CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Produção cafeeira gerenciada por mulheres

O café brasileiro conquistou o primeiro lugar no prestigiado Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy 2023, com destaque para a São Mateus Agropecuária. O país foi reconhecido com o prêmio “Best of the Best”, conferido a José Eduardo Dominicale durante a cerimônia realizada na New York Public Library. O prêmio é uma celebração do compromisso sustentável da illycaffè ao longo dos últimos 30 anos, trabalhando em parceria com produtores de café para oferecer o melhor café do mundo.

Minas tem o café “Best of the Best” 2023

A São Mateus Agropecuária, com sede em Varjão de Minas, foi não apenas a vencedora regional do Cerrado Mineiro, mas também conquistou o primeiro lugar na premiação nacional. Eduardo Dominicale, CEO do Grupo BMG, um dos maiores conglomerados empresariais privados do país que detém a marca Guima Café, destacou o orgulho e a responsabilidade associados a essa conquista. Há 40 anos, o fundador do Grupo BMG e do Guima Café, Flávio Pentagna Guimarães investiu em suas primeiras lavouras de café na região do Cerrado Mineiro. A fazenda, que iniciou sua parceria com a illy em 2008, tem sua trajetória focada em melhorias contínuas, profissionalização da equipe e, nos últimos 15 anos, uma transição para a produção de cafés especiais. O lote premiado é da cultivar MGS Paraíso 2, desenvolvido pelo Programa de Melhoramento Genético do Cafeeiro da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

Cafezal da São Mateus Agropecuária
Cafezal da São Mateus Agropecuária
Plantas de cobertura de solo transformaram a paisagem. Trigo mourisco florido e solo totalmente coberto
Plantas de cobertura de solo transformaram a paisagem. Trigo mourisco florido e solo totalmente coberto

Suas lavouras estão entre planícies e vales com altitudes médias de 1.030 metros e somam 1.300 hectares, com capacidade de produção anual de 35 mil sacas, sendo 70% da produção de café especial. O Guima é membro da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), certificado pela RainForest Alliance desde 2008, além do Certifica Minas, AAA da Nespresso e Café Practices. O Guima Café reforçou o compromisso com a produção sustentável tornando-se a quarta fazenda no mundo a receber a certificação britânica Regenagri® de cafeicultura regenerativa.

O olhar detalhista e a obstinação são características das mulheres que gerenciam o Guima Café. Ao lado delas, uma equipe diversa, com perfis complementares e valores alinhados, alinhando sempre na força da aprendizagem e na descoberta e implantação de novas técnicas. Uma gestão que inova sempre, com o apoio de todos os trabalhadores.

Fazenda dirigida por mulheres
Fazenda dirigida por mulheres
As mulheres dominam
As mulheres dominam

Segundo Eduardo Dominicale, a empresa fornece cafés especiais, produzidos de forma sustentável e alta qualidade para a illy, marca globalmente reconhecida e presente no mundo todo. Isso reforça um sentimento de grande responsabilidade com o processo produtivo, já que o produto final é consumido por milhares de pessoas.

As amostras de café de 27 produtores do Brasil, Costa Rica, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Honduras, Índia, Nicarágua e Ruanda foram avaliadas por nove jurados do mundo todo. Durante o ano, os laboratórios de qualidade da illycaffè analisaram as amostras da safra 2022/23 e selecionaram os melhores lotes e produtores. Os parâmetros usados são de qualidade e sustentabilidade da empresa.

O Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy celebra há mais de três décadas a colaboração com produtores de café. Há oito anos premia o “Best of the Best”, elegendo o melhor café com análise de especialistas, e o “Coffee Lovers’ Choice”, eleito por voto popular por meio de degustação às cegas em lojas da illy. O café do Cerrado Mineiro conquistou o “Best of the Best”, a principal categoria do concurso. Essa foi a primeira vez que os brasileiros receberam a qualificação. O título “Coffee Lovers” ficou com a Finca Danilandia de Luis Arimany Mondonico da Guatemala.

Luis Arimany Mondonico da Finca Danilandia, Guatemala e Eduardo Dominicale, CEO do Grupo BMG, Brasil, o grande vencedor
Luis Arimany Mondonico da Finca Danilandia, Guatemala e
Eduardo Dominicale, CEO do Grupo BMG, Brasil, o grande vencedor

Rigorosa avaliação dos especialistas

O prêmio foi decidido por um painel independente de nove especialistas que avaliaram lotes de café dos nove países finalistas. A São Mateus Agropecuária também foi reconhecida como a primeira colocada no Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso.

Andrea Illy, presidente da illycaffè, expressou sua alegria com a vitória do café brasileiro, destacando a trajetória do Prêmio Ernesto Illy que começou no Brasil em 1991. Ele enfatizou o papel crucial da agricultura regenerativa, implementada em 2018, como um ponto de virada para transformar o Brasil de líder em quantidade para líder em qualidade. “A vitória absoluta do café brasileiro proveniente da agricultura regenerativa – escolhido às cegas entre os nove melhores cafés do mundo – é motivo de muita alegria para mim”, afirmou o Presidente da illycaffè.

Andrea Illy, presidente da illycaffè
Andrea Illy, presidente da illycaffè

A competição foi mais do que uma avaliação de sabores. Durante a manhã, os participantes se reuniram para uma mesa redonda na sede das Nações Unidas, discutindo como proteger o futuro do café. A illycaffè, através de seu presidente Andrea Illy, juntou-se a outros especialistas, incluindo Vanusia Nogueira (Diretora Executiva da Organização Internacional do Café) e Jeffrey Sachs (economista e copresidente da Regenerative Society Foundation), para abordar questões cruciais para a indústria cafeeira.

O Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy continua a ser uma oportunidade única de networking e diálogo para todos os envolvidos na indústria do café, sublinhando não apenas a excelência do produto, mas também o compromisso com práticas sustentáveis e a proteção do futuro dessa commodity tão preciosa.

Leia também: