CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Produtos orgânicos

Até 36% dos consumidores brasileiros estão mais dispostos a pagar mais caro por alimentos orgânicos

O estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) “Perfil do Consumidor Consciente”, publicado em 2020, mostra que o interesse do consumidor está na crescente busca por uma alimentação mais saudável e nutritiva.

Mas o que são os alimentos orgânicos? Como são produzidos?

Os alimentos orgânicos são aqueles obtidos em uma cadeia produtiva agropecuária e industrial que dispensa o uso de insumos como pesticidas sintéticos, fertilizantes químicos, medicamentos veterinários, organismos geneticamente modificados, conservantes, aditivos e irradiação da produção à comercialização.

O Art. 1º, da Lei 10.831/03, indica que esse sistema de produção orgânico tem por objetivo:

  • Sustentabilidade econômica e ecológica;
  • Maximização dos benefícios sociais;
  • Minimização da dependência de energia não-renovável.

A agricultura orgânica no Brasil movimentou 5,8 bilhões de reais em 2020, segundo a Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis). Porém, há muito mais a ser analisado do que a mudança do método de produção e o potencial econômico da agricultura orgânica.

Com os avanços tecnológicos obtidos ao longo das décadas, diversas evidências científicas começaram a correlacionar a boa alimentação com a boa saúde.

Não adianta só comer… Tem que comer com qualidade!

Diante disso, os produtos orgânicos podem ser uma solução para uma alimentação mais saudável e nutritiva.

Para avaliar e contabilizar a qualidade nutricional dos alimentos orgânicos, diversos estudos foram sendo realizados ao longo das décadas acerca do tema. Diversos estudos foram realizados nas últimas décadas e fizeram uma comparação entre os nutrientes disponíveis nos alimentos cultivados organicamente e nos cultivados de maneira tradicional, estando entre eles:

  • Cálcio;
  • Magnésio;
  • Potássio;
  • Sódio;
  • Zinco;
  • Cobre;
  • Manganês;
  • Ferro;
  • Fósforo;
  • Vitamina C;
  • Betacaroteno;
  • Nitratos.

Os resultados evidenciaram que em mais da metade dos nutrientes avaliados, as culturas orgânicas apresentaram maiores valores e níveis menores de nitrato (composto tóxico), quando comparadas as culturas tradicionais.

Além disso, os teores de vitamina C, ferro, magnésio e fósforo foram mais significativos para as culturas orgânicas. A quantidade de vitamina C em frutas e vegetais orgânicos, por exemplo, pode ser até 27% maior do que em frutas e vegetais convencionais. 

Os valores nutricionais positivos da agricultura orgânica, encontrados em estudos podem estar diretamente relacionados à forma de cultivo.

O cuidado com o solo, através do uso de rotação de culturas, implementação de culturas de cobertura, adubação verde e a adição de compostos orgânicos são fatores que influenciam diretamente na preservação da matéria orgânica e mantêm o solo nutrido para as plantas.

No entanto, os fatores que sustentam um sistema de produção orgânico elevam o preço para o consumidor final, dificultando o acesso para muitas famílias.

Principais fatores para os elevados preços dos alimentos orgânicos no mercado:

  • Necessidade de certificação;
  • Período de conversão do sistema de produção;
  • Barreiras de isolamento para vizinhos não orgânicos;
  • Maior demanda de mão de obra;
  • Menor produtividade e a escala de produção;
  • Baixa oferta no mercado;
  • Assistência técnica deficiente ou inexistente.

Mesmo com esses desafios para o agricultor, os consumidores brasileiros têm se mostrado cada vez mais dispostos a investir mais nos produtos orgânicos. Com isso, cada vez mais agricultores estão se sentindo motivados a começar um sistema de produção orgânica.

Por onde começar?

Os requisitos para começar a produzir produtos orgânicos no Brasil:

Para que um agricultor comercialize seus produtos no Brasil como “orgânico”, a produção deve ser regularizada obtendo-se uma certificação por um Organismo da Avaliação da Conformidade Orgânica (OAC) credenciado no MAPA ou ainda realizar a venda indireta sem certificação cadastrando-se junto ao MAPA. Além disso, o sucesso da transição do sistema de produção convencional para orgânico depende de um bom Plano de Manejo Orgânico (PMO) e a prospecção de insumos eficientes e aprovado para a agricultura orgânica.

Assim, o agricultor pode dar seus primeiros passos em direção a uma produção mais sustentável de alimentos orgânicos que contribuem para a saúde das pessoas e do planeta.

Você está interessado em transformar sua produção em uma produção orgânica? Procure informações com produtores orgânicos, pesquise quais produtos seriam mais indicados para a sua região e se estão adequados ao solo de sua propriedade. Lembre-se de que os produtos orgânicos são mais valorizados, mas dependem de vários manejos exigidos por lei para a certificação da sua produção! Boa sorte!

Leia também:

Agrofloresta e café orgânico – Sistema reduz em 87% o custo com adubação

Adubo orgânico com esterco de galinha

Critérios para a produção de leite orgânico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *