CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Produtor com um punhado de silagem nas mãos

Técnica das mais utilizadas na agropecuária, principalmente quando se trata da criação de bovinos, é o processo de ensilagem. Aplicado na alimentação de ruminantes em épocas de escassez de forragem, o processo tem se tornado cada vez mais uma alternativa interessante para o sucesso da bovinocultura. Destaca-se como uma estratégia para assegurar uma alimentação animal equilibrada ao longo do ano.

A ensilagem é o nome dado à prática de armazenamento de grandes quantidades forragem, estocadas em estruturas denominadas silos, onde passam por um processo de fermentação anaeróbica, eliminando a possibilidade de perda de nutrientes, que por sua vez servem de alimento para os animais, principalmente o gado bovino. O processo permite que grandes quantidades de forragem sejam armazenadas sem perda de nutrientes. A técnica pode ser empregada para alimentar tanto para o gado de corte, quanto para o gado leiteiro.

Normalmente é usada em momentos em que a oferta de forragem para pastejo diminui, contornando a sazonalidade de produção de pastagem durante o ano, em função do clima, pluviosidade, temperatura. Esses períodos são bem característicos na seca e nas transições das estações, porém a silagem pode ser usada também em outras situações como em confinamentos de bovinos de corte e leite, na qual ela vai servir como base da alimentação desses animais durante longos períodos.

Animais de leite se alimentando de silagem
Animais de leite se alimentando de silagem

Hoje, as principais culturas que podem ser ensiladas são: milho, sorgo, cana de açúcar, milheto, azevém, aveia, trigo e capim elefante. Cada forragem possui características que devem ser levadas em consideração no momento da confecção da silagem. Entretanto, a que é mais utilizada no mundo é o milho, por aliar característica de alta produção de massa verde e alto valor energético (amido).

O processo de silagem não é uma armazenagem simples, tendo em vista que o intuito é manter a forragem com qualidade nutritiva e de consumo, evitando doenças e outros problemas de saúde para o gado. Para fazer isso, o mais importante é o controle de fermentação, que depende de fatores desde a plantação até a colheita e o corte dos grãos.

A principal vantagem da silagem para os produtores é a capacidade de fornecer uma nutrição equilibrada ao longo do ano. Isso é essencial para manter a saúde e o peso adequado do rebanho, influenciando diretamente na produção de leite e na qualidade da carne.

Colheita mecânica de capim para produção de silagem
Colheita mecânica de capim para produção de silagem

Tipos de silagem

-Silagem de superfície: forragem armazenada em local preparado acima do solo.
-Silagem em sacos: a fermentação ocorre já dentro dos sacos, que também podem ser utilizados para transporte.
-Silagem em trincheiras: forragem armazenada em trincheiras preparadas abaixo do nível do solo.

Os silos mais utilizados para produção de silagem para o gado são os horizontais, geralmente de trincheira ou de superfície. Esses silos precisam ser construídos próximo ao local de alimentação do gado, diminuindo custos com relação ao transporte.

Pontos importantes de uma boa silagem

O processo de silagem pode contribuir para diversos benefícios nutricionais aos animais, dependendo da forragem utilizada na criação. A silagem de milho, por exemplo, contribui como fonte de energia e fibra e dependendo do objetivo produtivo e a categoria de animal que será suplementado pode se optar por diferentes forragens a serem ensiladas, ou seja, elas podem ser mais energéticas ou mais proteicas, mas essencialmente são uma boa fonte de fibra.

Outro ponto importante é a flexibilidade que a silagem pode oferecer aos produtores. Ela possibilita o ajuste constante da dieta dos animais, conforme suas necessidades específicas, seja para gado de corte ou para produção leiteira. Além disso, o processo de ensilagem ajuda a minimizar o desperdício de alimentos, pois a fermentação preserva os nutrientes, evitando a deterioração das plantas.

Silo trincheira sendo preenchido e o material em processo de compactação
Silo trincheira sendo preenchido e o material em processo de compactação

O processo

Tão importante quanto investir na infraestrutura dos silos é saber como fazer esse processo da maneira adequada. Se armazenada do jeito errado, a forragem perde seu valor nutricional e pode até mesmo estragar dentro dos silos, causando prejuízos ao produtor.

O processo de ensilagem consiste em alguns passos que precisam ser seguidos:

-Colheita dos grãos feita no momento ideal, com matéria seca em torno de 33%;
-Trituração dos grãos no tamanho indicado (variando de acordo com o grão, de 5 mm a 10 mm);
-Compactação da forragem (com maquinário próprio);
-Vedação do silo (em lonas ou sacos, de acordo com o formato);
-Controle da fermentação;
-Após a fermentação, coloca-se para consumo animal.

O controle da fermentação da forragem é o mais importante do processo de ensilagem, pois é o que controla também a qualidade da ferragem. Esse processo se inicia desde o corte e da picagem, por isso é preciso acompanhar de perto todos os passos, para garantir o valor nutricional e evitar que a forragem estrague.

Silagem em silos bolsa
Silagem em silos bolsa

As fases de fermentação para ensilagem são:

-Fase de atividade enzimática: logo após a colheita e o corte, quando os vegetais continuam com o processo de respiração e fazem a degradação oxidativa de açúcares.
-Fase aeróbia: a respiração das células do vegetal continua, mantendo os níveis de oxigênio e o pH elevado. Isso leva à perda de açúcares e à redução do valor energético da forragem.
-Fase anaeróbia (fermentação): inicia-se a multiplicação de microrganismos anaeróbios (que não precisam de oxigênio), inclusive de bactérias homoláticas (ácido láctico), imprescindíveis para o armazenamento de forragem. Abaixam o pH e estabilizam a silagem, evitando fungos e outros problemas.
-Fase de estabilização: é quando o pH já está baixo. Pode haver liberação de açúcares e ter atividade biológica, mas, se entrar oxigênio, pode levar ao surgimento e mofos e leveduras. Por isso, é um dos passos que mais exige acompanhamento.
-Compactação e vedação do silo: antes de vedar o armazenamento, é preciso compactar a forragem, tirando as camadas de ar que ficam entre eles. O valor ideal é uma densidade de 700 kg/m³ a 750 kg/m³. A vedação é o mais importante. É preciso realizar de maneira rápida e completa, retirando todo o oxigênio de dentro do silo.

O silo deve ser milimetricamente fechado para evitar e/ou diminuir a entrada de oxigênio que acelera o processo de deterioração. Devemos nos atentar no processo de compactação, umidade e contaminação por oxigênio e água após o fechamento no silo. Em condições ideais, o silo pode ser guardado por mais ou menos 24 meses.

Silagem pronta para o consumo
Silagem pronta para o consumo

O uso da silagem pode ser feito de maneira estratégica na alimentação animal durante o período seco ou durante o ano todo, podendo ser usado na suplementação apenas do volumoso ou ser misturado a uma ração (dieta total). Isso irá depender da estratégia e do sistema de produção escolhido.

O produtor que deseja manter sua produtividade precisa estar atento também ao mercado de grãos e de forragem, encontrando maneiras de diminuir a variação de valores e manter uma sustentabilidade em seu negócio. Para isso, os silos e o processo de silagem são essenciais.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *