o consumidor
Grupo Uai e a Fundação Doimo prometem movimentar a agricultura familiar mineira com a criação de cinco espaços de venda direta ao consumidor
 
Quando o assunto é agricultura familiar, Minas Gerais desponta entre todos os estados brasileiros. O setor tem chamado a atenção nas produções de frutas, hortaliças, mandioca, agroindústrias, apicultura e artesanato rural, entre outras práticas realizadas no campo. Porém, escoar a venda é um dos principais entraves enfrentados pelos pequenos e microprodutores rurais.
 
Mesmo com a pujança dessa importante parcela econômica, nem todos os profissionais do campo conseguem êxito na venda direta ao consumidor, o que poderia gerar um melhor lucro da produção, aumentar e gerar novos negócios e empregos. 

Serão implantados em Belo Horizonte e Região Metropolitana cerca de cinco mercados onde os pequenos agricultores poderão comercializar a produção sem atravessadores, que, via de regra, ficam com a maior parte do lucro. A ideia é fazer com que a mercadoria saia das mãos de quem produz e chegue às mãos de quem consome, empoderando o pequeno produtor rural. O projeto contará com unidades na zona sul de BH, nos bairros Padre Eustáquio, Santa Tereza e Venda Nova, além de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana.

Projeto garantirá emprego e renda

Em Minas Gerais, o potencial desse segmento pode ser medido pela expressiva quantidade de estabelecimentos rurais existentes: 77% estão ocupados por agricultores familiares, o que representa 383 mil propriedades rurais, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. E implantar o sistema de distribuição direta da produção garantirá uma melhor margem de lucro para o pequeno produtor que poderá receber pelo menos 50% do valor da sua mercadoria.

Para os empreendedores rurais que possuem uma produção sazonal, o Mercado de Origem oferecerá um andar só de feiras. Ele pagará apenas 10% da renda arrecadada. Caso não venda, não pagará nada. O espaço poderá ser alugado temporariamente ou não.

Além disso, o espaço de feiras dos Mercado de Origem contempla artesãos mineiros de várias localidades de Minas Gerais, inclusive do Vale do Jequitinhonha.

Mercado moderno

Quem visitar o Mercado de Origem, encontrará, além de gêneros alimentícios de qualidade e diversificados, artesanato, boa comida e bebidas. Tudo preparado para valorizar a tradição e os costumes de Minas Gerais. Paralelo a este comércio, o mercado oferecerá aos visitantes setores para embelezamento pessoal e entretenimento para a criançada. Ou seja, a família que for fazer compras, poderá cuidar da beleza, se divertir, tomar uma cerveja, comer um bom tira-gosto e ainda deixar as crianças brincando.

E as novidades no circuito dos Mercados não param

O projeto prevê ainda a criação de um setor exclusivo para a cervejaria artesanal produzida no Estado, com pontos de vendas fixos. A intenção é transformar Minas Gerais na Bélgica brasileira, onde a cultura cervejeira será um grande atrativo turístico.

O Mercado de Origem terá também espaço exclusivo para o público assistir leilões de cavalos online com venda de artigos equestres, bebidas, comidas típicas e muito mais.
 
O projeto espera contribuir para incrementar o turismo interno e externo na capital mineira.
 

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *