CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 10 a 16-02-2024

Mercado de lã enfrenta dificuldades

Na região de Bagé, mesmo com chuvas esparsas e localizadas ao longo da semana, os produtores de ovinos foram favorecidos pela precipitação. De acordo com a Emater/RS, no entanto, as principais dificuldades enfrentadas continuam sendo a falta de mercado para a lã e a comercialização dos ovinos gordos. Por outro lado, em Pelotas, a ausência de chuvas significativas contribuiu para a redução da incidência de bicheira nos cascos dos ovinos, permitindo também a regularização da atividade de esquila nos rebanhos que ainda não haviam passado por esse processo. Em alguns casos, o período de monta já foi concluído, com a realização de repasses nos carneiros. Na região de Santa Maria, o controle periódico de verminoses tem mantido os animais em condições nutricionais e sanitárias adequadas. Em Santa Rosa, os cuidados com os manejos sanitários nos rebanhos ovinos são contínuos. Já em Soledade, embora o rebanho ovino esteja em bom estado nutricional de maneira geral, áreas afetadas pela escassez de água têm apresentado perda de peso nos animais. Sobre a comercialização, segundo o levantamento semanal realizado pela Emater/RS no estado, o preço médio do cordeiro teve um aumento de 3,17%, passando de R$ 7,25/kg vivo para R$ 7,48/kg vivo.

Medida de auxílio a produtores vai renegociar dívidas

Novas medidas emergenciais para auxiliar agricultores familiares das regiões nordeste e norte de Minas Gerais foram anunciadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, em conjunto com o Conselho Monetário Nacional (CMN). A resolução aprovada prevê uma linha de crédito especial destinada ao custeio pecuário, com potencial para atender 130 mil produtores nessas áreas afetadas. Além disso, a renegociação de dívidas de custeio e investimentos, poderá beneficiar até 586 mil contratos, totalizando cerca de R$ 8,2 bilhões em débitos. As medidas visam mitigar os impactos da seca, comum nesses territórios, e serão operacionalizadas pelo Banco do Nordeste (BNB), utilizando recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O crédito de custeio pecuário terá variação de R$ 10 mil a R$ 80 mil, com taxas de juros entre 0,5% e 8,01% ao ano, e prazo de pagamento de cinco anos, incluindo uma carência de 12 meses. No que diz respeito à renegociação, o governo autorizou a quitação de até 100% das dívidas para todos os agricultores que acessaram crédito através do FNE pelo Banco do Nordeste, e que possuam parcelas vencidas e vincendas entre julho de 2023 e dezembro de 2024. Essas condições são direcionadas para empreendimentos que sofreram prejuízos devido à seca ou estiagem, especialmente em municípios sob a área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Touro Santa Gertrudis Justus da Taquari
Touro Santa Gertrudis Justus da Taquari

Morre touro que revolucionou a raça Santa Gertrudis no Brasil

Nesta semana, o Grupo CRV comunicou o falecimento de Justus da Taquari, reprodutor da raça santa gertrudis que estava prestes a completar 12 anos de vida. Nascido em 11/05/2013 na Fazenda Taquari, em Paranapanema, interior de São Paulo, do criador Henricus J. Beckers, Justus era destaque na bateria de corte europeu na Central CRV, com uma notável produção de mais de 60 mil doses de sêmen. Era uma animal moderno com linhagem que unia a África do Sul à sua terra natal brasileira, Justus era reconhecido por sua excelência na prova de ganho de peso do IZ de Sertãozinho. Profundo, arqueado, precoce, com ótimo acabamento e rendimento de carcaça, ele se tornou uma opção versátil para gado puro e cruzamento industrial, com indicação para uso em cima de F1, fazendo um excelente tricross. Justus representou um marco na nova geração da raça, refletindo o sucesso do trabalho de melhoramento genético. Tudo que o mercado de carne de qualidade preconiza, um touro altamente moderno e morfologicamente espetacular.

Com novos focos, gripe aviária chega a 154 casos

Até o dia de hoje pela manhã, o painel de dados para consulta online disponibilizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) contabilizava 154 focos de influenza aviária de alta patogenicidade (H5N1) desde a primeira confirmação, ocorrida em 15 de maio de 2023. Os mais recentes casos de gripe aviária foram registrados em Macaé (RJ), no dia 9, atingindo um Trinta-réis boreal (Sterna hirundo), e em Rio Pardo (RS), no dia 10, em uma ave do tipo Caraúna (Plegadis chihi). Do total de casos, três são em aves de subsistência, cinco em animais marinhos e os demais em aves silvestres. O Mapa informou ainda que está investigando um caso suspeito da doença. Segue o alerta para que não recolham as aves que encontrarem doentes ou mortas e acionem o serviço veterinário mais próximo para evitar que a doença se espalhe. O Brasil permanece com status de livre da influenza aviária de alta patogenicidade segundo a Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) já que nenhum caso foi identificado em aves comerciais, do setor produtivo.

Índia e Singapura abrem portas para produtos brasileiros

A Índia aprovou a importação de açaí em pó do Brasil, enquanto Singapura abriu suas fronteiras para carnes e produtos cárneos de ovinos do Brasil. Essas aprovações, que incluem o modelo de Certificado Sanitário Internacional (CSI) proposto pelo Brasil, devem impulsionar o comércio bilateral e fortalecer os laços econômicos com esses importantes mercados asiáticos. No mercado de açaí, o Brasil se destaca como líder na produção e exportação de polpa, especialmente em forma de purê. Em 2023, as exportações de açaí em purê atingiram cerca de US$ 314 mil, com os Estados Unidos liderando como principal importador. Quanto ao mercado de carnes de ovinos, as exportações brasileiras movimentaram quase US$ 1 milhão no ano passado. A abertura de Singapura representa uma oportunidade significativa, considerando que o país importou cerca de US$ 26 milhões em cortes de carne de carneiro desossada congelada, principalmente da Austrália. A abertura do mercado de Singapura é ainda mais significativa devido ao acordo de pré-listagem estabelecido entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e a Agência de Alimentos de Singapura (SFA). Esse acordo confere às autoridades brasileiras a responsabilidade pela habilitação de frigoríficos para exportação, demonstrando a confiança de Singapura na qualidade do sistema sanitário brasileiro.

Vantagens dos bioestimulantes - Foto: Superbac
Vantagens dos bioestimulantes – Foto: Superbac

Mercado de bioestimulantes pode passar dos US$ 5 bilhões

De acordo com um relatório recentemente compilado pela Market.us, espera-se que o tamanho do mercado de bioestimulantes ultrapasse US$ 5,6 bilhões até 2033. Esse valor representa um aumento significativo em relação aos estimados US$ 2,7 bilhões em 2023. O crescimento previsto equivale a uma taxa composta de crescimento anual de 7,5% de 2024 a 2033. Segundo o relatório, o mercado de bioestimulantes tem experimentado um crescimento substancial, impulsionado pela transição global para a agricultura sustentável. Os agricultores estão progressivamente reconhecendo as vantagens da combinação de bioestimulantes com fertilizantes convencionais, motivados por regulamentações ambientais rigorosas. Esforços contínuos de pesquisa e desenvolvimento estão resultando em formulações inovadoras para aumentar a eficácia dos bioestimulantes, atendendo à crescente demanda por soluções ecologicamente corretas.

Governo egípcio tomou medida que fortalece a exportação de carnes do Brasil

O governo egípcio oficializou o reconhecimento da equivalência do sistema de inspeção brasileiro, promovendo o Brasil à categoria de “pre-listing” para a exportação de carne bovina, suína e de aves. Essa medida impacta positivamente pelo menos 30 frigoríficos que há mais de quatro anos aguardam a autorização para enviar seus produtos ao país africano. Anteriormente, a aprovação ou renovação da habilitação dos frigoríficos estava condicionada a auditorias presenciais realizadas pelas autoridades egípcias. Essa abordagem era dispendiosa para as empresas, sobrecarregava os auditores fiscais e restringia o número de plantas industriais autorizadas a exportar. Com o “pre-listing”, essa exigência foi eliminada, facilitando o processo para as empresas brasileiras interessadas em exportar para o Egito.

Brasil realiza a maior exportação de sêmen bovino para a Índia

A maior exportação de sêmen bovino do país para a Índia acaba de ser concretizada. A Alta, líder mundial no mercado de melhoramento genético bovino, realiza a maior exportação de sêmen bovino do Brasil para a Índia, considerado o maior produtor mundial de leite. Foram exportadas 40 mil doses da raça Gir Leiteiro para Mumbai, na costa oeste indiana, coletadas de quatro touros da Alta: Ivã de Brasília, Haroldo Genipapo, Espetáculo e Trovão Santa Edwiges. A iniciativa marca uma significativa abertura de mercado para o comércio exterior do Brasil, comprovando a qualidade genética dos animais desenvolvidos.

Barco de pesca

1.515 embarcações estão habilitadas ao subsídio do óleo diesel

O Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) publicou a lista com 1.515 embarcações pesqueiras habilitadas ao Programa de Subvenção Econômica ao Preço do Óleo Diesel em 2024. A medida assegura aos habilitados a isenção integral do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no momento da aquisição do óleo diesel. A Portaria 190, de 5 de fevereiro de 2024, altera a Portaria 168, de 12 de dezembro de 2023, habilitando mais 172 embarcações após o período de recurso administrativo. Além disso, foram credenciadas 57 empresas fornecedoras de óleo diesel. A Lei Orçamentária Anual disponibilizada para o auxílio econômico ao preço do óleo diesel R$ 4.549.993,00, sendo que estão contingenciados R$ 993.989,00. Assim, o valor disponível para 2024 é de R$ 3.616.004,00. Como destaca o MPA, além de assegurar aos habilitados a isenção integral do ICMS, o governo federal oferecerá auxílio pecuniário de até 25% do faturamento do óleo diesel na refinaria.

Maior fabricante de tratores do mundo vai instalar fábrica no Brasil

A Mahindra, empresa indiana fabricante de automóveis, máquinas agrícolas e uma das maiores fabricantes mundiais de tratores, colocou em curso um plano de expansão global. O planejamento inclui o mercado brasileiro, onde a empresa já opera há seis anos e conta com instalações para a montagem de equipamentos em Dois Irmãos (RS) e em Canoas (RS). A unidade ficará às margens da rodovia RS-239 em Araricá, no Vale do Sinos. A previsão é de que o investimento parta de R$ 100 milhões, com geração de mais de 400 postos de trabalho. O objetivo da multinacional é triplicar sua capacidade de produção atual no Rio Grande do Sul. Anualmente, mais de 3 mil unidades dos tratores Mahindra são vendidas no Brasil. Num período pequeno de presença, a marca já alcança 5% de participação de mercado.

Minas Gerais é o primeiro no ranking de florestas plantadas

Minas Gerais ocupa a primeira posição no ranking de florestas plantadas do Brasil com 2,3 milhões de hectares. A liderança dos plantios mineiros representa 24% de toda a base florestal do Brasil. Isso representa quase o dobro da área plantada no estado de São Paulo, o segundo colocado no ranking com 1.2 milhão de hectares. Os dados fazem parte de um levantamento inédito realizado pela Associação Mineira da Indústria Florestal (Amif) em parceria com a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) e outras associações estaduais representativas do setor. Com relação a árvores conservadas, são cerca de 1,3 milhões de hectares no estado e 803 municípios mineiros têm plantio florestal, o que representa 94% das cidades de Minas Gerais. Com relação ao plantio de árvores em território mineiro, 96,8% são de eucaliptos.

O azeite premiado

Minas tem o melhor azeite do Brasil e o 16º do mundo

O azeite mineiro Blend da Safra, da Orfeu Azeites Especiais, está entre os melhores do mundo, ocupando a 16ª posição no EVOO World Ranking, o melhor entre os brasileiros. O azeite produzido na Fazenda Rainha, localizada nas montanhas da região sul de Minas Gerais, conquistou 22 prêmios no ano passado. Esse desempenho nos concursos internacionais realizados ao longo do ano foi o principal fator que contribuiu para esse resultado no ranking dos melhores azeites extra virgens do mundo, superando mais de 500 concorrentes de diferentes países. Além do mineiro Blend da Safra, o Brasil também contou com outros seis azeites entre os 100 melhores do mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *