CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

A navegação no Rio Negro volta ao normal

Depois de registrar a maior seca dos últimos 121 anos, o Rio Negro voltou a subir em Manaus (AM) e já apresenta nível de normalidade para o período, alcançando na terça-feira (6) 21,46 metros. Trouxe consigo não apenas águas renovadoras, mas também um sopro de esperança para setores econômicos afetados. O período de estiagem, que isolou comunidades e fechou escolas na área rural da capital amazonense, deu lugar a uma nova realidade.

Em outubro do ano passado a cota do Rio Negro ficou abaixo de 13 metros pela primeira vez desde 1902, quando começaram as medições. O atual nível é quase o dobro do mais baixo, registrado em 26 de outubro de 2023, quando alcançou a cota histórica de 12,70 metros, segundo o Porto de Manaus.

Os principais rios do Amazonas já voltaram a subir e seguem apresentando níveis dentro da normalidade para o período, conforme o Serviço Geológico do Brasil (SGB). Apesar disso, os 62 municípios do estado ainda estão em situação de emergência por conta da seca.

O nível do Rio Negro voltou ao normal - Foto: Clóvis Miranda/Amazonastur
O nível do Rio Negro voltou ao normal – Foto: Clóvis Miranda/Amazonastur

A combinação dos efeitos do El Niño com o aquecimento global ainda pesa sobre os municípios do interior, onde no período mais severo predominou imagens de dos botos e milhares de peixes mortos no Lago Tefé. O lago em frente a cidade foi transformado em estrada, sendo atravessado de motocicleta.

A pesquisadora de geociências do SGB, Jussara Cury, destaca que, após a vazante severa que atingiu o estado, os níveis dos rios ficaram baixos e precisam de tempo para se recuperar, mas eles ainda estão sendo impactados pela pouca quantidade de chuvas durante o El Niño. O fenômeno afeta no acumulado de chuvas, que está abaixo do normal para o período. No momento Tabatinga, no Alto Solimões, está apresentando oscilações e até descidas. O mesmo ocorre na parte norte da bacia, como Alto Rio Negro e rio Branco, em Roraima, que estão em recessão e no caso de Boa Vista (capital de Roraima) com níveis baixos para o período.

A previsão para os próximos meses ainda é incerta. O SGB analisará as cotas dos rios em março, abril e maio para projetar como os níveis se comportarão este ano, indicando que apesar da atual melhoria, a recuperação completa da região ainda demandará tempo e esforço.

Leia também: