CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 30-03 a 05-04-2024

Relatório de inspeção do greening atinge o melhor índice dos últimos 20 anos

Segundo a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), a entrega do relatório Cancro/HLB (greening) chegou ao fim no dia 15 de janeiro e segundo dados do sistema informatizado de Gestão Animal e Vegetal (GEDAVE), na ocasião, 96,6% do setor da citricultura conseguiu atender o prazo de entrega do documento que relatava as vistorias realizadas entre 1º de julho e 31 de dezembro de 2023. Visando a sanidade do setor citrícola, a Defesa Agropecuária a partir de janeiro começou a acionar os inadimplentes para regularizarem suas situações, sendo possível saber a real situação desses pomares e para que a cultura dos citros no estado de São Paulo continue sendo uma referência nacional. As propriedades que entregaram relatório após o dia 15 de janeiro serão sorteadas e terão fiscalização in loco para conferência do manejo adequado. Com a publicação da Portaria MAPA nº 317, de 21 de maio de 2021, que institui o Programa Nacional de Prevenção e Controle ao HLB (PNCHLB), a eliminação de plantas sintomáticas passou a ser obrigatória apenas para pomares com idade inferior a oito anos, sendo que para os pomares acima desta idade, os produtores são obrigados apenas a realizar o controle eficiente do psilídeo. No estado de São Paulo, a entrega do relatório é obrigatória para todos os produtores, independente da idade das plantas e a entrega do 1° semestre de 2024 tem início nesta terça-feira, dia 2 de abril. A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) disponibiliza um canal para denúncias de pomares de citros abandonados ou mal manejados CLICANDO AQUI.

Texas e CDC afirmam que gripe aviária foi detectada em pessoa exposta a gado leiteiro

O Texas e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos relataram nesta semana um caso humano de gripe aviária em uma pessoa que teve contato com vacas leiteiras supostamente infectadas pelo vírus. É o segundo caso da cepa H5N1 da gripe aviária identificado em uma pessoa nos Estados Unidos. O CDC disse que esta infecção não altera a avaliação de risco para a saúde humana da gripe aviária H5N1 para o público em geral dos EUA, que considera baixa. A agência de saúde disse que as pessoas expostas a pássaros ou animais infectados ou a ambientes contaminados por eles correm maior risco de infecção. O único sintoma do paciente foi inflamação nos olhos, segundo a secretaria de saúde do estado.

Punhado de frutos de açaí nas mãos

“Ouro Negro” do Amazonas recebe selo de Indicação Geográfica

O açaí de Codajás recebeu o registro da 122ª Indicação Geográfica concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O novo título, na categoria Indicação de Procedência (IP), vai para a região de Codajás, no Amazonas, que ficou conhecida como centro de extração e produção de açaí. Na prática, o selo conquistado após quatro anos de trabalho em parceria com o Sebrae e demais organizações é um reconhecimento oficial de Indicação de Procedência concedido à região que se tornou conhecida em função das características únicas do seu açaí. O município de Codajás é denominado culturalmente como a “Terra do Açaí”. A região possui vegetação e clima favoráveis à produção, estando na lista dos maiores mercados nacionais do fruto. Essas características geram emprego e renda para cidade, que até 1938 consistia em uma aldeia indígena com o mesmo nome. Conhecido como “ouro negro” pelos moradores da região, o açaí de Codajás foi dominante no Amazonas nos anos de 2018, 2019, 2020 e 2021, movimentando mais de R$ 31 milhões na economia. Somente no município, 70% da população atua em atividades indiretas relacionadas à produção e escoamento do açaí e cerca de 600 produtores trabalham de forma direta com o produto.

Governo autoriza renegociação de dívidas rurais

O Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciou a autorização para a renegociação das dívidas do crédito rural de investimento com vencimento em 2024 para produtores de soja, milho e bovinocultura de leite em 16 estados da federação. A medida visa atender à necessidade dos agricultores diante dos desafios climáticos e da queda nos preços agropecuários. Os pedidos de renegociação devem ser feitos até 31 de maio deste ano. A solicitação para a prorrogação das dívidas foi uma das propostas apresentadas pelo Paraná no início de março, durante a formulação do Plano Safra 2024/25. O Conselho Monetário Nacional entendeu o quadro difícil pelo qual passa a agricultura em 2024 e tomou uma decisão importante, permitindo que as parcelas de dívidas de investimento, seja na pecuária bovina de corte, de leite, de soja e de milho, que vencem em 2024 sejam prorrogadas para o final do contrato, mantidas as condições originais de financiamento. Destaca-se também a crise enfrentada pela atividade leiteira devido ao aumento nas importações de leite em pó, o que tem levado à saída de produtores da atividade.

Brasil abriu 26 novos mercados em 2024

Em um trimestre marcado por conquistas históricas, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) registrou a abertura de 26 novos mercados em 18 países distintos. De acordo com os dados do Mapa, o mês de março liderou com a abertura de 10 novos mercados em sete países diferentes, seguido por fevereiro, que registrou sete mercados em seis nações, e janeiro, com nove mercados em cinco países distintos. Essa trajetória ascendente não apenas superou registros anteriores, mas também aponta para um horizonte promissor de expansão econômica para o setor. Desde o início de 2024, o Mapa tem estabelecido novos laços comerciais em diversos continentes, incluindo África, Ásia, Europa, Oceania e Américas. Entre os destaques estão a abertura de mercados na África do Sul, Egito, Arábia Saudita, Filipinas, Grã-Bretanha, Canadá, Estados Unidos e México, entre outros. Além das commodities tradicionais, como carnes e soja, os novos mercados abertos também abrangem uma ampla gama de produtos agropecuários, incluindo açaí em pó, sementes, gelatina e colágeno, ovos, produtos de reciclagem animal, café verde, entre outros.

Desperdício de alimentos

1 bilhão de refeições vão fora nos domicílios

Domicílios em todos os continentes têm sido culpados por desperdiçar mais de 1 bilhão de refeições diariamente no ano de 2022, conforme revelado por um relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Enquanto isso, 783 milhões de pessoas foram afligidas pela fome e um terço da população mundial enfrentou insegurança alimentar no mesmo período. O impacto do desperdício de alimentos transcende a questão da fome, afetando significativamente a economia global e contribuindo para as mudanças climáticas, perda de biodiversidade e poluição ambiental. Medir o desperdício alimentar permite aos países compreender a magnitude do problema, revelando assim a dimensão da oportunidade, ao mesmo tempo que estabelece uma base para acompanhar o progresso. Os dados alarmantes do relatório divulgado inclui também partes não comestíveis. Isso equivale a uma média de 132 quilos por pessoa, representando quase um quinto de todos os alimentos disponíveis para os consumidores.

Vendas de máquinas agrícolas devem voltar a crescer em 2025

O mercado de máquinas agrícolas deve retomar o caminho do crescimento em 2025, segundo a avaliação da Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos Agrícolas (CSMIA) da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Para a instituição, não deve ter seca e os juros serão menores, condições importantes para a decisão de compra do produtor. As indústrias não foram pegas de surpresa pela queda nas vendas, iniciada no ano passado e que chegou a quase 30% no primeiro bimestre deste ano. No ano passado, foram comercializadas 68.988 unidades no período, sendo 61.018 destinadas ao mercado interno e o restante (7.970) para exportação. A queda em relação a 2022 foi de 13,6%. A Abimaq prevê que as vendas devem ser pelo menos 15% menores ainda em 2024 em relação ao ano passado. A segunda safra está indo bem e a perspectiva de um Plano Safra com juros de 8% melhora as possibilidades de compra no segundo semestre.

Mapa quer turbinar orçamento do setor em R$ 10 bi

Sem fórmula mágica para baratear os preços dos alimentos rapidamente, mas certo de que o movimento sazonal de alta nas cotações de alguns produtos vai passar em breve, a Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura afirma que o remédio para o tema que preocupa o Planalto é turbinar o orçamento da área. Com mais recursos em caixa, a pasta quer fomentar ações de comercialização dos produtos agrícolas, como o lançamento de contratos de opção aos agricultores, e reforçar a verba destinada à equalização de juros do Plano Safra 2024/25 para incentivar o plantio de culturas como arroz, feijão, milho e trigo, aumentar a oferta dos alimentos a nível nacional e segurar os preços aos consumidores. A intenção é de aumentar em R$ 10 bilhões o orçamento para comercialização e equalização de juros. Isso poderia gerar um impacto forte na economia do país, pois não é um gasto e sim um investimento que devolve muitos recursos posteriormente.

Colheita do pinhão
Colheita do pinhão

Santa Catarina deve colher 30% mais pinhão em 2024

Segundo a Epagri, o estado de Santa Catarina deve colher 30% mais pinhão em 2024, com 5,7 mil toneladas. A colheita da semente se iniciou em 1º de abril e vai até julho. Apesar do crescimento, a avaliação dos pesquisadores é de que o volume não é expressivo dado que a produção no ano passado foi muito baixa. A suspeita é de que o clima dos últimos três anos tenha interferido na produtividade das araucárias, árvore que dá origem ao alimento, já que o pinhão leva 32 meses pra atingir a maturação plena.

Juros atuais espantam investimento no agro

A estratégia de aumentar a oferta e o abastecimento de alguns produtos da cesta básica brasileira, como arroz, feijão, milho e trigo, e de baratear os preços desses itens aos consumidores também passa pela redução dos juros no Plano Safra 2024/25 e pelo direcionamento de recursos para atividades específicas. O governo pretende apresentar um Plano Safra mais direcionado para algumas culturas, bem como financiar calcário e fósforo para fazer perfil de solo, que diminui risco na questão da seca e aumenta a produtividade, com juros baratos. O objetivo também é fortalecer o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro), linha acessada por avicultores e suinocultores para a incorporação de tecnologia nas propriedades. Avalia-se juros com teto de 8% para grandes produtores em operações de custeio e comercialização, de 6% para médios e 4,5% para pequenos.

El Salvador abre mercado para ovos e carne de aves do Brasil

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) informou que o governo de El Salvador autorizou o Brasil a exportar ovos e carne de aves ao país. Com os novos anúncios, este é o terceiro mercado aberto para o país da América Central neste ano. No início do mês, houve aprovação para a exportação de gelatina e colágeno originados de peles bovina, suína e de outros ruminantes. As exportações agrícolas para El Salvador somaram US$ 137 milhões em 2023. Os principais itens embarcados foram cereais e produtos florestais.

Abril Vermelho

MST promete novas ocupações em novo Abril Vermelho

No cenário agrário brasileiro, o mês de abril é frequentemente marcado por intensas atividades e manifestações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Este ano, não vai ser diferente, com o movimento prometendo novas ocupações de terra em diversas regiões do país. As ações planejadas pelo movimento têm o objetivo de alertar as autoridades sobre o direito à terra, reforma agrária e desigualdade social. João Pedro Stédile, um dos líderes do MST, reiterou o compromisso do movimento com a luta pela distribuição de terras no Brasil. O Abril Vermelho é um momento de resistência e de reivindicação dos trabalhadores rurais sem terra que estão preparados para intensificar as ações e ocupações de terra como forma de pressionar o governo a implementar políticas efetivas de reforma agrária.

Vem aí o maior Plano Safra da história do Brasil

O MAPA anunciou planos audaciosos para o futuro do agronegócio brasileiro. Entre os vários temas que vêm sendo discutidos na pasta, destaca-se a perspectiva de lançamento do maior Plano Safra da história do Brasil. Medidas que estão sendo planejadas para impulsionar ainda mais o setor agrícola do país e o ministério está empenhado em lançar um Plano Safra que não apenas atenda, mas supere as demandas crescentes dos produtores. A pasta tem o compromisso de trabalhar em colaboração com a sociedade civil organizada e outras instituições do setor e está ouvindo atentamente as necessidades e sugestões dos produtores e cooperativas para garantir que o Plano Safra seja uma ferramenta verdadeiramente eficaz para impulsionar o agronegócio nacional. O governo está planejando uma série de medidas abrangentes para fortalecer o setor agrícola brasileiro, entre elas, estão iniciativas para ampliar o acesso ao seguro rural, modernizar o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e aumentar os recursos para subvenção.

Governo federal cria Dia Nacional da Agricultura Irrigada

O Governo Federal instituiu 15 de Junho como o Dia Nacional da Agricultura Irrigada. O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, sem vetos, a Lei 14.830, de 27 de março de 2024, que cria o Dia Nacional da Agricultura Irrigada. Aprovada pelo Senado em fevereiro, a nova legislação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU). A data será comemorada anualmente e entre as atividades comemorativas sugeridas pela lei estão exposições, seminários, palestras e outros eventos ou ações que contribuam para a divulgação e para a valorização da agricultura irrigada. O projeto original (PL 2.975/2021) foi apresentado na Câmara dos Deputados pelo deputado mineiro Zé Vitor (PL-MG). No Senado, o texto foi aprovado pela Comissão de Agricultura (CRA) em 21 de fevereiro com parecer favorável do relator, senador Jayme Campos (União-MT).

A "máquina tudo em um", a Nexat, é muito mais do que um simples equipamento agrícola. É um sistema holístico completo de produção, que integra todas as etapas de trabalho em uma única plataforma
A “máquina tudo em um”, a Nexat, é muito mais do que um simples equipamento
agrícola. É um sistema holístico completo de produção, que integra todas as etapas de
trabalho em uma única plataforma

Trator “faz tudo” terá fábrica no Brasil

No cenário agrícola global, um nome tem ganhado destaque: Nexat System Tractor. Trata-se de um trator revolucionário, concebido pelos engenheiros mecânicos Klemens e Felix Kalverkamp, que promete transformar a maneira como a agricultura é realizada. Este trator, apelidado de “máquina-monstro” devido ao seu porte impressionante, não apenas chama atenção pelo seu tamanho, mas também pela sua capacidade de realizar uma ampla gama de tarefas agrícolas de forma integrada. A Nexat surge como um conceito inovador de máquina agrícola, fruto do trabalho conjunto e da visão empreendedora. Com apenas 15 unidades em operação espalhadas por cinco países, incluindo o Brasil, essa máquina-monstro chamou a atenção do mundo não apenas pelo seu porte impressionante, mas também pelo potencial transformador que representa para os agricultores. Dotada de uma proposta revolucionária, a Nexat foi o destaque da Agritechnica, uma das maiores feiras de máquinas agrícolas do mundo, sediada em Hannover, na Alemanha. Além do interesse despertado pelo seu tamanho imponente e abordagem inovadora, a Nexat anunciou sua intenção de iniciar a produção em larga escala – com direito a fábrica no Brasil -, após receber um investimento do EW Group, conglomerado alemão com relevância global no setor agropecuário.

Governo federal renovará a emergência zoossanitária para gripe aviária

O Ministério da Agricultura renovará mais uma vez a Portaria Nº 587, de 22 de maio de 2023 que declara estado de emergência zoossanitária, em todo o território nacional, em virtude da continuidade de detecção de gripe aviária (influenza aviária H5N1 de alta patogenicidade (IAAP) no Brasil. O status de emergência sanitária foi declarado em portaria no Diário Oficial da União em 22 de maio de 2023 e posteriormente prorrogado por mais 180 dias em 6 de novembro. Ele tem vigência até 3 de maio. Até o momento, o Brasil possui 160 casos de gripe aviária, sendo 157 em animais silvestres e três em aves de fundo de quintal, segundo dados da plataforma oficial de monitoramento da doença. É considerado período crítico para propagação da doença até o fim de maio em virtude das rotas migratórias das aves.

Setor de inoculantes biológicos cresce em média 16,4% ao ano

Dados da Associação Nacional de Produtores e Importadores de Inoculantes (ANPII) mostram que o setor de inoculantes biológicos no Brasil é bastante expressivo e segue em crescimento ano após ano. O setor faturou R$ 441 milhões em 2023, com crescimento médio de 16,4% ao ano, ao considerar o período de 2020 à 2023, acumulando um crescimento de 50,3% em 4 anos. Para 2024, a estimativa de crescimento é ainda maior, chegado a 17,3% em relação ao período anterior. Uma união de fatores faz o setor de insumos biológicos ser tão promissor, tornando inclusive o Brasil o país que mais utiliza biológicos no mundo, sendo líder global na utilização desse tipo de tecnologia sustentável. Nesse contexto pode-se destacar a existência atualmente de uma preocupação muito grande com a sustentabilidade e também com uma alimentação mais saudável. Esses produtos impactam menos o meio ambiente, ao passo que fornecem a mesma qualidade que se tinha antigamente com produtos químicos, só que de forma muito menos agressiva. Estima-se que, até 2029, o país alcançará uma impressionante participação de 59% no market share de vendas desses produtos dentro da América Latina. O crescimento é ainda mais notável quando comparado ao mercado convencional, com o setor de produtos biológicos expandindo-se duas vezes mais rapidamente, e no Brasil, quatro vezes mais rápido.