CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 27-04 a 03-05-2024

Lançada a União Nacional das Cooperativas da Reforma Agrária

Durante o Encontro Nacional de Cooperativas das Áreas de Reforma Agrária em Luziânia, Goiás, foi oficialmente lançada a União Nacional das Cooperativas da Reforma Agrária Popular do Brasil (Unicrab). Este lançamento representa um passo significativo no fortalecimento do movimento de reforma agrária no país. A Unicrab surge com o objetivo de construir um modelo cooperativista robusto para combater a fome e a pobreza em todo o território nacional, proporcionando emprego, renda e soluções para promover a dignidade humana e a qualidade de vida. A iniciativa visa fortalecer e representar entidades e associações que promovem uma produção agrícola sustentável e agroecológica em rede nacional. A Unicrab foi concebida como uma rede permanente que engloba cooperativas e a sociedade civil organizada, representando os povos do campo e da cidade que produzem, acessam e se beneficiam das políticas públicas relacionadas à produção agrícola. As cooperativas da Reforma Agrária Popular, presentes em todas as regiões do Brasil, reconhecem a importância de uma entidade representativa em nível nacional para avançar em suas áreas de atuação. A Unicrab surge como uma voz política e institucional capaz de influenciar e contribuir para a construção de políticas públicas que promovam a formação, gestão e capacitação das cooperativas, além de atender às demandas coletivas de forma eficiente.

Importação de fertilizantes cai

As importações de fertilizantes no Brasil registraram uma queda significativa, o que causou preocupação no setor agrícola. Dados da GEP COSTDRIVERS, plataforma de análise de dados, indicam que as importações de nitrato de amônio (NA) da Rússia, um dos principais fornecedores do Brasil, atingiram zero em fevereiro deste ano. Esse cenário destaca a necessidade de maior atenção das áreas de compras em relação à disponibilidade de fertilizantes para o restante do ano. A produção nacional de fertilizantes tem se mantido praticamente estática desde os anos 2000, tornando o Brasil dependente das importações. O setor agrícola brasileiro é vulnerável às condições macroeconômicas globais e aos efeitos de conflitos geopolíticos. A guerra entre a Rússia e a Ucrânia, por exemplo, afetou a importação de fertilizantes, com aumentos nos preços e redução do volume importado em 2022. Em 2023, a situação parecia estabilizada, mas a escassez voltou a ser um problema em fevereiro, resultando em uma redução de 27,55% no volume total importado pelo Brasil entre janeiro e março deste ano, comparado ao mesmo período de 2022. No Oriente Médio, a situação também é preocupante. A importação de superfosfato simples (SSP) de Israel caiu 60,55% entre janeiro e março de 2024 em comparação com 2023, devido aos conflitos entre Israel e Palestina. Embora as importações de ureia do Irã permaneçam estáveis, o conflito entre Israel e Irã exige monitoramento cuidadoso.

Exportações de produtos da piscicultura brasileira no 1º trimestre de 2020 a 2024

Exportações aumentam 48% no trimestre inicial no setor piscícola

No primeiro trimestre de 2024, as exportações brasileiras da piscicultura aumentaram significativamente em valor e peso em comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com um boletim divulgado pela Embrapa Pesca e Aquicultura em colaboração com a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). O valor total das exportações atingiu US$ 8,73 milhões, o maior registrado para o período desde 2020, quando a Embrapa iniciou o monitoramento sistemático desse mercado. Embora ainda representem uma pequena parte da produção nacional, as exportações da piscicultura brasileira têm aumentado consistentemente nos últimos anos. O crescimento das exportações pode ser atribuído ao aumento da produção e profissionalização da cadeia de piscicultura, bem como à busca por diversificação dos canais de venda, incluindo o mercado internacional. Os filés frescos ou refrigerados foram a categoria mais exportada no primeiro trimestre, representando 65% do valor total movimentado, seguidos pelos peixes inteiros congelados, que contribuíram com 23%.

Cepa H5N1 da gripe aviária é encontrada no leite de vaca

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reportou a detecção da cepa do vírus da gripe aviária H5N1 em concentrações alarmantes no leite cru de animais infectados. A descoberta levanta preocupações sobre a possível disseminação do vírus através deste meio, enquanto ainda há incertezas sobre a sobrevivência do vírus no leite. A gripe aviária (H5N1) surgiu pela primeira vez em 1996, e desde então, o número de surtos em aves tem crescido exponencialmente, acompanhado por um aumento correspondente no contágio de mamíferos. A devastação causada pela estirpe é evidente, tendo levado à morte de dezenas de milhões de aves de criação, além de infectar aves selvagens e mamíferos terrestres e marinhos. Surpreendentemente, no mês passado, vacas e cabras foram adicionadas à lista de mamíferos infectados, o que pegou os especialistas de surpresa, já que não se considerava que esses animais fossem suscetíveis a esse tipo de gripe. O caso de uma pessoa que contraiu a gripe aviária após exposição ao gado em uma fazenda leiteira no Texas evidencia a transmissão da doença entre aves e mamíferos. Autoridades de saúde dos EUA confirmaram a transmissão do vírus de aves para vacas, entre vacas e até mesmo de vacas para aves durante os surtos atuais. Isso sugere que o vírus encontrou novas rotas de transmissão, desafiando o entendimento anterior.

MST ocupa sede do Incra em Alagoas

Membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocuparam a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Maceió (AL) nesta semana, em repúdio à nomeação de Junior Rodrigues do Nascimento como novo superintendente do órgão. A ocupação aconteceu após a exoneração de Wilson Cesar de Lira Santos, primo do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Nascimento, nomeado pelo governo federal, atuava como diretor-presidente da Naturagro, entidade que representa beneficiários da reforma agrária em Alagoas.

Unidade da Coopavel
Unidade da Coopavel

Cooperativa agrícola do Paraná é condenada por crime ambiental

A Cooperativa Agroindustrial de Cascavel (Coopavel) foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Paraná a pagar R$ 300 mil para custear programas e projetos ambientais na cidade. A decisão, publicada na última semana, resultou de uma ação penal proposta pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) em 2022. A condenação se baseia em uma análise técnica realizada pelo Instituto Água e Terra (IAT) em 31 de maio de 2019, que constatou a emissão de gases poluentes pela cooperativa 34,6% acima do limite legal. Segundo o MPPR, a empresa lançou resíduos gasosos no ar a partir de chaminés de caldeiras a lenha, causando poluição atmosférica. A Justiça condenou a Coopavel a pagar 12 dias-multa, totalizando quase R$ 180 mil, além da multa ambiental. A cooperativa recebeu uma multa com base em sua boa situação econômica e na vantagem econômica obtida com a atividade poluidora.

Japão financiará recuperação de pastagens brasileiras

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assinou convênio entre o Brasil e a Agência Internacional de Cooperação do Japão (Jica) para o Plano de Recuperação de Pastagens. Serão transferências de recursos com juros muito atrativos, entre 1,7% e 2,4% ao ano, com a variação cambial baseada em Iene japonês. O prazo de pagamento será entre 15 e 40 anos, com carência entre cinco e dez anos. A Jica ainda não divulgou os valores que serão aplicados na iniciativa. A expectativa do lado brasileiro é que sejam destinados até US$ 300 milhões para essa ação. O memorando assinado nesta sexta-feira ainda prevê a cooperação técnica da Jica, que definirá as regiões e as propriedades que serão alvo das ações para o desenvolvimento do programa, pesquisa, desenvolvimento e inovação, análise das pastagens degradadas, fatores de risco para a degradação, tecnologias que possam contribuir para o trabalho, entre outros itens.

ABAG lança cartilha que apresenta estratégias para melhorar conectividade em áreas rurais

A Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) lançou na Agrishow uma cartilha voltada a governantes e elaboradores de políticas públicas, com orientações para a ampliar a oferta de sinal de internet em áreas rurais. Melhorar a conectividade no campo é essencial para que agricultura e pecuária continuem avançando e acumulando ganhos em eficiência, precisão, rastreabilidade e sustentabilidade. Denominado “Como ampliar a conectividade rural na sua região”, o documento foi produzido com apoio de Vivo, Sonda e Grupo Innovatech, associadas da ABAG. O download da versão em PDF pode ser feito CLICANDO AQUI. As orientações da cartilha são resultado de discussões que envolveram empresas de telecomunicações, TI, governo e associados da ABAG, o que inclui empresas privadas, cooperativas, instituições de pesquisa e outras entidades setoriais.

Produção de ração para bovinos de corte deve crescer no Brasil em 2024
Produção de ração para bovinos de corte deve crescer no Brasil em 2024

Brasil ocupa terceira posição na produção mundial de ração

O Brasil fechou 2023 com crescimento de 1,84% na produção de ração animal, que atingiu 83,32 milhões de toneladas métricas (MMT), de acordo com o levantamento Perspectivas do Setor Agroalimentar 2024 (Alltech Agri-Food Outlook 2024), divulgado nesta semana no Brasil pela Alltech. Com acréscimo de 1,51 MMT em relação ao resultado de 2022, o Brasil liderou o aumento da produção na América Latina e segue em terceiro lugar no ranking mundial, ficando atrás de China e Estados Unidos, primeiro e segundo colocados, respectivamente. Já a produção global de ração ficou estável em 1,29 bilhão de toneladas métricas (BMT), uma ligeira queda de 140 mil toneladas métricas (MT) (-0,01%) em relação às estimativas de 2022. A 13ª edição da pesquisa anual incluiu dados de 142 países e mais de 27 mil fábricas de ração.

BNDES lança linha de crédito com juros compatíveis para repactuar dívida

O BNDES anunciou uma nova linha de crédito poderá ser usada para custeio, investimento, armazenagem, capital de giro e repactuação de dívidas, em dólar ou real. Medida foi destacada pelo ministro Carlos Fávaro na Agrishow. A CPR BNDES, criada para ampliar o apoio ao setor agropecuário, irá beneficiar micro, pequenos e médios produtores, além de cooperativas de agricultores com faturamento de até R$ 300 milhões por ano. Ainda, poderão ser beneficiadas empresas destes portes que exerçam a atividade de comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos, insumos, máquinas e implementos agrícolas, pecuários, florestais, aquícolas e extrativos. Com a iniciativa, o crédito próprio do BNDES para o agro brasileiro pode chegar a R$ 10 bilhões em 2024. Com a nova linha de crédito, poderão ser realizadas operações com Cédulas de Produto Rural Financeira (CPR-F) ou de Certificados de Direitos Creditórios do Agronegócio (CDCA) lastreados em direitos creditórios do agronegócio. A linha é resultado de um trabalho integrado e que também é mais uma medida para apoiar produtores rurais com alguma dificuldade financeira. O limite do empréstimo para o cliente será de R$ 20 milhões a cada 12 meses, com prazo total de pagamento de até 60 meses, incluindo prazo de carência de até 24 meses. A taxa final será composta pela remuneração básica do BNDES de 1,3% ao ano, remuneração do agente financeiro de até 4,3% ao ano e pelo referencial de custo financeiro (Taxa de Longo Prazo – TLP; Taxa SELIC – TS; Taxa Fixa do BNDES – TFB ou Taxa Fixa BNDES em Dólar – TFBD).

Políticas públicas para a agricultura familiar são destaque no G20

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai participou da 2ª Reunião do Grupo de Trabalho de Agricultura da Presidência Brasileira do G20, copresidida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA). O encontro focou nas Políticas Públicas para a Agricultura Familiar. É a primeira vez que o tema é incorporado em uma reunião do G20, com objetivo de destacar o papel indispensável dos agricultores familiares no enfrentamento da fome, da pobreza, e das mudanças climáticas – temas centrais da presidência brasileira no grupo das maiores economias do mundo. O encontro foi uma preparação à Reunião Ministerial do grupo que ocorrerá em setembro, e à Cúpula de Líderes do bloco, que acontecerá no Rio de Janeiro, em novembro deste ano. O ministério apresentou informações sobre medidas do Governo Federal para o público da agricultura familiar, incluindo povos indígenas, comunidades tradicionais e quilombolas, mulheres e jovens.

Vaca Dona está sendo leiloada por milhões na Expozebu
Vaca Dona está sendo leiloada por milhões na Expozebu

Vaca Donna alcança valor de R$ 15,48 milhões em leilão

Com o título de melhor matriz do ranking nacional da raça Nelore em 2023, a vaca Donna FIV CIAV de propriedade da Casa Branca Agropastoril e da Agropecuária Mata Velha, teve 33% de sua propriedade leiloada na edição deste ano da ExpoZebu. O animal, que também acumula títulos pelos bezerros e bezerras que já gerou, é a grande estrela do Leilão Elo de Raça, principal pregão da feira e responsável por revelar recordistas como a Viatina-19 FIV Mara Móveis, hoje avaliada em mais de R$ 21 milhões. Em um pregão disputado por quatro compradores, com duração de mais de meia hora, o animal teve um terço de sua propriedade arrematada por R$ 172 mil em 30 parcelas, o que representou uma valorização total para R$ 15,48 milhões. No palco, além da própria Donna, também foram exibidos os seus três clones e oito de suas crias, todas muito parecidas.

Picanha terá imposto reduzido em 60%

Quatro meses após a promulgação da reforma tributária, o governo enviou o primeiro projeto de lei complementar com a regulamentação dos tributos sobre o consumo. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, entregou a proposta ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), nesta semana. A proposta prevê alíquota média do Imposto sobre Valor Adicionado (IVA) de 26,5%, podendo variar entre 25,7% e 27,3%. Atualmente, os bens e os serviços brasileiros pagam, em média, 34% de tributos federais, estaduais e municipais. Com 306 páginas e cerca de 500 artigos, o projeto de lei complementar precisa de maioria absoluta, 257 votos, para ser aprovado. Conforme a proposta da Fazenda, a alíquota zero contemplará, entre outros itens, arroz, leite, manteiga, feijão, café, óleo de soja, açúcar e pão. Já produtos como carnes bovina e suína, peixes e crustáceos (exceto salmonídeos, atuns, bacalhaus, hadoque, saithe e ovas e outros subprodutos) terão uma redução de 60% nos tributos. Segundo cálculos da Fazenda, a tributação da carne pode cair de 15,8% para 8,5% para os brasileiros de baixa renda que terão direito ao chamado cashback.

Chinesa YTO chega ao Brasil com tratores de baixo custo

A fabricante estatal de tratores chinesa YTO está dobrando sua aposta no Brasil. A companhia está participando pela primeira vez da Agrishow. A empresa já está no país desde o ano passado, mas atuando em vendas diretas e pontuais. Agora passará a ser revendida pelo Grupo BDG em seis estados da federação: São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Bahia, Rio de Janeiro e Espírito Santo. A empresa tem como meta atingir, em 10 anos, 20% do mercado nacional, por isso 2024 é um ano muito importante para sua estratégia de venda. A ideia é trazer para o Brasil um produto de qualidade com um custo de manutenção abaixo do mercado. A empresa deve inaugurar em julho a primeira loja dedicada à venda de máquinas da YTO em Ribeirão Preto. A próxima loja deve ganhar sede em Uberlândia, MG. Além das lojas próprias, a empresa também venderá os tratores importados para representantes comerciais espalhados pelo país. A YTO tem como foco pequenos e médios produtores e possui máquinas de baixo custo, com motores a partir de 24 cavalos (cv) de potência até 240 cv. A YTO é uma estatal, os subsídios do governo ajudam a empresa a entrar em outros países com esse custo mais baixo, ainda mais com um trator de custo menor e mais simples.

GenBra Alkaia FIV
GenBra Alkaia FIV

Matriz Guzerá bate recorde de produção de leite no Brasil

A matriz da raça Guzerá, GenBra Alkaia FIV, da GenBra Agropecuária, produziu em seu primeiro parto cerca de 9.802 kg de leite, um novo recorde para a raça, superando o Recorde Fêmea Jovem anterior em mais de 1.800kg de leite. O Guzerá foi a primeira raça de gado zebuíno a ser introduzida no Brasil, trazida da Índia pelo Barão de Duas Barras. Sua presença foi marcante nos cafezais do Rio de Janeiro, sendo utilizado para puxar carroças e vagões de café. Também é o zebuíno mais antigo na seleção genética brasileira. A raça Guzerá é uma das raças mais antigas do mundo, com representação arqueológica milenar. Os números da jovem matriz são impressionantes. Alkaia é a única recordista da raça cuja mãe também já produziu o mesmo recorde, a matriz de nome LAJE FIV, recordista mundial vaca adulta com produção total de 13.484kg de leite e líder do sumário por nove anos consecutivos.

Censo agropecuário será mais tecnológico

O presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marcio Pochmann, marcou presença na Agrishow 2024 para discutir o Censo Agropecuário 2026, que será realizado dez anos após o último levantamento. O objetivo foi buscar parcerias e aprimorar as metodologias de coleta de dados, visando um retrato mais preciso da realidade do campo brasileiro. Ele enfatizou a importância do Censo Agropecuário, que já conta com 100 anos de história e 11 edições realizadas. O último Censo, em 2017, identificou cerca de 5,1 milhões de estabelecimentos agropecuários, florestais e aquícolas no Brasil. Pochmann ressaltou a importância de aprimorar a metodologia para refletir com mais precisão a realidade do setor. Serão formados comitês técnicos consultivos com especialistas das áreas envolvidas, juntamente com um conselho de orientação. Para Pochmann, será importante contar com a presença de todos aqueles que atuam no complexo agropecuário do Brasil. Uma das inovações planejadas é a adoção de tecnologias que permitam a coleta de dados de forma remota, utilizando ferramentas online, o que tornará o processo mais eficiente e ágil, além de reduzir custos.

Pior momento do mercado de máquinas agrícolas parece ter passado

Com a queda de 36,9% na receita do primeiro trimestre, o pior momento para o mercado brasileiro de máquinas agrícolas parece já ter passado. Essa é a percepção do presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – Abimaq, Pedro Estevão Bastos. Segundo ele, a queda de quase 37% é da fábrica para a revenda. Não significa que da revenda para o campo esteja caindo neste mesmo patamar. Desconfia-se que não. Para ele o pior momento já passou. Ainda que o cenário esteja começando a clarear, a recuperação dos preços demora, uma vez que depende do consumo. Em 2025 ou 2026, o preço das commodities deve começar a melhorar. A Abimaq projeta queda de 15% no setor no ano. A expectativa por menores juros no próximo Plano também garantiu o ímpeto dos produtores para investir. A Abimaq requisitou ao governo federal que o Plano Safra 2024/2025 contenha, ao menos, R$ 36 bilhões para o financiamento do setor, sendo R$ 26 bilhões para Moderfrota e Moderfrota Pronamp, e R$ 10 bilhões para o Pronaf. O otimismo também é movido pela projeção de aumento da área e da produção do Brasil nos próximos anos, o que deve contribuir para a demanda por máquinas agrícolas. De qualquer forma, a Abimaq deve revisar para baixo sua previsão para o segmento em 2024, o que só deve ocorrer após o fechamento das feiras agrícolas tradicionais do primeiro semestre.

Vaca Nelore Pintado Uka FIV V3
Vaca Nelore Pintado Uka FIV V3

Vaca nelore pintao alcança marca extraordinária

A vaca Uka FIV V3, recentemente alcançou o valor impressionante de R$ 1.86 milhões no Leilão Noite dos Campeões 40 Anos, e agora é considerada a recordista de valorização da raça Nelore Pintado de Preto. Metade das suas cotas foi vendida por um montante de R$ 930.000,00, o que valorizou a doadora em mais de R$ 1.8 milhões. Esta é uma marca extraordinária para a pecuária brasileira, evidenciando não só a valorização da raça Nelore Pintado, mas também o alto investimento que está sendo feito nesse segmento. Uka FIV V3 é resultado da cruza entre Lacre FIV L Cançado e 55 de Naviraí, e agora é parte de um condomínio formado pelo Nelore V3 e Nelore Serilon. Esse feito é um testemunho do crescente interesse e investimento na raça Nelore Pintado, uma variante exótica e distintiva do Nelore tradicional. O Nelore Pintado tornou-se uma das raças que mais crescem no Brasil, devido à sua pelagem exuberante e única. Embora o padrão racial do Nelore Pintado seja o mesmo do Nelore tradicional, branco, no passado havia distinções entre animais pintados de vermelho e preto. Atualmente, todas as variações de pelagem são aceitas e consideradas Nelore.

Brasil registra mais de 244 mil empregos formais em março

O Brasil fechou o mês de março com saldo positivo de 244.315 empregos com carteira assinada. No acumulado do ano (janeiro/2024 a março/2024), o saldo foi positivo em 719.033 empregos, o que representa um aumento de 34% em relação aos três primeiros meses do ano passado. O balanço é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) divulgado nesta semana pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo a pasta, este foi o melhor resultado do Caged para o mês de março desde 2020.

TCU determina adoção de melhorias em serviços digitais do programa de reforma agrária

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a adoção de melhorias nos serviços digitais do Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) em 90 dias. A corte indicou preocupação com o sistema informatizado do Incra, a Plataforma de Governança Territorial (PGT), utilizada, por exemplo, para registrar o ingresso de famílias nos programas de reforma agrária, emitir contratos de concessão de uso de lotes, solicitar título de assentamentos e regularizar a situação de ocupantes das terras. Após auditoria feita em 2023, o tribunal aprovou um acórdão na semana passada em que constata a ausência de uma política de controle de acessos ao sistema. Também foi apontada deficiência na interoperabilidade dos dados e na divulgação dos serviços online disponíveis.

O pecuarista Claudecy Oliveira Lemes investiu R$ 25.146.887,00
em agrotóxico para desfolhar 81.223,7532 hectares
O pecuarista Claudecy Oliveira Lemes investiu R$ 25.146.887,00
em agrotóxico para desfolhar 81.223,7532 hectares

BB emprestou mais de R$ 10 milhões a acusado de promover desmatamento químico com agente laranja

Um levantamento a partir de dados públicos realizado pelo Greenpeace Brasil mostra que o Banco do Brasil concedeu mais de R$ 10 milhões em crédito rural ao fazendeiro Claudecy Oliveira Lemes, acusado de utilizar ilegalmente em suas fazendas no pantanal agrotóxicos desfoliantes, dentre eles a substância 2-4-D – um dos componentes do “agente laranja”. O pecuarista teve quatro financiamentos concedidos pelo Banco do Brasil entre março de 2021 e março de 2022. Os contratos estão vigentes. Em 2021, o banco concedeu três empréstimos a Claudecy para aquisição de 3 mil cabeças de gado. Em 2022, um novo empréstimo foi concedido para a aquisição de um avião. O caso do uso ilegal do componente do “agente laranja” no Pantanal veio à tona após uma reportagem do “Fantástico” de 14 de março. Os agrotóxicos foram usados para a prática de desmatamento químico de vegetação nativa para a criação de gado.

Governo fixa limite para captura de lagostas

Duas espécies de lagosta que vivem na costa brasileira tiveram limite máximo para a captura definido para a temporada de 2024, após análise das populações dos animais no país. A partir de ontem, quinta-feira (2), só poderão ser capturadas 6.192 toneladas das lagostas vermelha (Panulirus argus) e verde (Panulirus laevicauda). Com as novas regras estabelecidas pelos Ministérios da Pesca e Aquicultura e do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), a temporada de captura desses animais será encerrada quando contabilizados 95% desse limite. Se o peso total de captura não for atingido, o período acaba no dia 31 de janeiro de 2025. A finalidade das novas regras é a recuperação das populações das duas espécies necessárias para o equilíbrio dos ecossistemas marinhos e de importância econômica nas regiões Norte e Nordeste do país.

A cada quatro dias, um novo mercado foi aberto para o agro neste ano

O primeiro quadrimestre de 2024 será lembrado como o mais produtivo da história em termos de abertura de mercados internacionais para o agronegócio brasileiro. Entre janeiro e abril, 31 novas oportunidades para vendas externas de produtos agropecuários brasileiros foram estabelecidas em 19 países diferentes. Março liderou o período com dez novas aberturas em sete países, seguido por janeiro, que registrou nove mercados em cinco países. Fevereiro e abril completam a lista, com aberturas em sete e cinco mercados, distribuídos por seis e três países, respectivamente. Desde o início do terceiro mandato do presidente Lula, em 2023, já foram abertos 109 novos mercados para exportação em 50 países. Todos os continentes foram contemplados. A retomada da credibilidade do Brasil junto a diversos parceiros comerciais, aliada ao trabalho sério da equipe técnica, tem possibilitado cada vez mais oportunidades de negócios para os produtores brasileiros dos mais diversos segmentos. Este não é um resultado apenas do agronegócio, é um resultado que gera mais emprego para toda a população quando um novo mercado se abre.

Vaca Gir Garba FIV Affu a campeã
Vaca Gir Garba FIV Affu a campeã

Vaca nordestina é campeã da ExpoZebu ao produzir 215 L de leite

Na história da ExpoZebu, que alcança sua 89ª edição em 2024, poucos momentos foram tão marcantes quanto a vitória de Garba FIV Affu. Neste evento, que celebra o melhor da pecuária zebuína em Uberaba/MG, a vaca nordestina alcançou uma conquista inédita: tornou-se a Grande Campeã Nacional do Concurso Leiteiro, um feito que ecoou com entusiasmo pelos criadores e amantes do setor agropecuário. Garba FIV Affu, filha de Sansão e Bandeira, foi apresentada pelo expositor Paulo Givago Barreto Alves. Sua produção total de leite impressionante, atingindo 215,62 litros, com uma média de 71,87 litros, não apenas a destacou como a estrela do concurso, mas também como um símbolo de qualidade e potencial da pecuária nordestina. Essa vitória vai além de uma simples conquista. Representa uma valorização da genética e do árduo trabalho dos criadores do nordeste, ressaltando a importância da região no cenário nacional da pecuária leiteira. No Rebanho Saia Rodada, Fazenda Timbaúba, de Carnaúbas, RN, onde Garba FIV Affu foi criada, a excelência é uma constante, contando com a assessoria do Giro do Gir Assessoria e a preparação dos animais para competições de Torneio Leiteiro de Otávio Perroni.

Brasil se declara livre de febre aftosa sem vacinação e buscará reconhecimento

O Brasil pode se considerar um país livre de febre aftosa sem vacinação e buscará o reconhecimento deste status pela Organização Mundial de Saúde Animal para sua carne ter acesso a mercados mais exigentes. A partir do reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal, o país poderá vender para o Japão, Coreia do Sul, que são (mercados) mais remuneradores. A partir do momento em que Brasil seguiu procedimentos para se declarar livre da febre aftosa sem vacinação, o país dá passo importante para tal reconhecimento global. O país, dono do maior rebanho bovino comercial do mundo, é também o maior exportador de carne bovina, tendo a China como o maior importador de seu produto, seguida pelos Estados Unidos. Mas o fato de muitos estados ainda serem livre de aftosa com vacinação, isso limita o comércio com alguns países.