CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Agricultura FamiliarCapacitaçãoCiência e TecnologiaCriaçãoGastronomiaGestão, Mercado e EconomiaNotícias

Programa ajuda produtores a impulsionar negócios

A produtora rural Maria José vai adquirir um tratorito para ajudá-la na construção de novos canteiros e ampliar sua horta

No estado de Goiás, a grande maioria das famílias rurais sobrevivem com a renda obtida através de atividades desenvolvidas em sua propriedade. Para dar suporte e ajudar a ampliar esses empreendimento, o Governo Federal criou o Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais (Fomento Rural). A iniciativa oferece um incentivo financeiro de R$ 4,6 mil para o produtor investir em uma atividade produtiva.

O programa é executado pelos técnicos da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), que acompanha e auxilia os agricultores familiares a fazer o uso correto do benefício e aumentar sua renda. Milhares de famílias já tiveram sua vida transformada por meio do Fomento Rural. É o caso de Rosemary Alves, Janaína Moreira e Fernanda Soares.

Rosemary Alves investiu na avicultura
Rosemary Alves investiu na avicultura

Com o dinheiro recebido pelo programa, a Rosemary Alves, uma produtora rural que mora no assentamento Cíntia Peter, no município de Mambaí, decidiu investir na avicultura. Com a ajuda do seu esposo e assistência técnica da Emater, comprou pintinhos, ração e focou na criação de frango caipira para comercialização. A renda obtida com a venda dos animais é reinvestida no negócio para ampliar a produção e ainda auxilia nas despesas mensais da família.

O benefício também possibilitou que vidas fossem mudadas por meio da culinária. A Janaína Moreira e a Fernanda Soares, produtoras rurais de Alexânia, utilizaram o Fomento Rural para investir no ramo de confeitaria. Ambas aprenderam a atividade nos cursos de capacitação oferecidos pela Emater, e o dinheiro recebido foi utilizado para adquirir novos equipamentos e utensílios, melhorando a qualidade dos produtos e aumentando a produtividade.

Essas histórias representam a vida de milhares de produtores goianos assistidos pela Emater e beneficiados pelo programa. Em 2024, a equipe da empresa de extensão rural tem como meta inicial atender 1.600 famílias em 167 municípios, distribuídos nas 12 regionais. As famílias com perfil do programa receberão apoio técnico da Emater, desde a adesão até a execução do projeto produtivo, e o valor de R$ 4,6 mil do MDS para o desenvolvimento da atividade proposta.

É o caso da produtora rural Maria José que mora na Fazenda Santa Rosa, no município de Guaraíta. Em breve, com o benefício, ela vai adquirir um tratorito para ajudá-la na construção de novos canteiros para ampliar sua horta e aumentar sua renda.

O investimento em confeitaria deu certo
O investimento em confeitaria deu certo

O Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais (Programa Fomento Rural) combina duas ações: acompanhamento social e produtivo e transferência direta de recursos financeiros não-reembolsáveis, no valor de R$ 4,6 mil, para que as famílias rurais mais pobres desenvolvam seus projetos produtivos.

Com essa articulação entre apoio técnico e financeiro, espera-se que as famílias beneficiárias possam se estruturar ou ampliar sua capacidade produtiva, de modo a aumentar ou diversificar a produção de alimentos e as atividades geradoras de renda, contribuindo para a melhoria da segurança alimentar e nutricional e a superação da situação de pobreza. Até dezembro de 2023, mais de 300 mil famílias foram beneficiadas pelo programa, sendo a maioria nas regiões nordeste e norte.

As famílias são identificadas e mobilizadas por agentes das equipes técnicas de instituições parceiras, e, caso atendam aos critérios do programa, passam a receber visitas domiciliares periódicas a fim de acompanhar o desenvolvimento de seu projeto produtivo, no prazo de até 2 anos, a contar da data de liberação da primeira parcela. Cada família recebe um único benefício, em duas parcelas, sendo a primeira parcela (R$ 2,6 mil) logo quando inicia o projeto, e a segunda (R$ 2 mil) após um intervalo de pelo menos 3 meses, e de acordo com o acompanhamento do projeto em desenvolvimento.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *