CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Agricultura FamiliarCapacitaçãoCiência e TecnologiaGestão, Mercado e Economia

Problemas de casco – Saiba como evitar

Bovino com cascos bem tratados

Um dos principais fatores que contribuem para a diminuição da produtividade e rentabilidade nas fazendas de gado leiteiro está relacionado a problemas/doenças nos cascos dos animais

Nos sistemas de produção de leite intensivo, as vacas são estabuladas em baias livres (free stall) ou em compost barn.

Isto faz com que elas caminhem por longos trechos sobre pisos de concreto ásperos e duros. Esse impacto causa enfermidades podais, ferimentos, dores e incômodo. E este mal-estar pode reduzir sua produtividade.

Estes problemas também podem levar os animais a não se alimentarem corretamente, o que pode, inclusive, mudar o seu comportamento.

Vamos ver algumas das questões que comprometem o bem-estar animal e a perda de produtividade:

Mais problemas, menos produção

Com a perda de apetite, os animais ficam desnutridos e perdem condição corporal, o que afete diretamente a produção leiteira.

Propensão à ocorrência da mastite

As vacas com lesões passam a maior parte do tempo deitadas em locais inadequados, o que aumenta fator de risco para ocorrência da mastite.

Limpeza no estábulo

Reprodução prejudicada

Animais com problemas de casco não realizam a monta, o que prejudica a identificação do cio. A concepção em animais claudicantes é menor.

Maiores gastos

Para tratar seus animais com problemas de cascos, os produtores precisam arcar com medicamentos caros, descarte de leite com resíduos medicamentosos, contratação de mão de obra especializada e de rotina.

Descartes indesejados

Os problemas de cascos podem diminuir a longevidade dos animais e até levar a descartes precoces devido a complicações das lesões.

Vamos saber o que pode ser feito para combater estes problemas?

Piso emborrachado

Pisos de borracha em áreas estratégicas

Coloque pisos de borracha e/ou piso emborrachado por onde seu rebanho se movimenta, como corredores de acesso e sala de ordenha, sala de espera e na frente dos comedouros.

Os pisos de borracha além de serem macios, são flexíveis e antiderrapantes, o que oferece total segurança às vacas.

Higiene dos estábulos

Evite o acúmulo de material orgânico e umidade, propiciando um ambiente limpo, seco e higiênico para as vacas.

Limpeza e desinfecção

Evite movimentar seu rebanho em locais íngremes

Terrenos pedregosos e íngremes ou com muito barro favorecem o desenvolvimento de lesões, especialmente se os aprumos dos membros locomotores, mais especificamente do casco, não estiverem corretos.

Invista em lava-pés

A instalação de um lava-pés, com água, na entrada da sala de ordenha, ajuda a remover impurezas dos cascos dos animais e melhora a higiene do local.

Invista em um pedilúvio

Instalar um pedilúvio na saída da sala de ordenha (banho de pés com substâncias antissépticas) é importante para reduzir os microrganismos nos cascos. As mais utilizadas são formol e o sulfato de cobre.

Vaca no pedilúvio

O formol, utilizado na proporção de 2% a 5% mata as bactérias e torna o casco mais endurecido, conferindo maior resistência. Já o sulfato de cobre é um excelente germicida, sendo indicado na porcentagem de 3%. O ideal é alternar o uso das duas substâncias.

A construção do pedilúvio deve dispor de 2,0 m a 2,5 m de comprimento, 0,7 m de largura e 0,3 m de profundidade. A lâmina d’água deve ter a altura de 0,15m, para não ultrapassar a coroa do casco dos animais. O fundo precisa ser equipado com um bom piso de borracha e tanto a saída quanto a entrada do pedilúvio devem ter inclinação de 10 a 20 graus.

Casqueamento

Casqueamento

Isso deve ser feito a cada seis meses para remover excessos de tecidos córneos dos cascos, evitando que os animais pisem de maneira incorreta e lesionem as estruturas dos cascos. Também é recomendado para a correção dos aprumos, reduzindo a incidência das afecções podais pelo desequilíbrio durante o apoio.

Manejo alimentar

Oferecer às vacas um adequado manejo alimentar minimiza o aparecimento de ácido ruminal subaguda, responsável pelo alto índice de laminite. Consulte um veterinário ou zootecnista para obter orientações.

Vacas estabuladas em sistema de compost barn

Tratamento para problemas de cascos

Atente-se ao seu rebanho e caso note problemas de cascos, consulte um médico veterinário para fazer uma correta avaliação e propor medicamentos necessários.

Como medida imediata, você pode utilizar barbatimão, poderoso medicamento fitoterápico cicatrizante das lesões podais.  

Não se esqueça! O melhor remédio é a prevenção.

Leia também:

Garantindo eficiência na nutrição na produção leiteira

Otimizando a produção no pico de leite

Difusão de conhecimento sobre qualidade do leite no Vale do Paraíba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *