CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 24-02 a 01-03-2024

Brasil bate recorde em produção de carne em 2023

O ano de 2023 foi marcado por um recorde histórico na produção de carne bovina no Brasil. Segundo dados preliminares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país abateu 33,9 milhões de cabeças, o que resultou em uma produção 8,91 milhões de toneladas de carne, aumento de 11,2% em relação a 2022, cerca de 900 mil toneladas. No entanto, enquanto a produção aumentou substancialmente, as exportações cresceram apenas 22,8 mil toneladas, totalizando 2,29 milhões de toneladas e absorvendo 25,7% da produção nacional. Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), vinculado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), com esse cenário, o mercado interno foi inundado com um excedente de carne, o que resultou na necessidade de redução de preços para equilibrar a oferta com a demanda. Ao longo de 2023, os preços do boi e da carne no atacado registraram queda, com o Indicador do Boi Gordo CEPEA/B3 recuando 12% e a carcaça casada de boi na Grande São Paulo desvalorizando-se em 9%.

Receita do governo bate recorde em janeiro

A arrecadação do governo federal cresceu 6,67%, já descontada a inflação, e foi recorde em janeiro. O resultado já reflete parte do efeito das medidas arrecadatórias propostas pelo Ministério da Fazenda e aprovadas pelo Congresso ao longo do segundo semestre de 2023. O movimento pode ajudar o governo a reduzir a necessidade de bloqueio de despesas para o cumprimento da meta de déficit zero em 2024, mas os números ainda estão sendo refinados pela equipe econômica. Foram R$ 280,6 bilhões recolhidos em tributos no primeiro mês do ano, o maior valor da série histórica iniciada em 1995. A alta representa uma reversão na tendência de arrefecimento da arrecadação que vinha sendo observada até novembro. Isso porque, em dezembro, o governo já começou a recolher impostos sobre os fundos dos mais ricos.

Auditoras Fiscais Federais Agropecuários em frente à sede do MAPA em Brasília
Auditoras Fiscais Federais Agropecuários em frente à sede do MAPA em Brasília

Mobilização de fiscais agropecuários federais vai ser estendida

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) informou que haverá prolongamento da mobilização da categoria por causa da intransigência do governo federal em tratar a carreira de forma distinta de outras categorias, como auditores da Receita Federal, do trabalho e da Polícia Federal. Segundo o sindicato, o governo insiste em tratar a segurança dos alimentos e a defesa agropecuária de forma distinta de outras prioridades, como a arrecadação de impostos e a segurança pública. A mobilização da categoria começou em 22 de janeiro. Na “Operação Reestruturação”, os auditores agropecuários reivindicam ao governo melhores salários e condições de trabalho. A categoria quer a equalização da carreira em relação às categorias relacionadas anteriormente.

Preço do gás natural atinge níveis mais baixos desde 1990

Ajustados pela inflação, os futuros de gás natural recentemente atingiram os preços mais baixos desde o início das negociações na Bolsa de Nova York (NYSE) em 1990. A produção expressiva dos Estados Unidos e o inverno mais quente pressionam as cotações, o que tende a ser bom para consumidores norte-americanos e empresas que usam gás natural na produção de materiais básicos como aço, concreto, papelão e fertilizantes. Entretanto, o recuo afeta os produtores de gás, que reduzem seus planos de perfuração e pressionam por mais exportações para aliviar o excesso doméstico. Os futuros de gás natural para entrega em março encerraram a semana passada a US$ 1,603 por milhão de unidades térmicas britânicas (MMBtu, em inglês), queda de 35% em relação ao ano anterior. Na terça-feira, fecharam a US$ 1,576, a mínima histórica ajustada pela inflação. Além do recuo abaixo de US$ 1,50 em 2020, com a Covid-19, os preços não estavam tão baixos em termos nominais desde 1995. Ajustado pela inflação, no entanto, US$ 1,50 hoje seria cerca de US$ 3 naquela época.

Fábrica de fertilizantes no Paraná será religada

A fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados (Ansa), da Petrobras, será a primeira da companhia a voltar a operar no país. Em abril a Unidade de Fertilizantes Nitrogenados 3 (Fafen 3), em Três Lagoas, passará por uma avaliação sem prazo certo para entrar em operação. Os técnicos ainda não tem uma linha do tempo definida, mas tem uma disposição já definida. O Plano Estratégico da empresa autorizou e colocou fertilizantes de volta na pauta de investimento da Petrobras. A gestão anterior da Petrobras não apenas excluiu os investimentos em fertilizantes como praticamente proibiu a empresa de investir no setor. Com isso, o Brasil passou a importar todo o fertilizante que utiliza.

Agricultores invadem salão de feira em Paris

A abertura do 60º Salão Interncacional de Agricultura de Paris foi marcada por confrontos entre agricultores e a polícia, resultando em atrasos significativos na inauguração do evento. Dezenas de agricultores invadiram o recinto do parque de exposições sem autorização, expressando sua insatisfação e pedindo a saída do presidente Emmanuel Macron. Em meio à tensão, Macron emitiu um apelo à calma, destacando a importância do diálogo em vez do confronto. O presidente francês abandonou a cerimônia oficial de abertura e optou por participar de um debate improvisado com representantes dos agricultores. Durante a discussão, Macron enfatizou a necessidade de evitar um retrato catastrófico do setor agrícola, instando para que se busque soluções através do diálogo construtivo. A situação destacou as tensões existentes entre alguns setores agrícolas e o governo, enquanto os agricultores buscavam chamar a atenção para as dificuldades que enfrentam e demandavam mudanças políticas.

Governo federal anuncia R$ 250 milhões para a fabricação de máquinas agrícolas

O Ministério do Desenvolvimento Agrário confirmou um aporte de R$ 250 milhões destinado ao setor de máquinas e implementos agrícolas. O anúncio foi feito durante a solenidade de posse na diretoria da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag-RS) para o período de 2024-2028, em Porto Alegre. O financiamento, a ser disponibilizado através de um edital a ser lançado em março pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), visa impulsionar a mecanização da agricultura familiar. Outro edital se encontra em andamento pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, direcionado à produção de máquinas e tecnologia. O tema foi objeto de discussão em uma reunião com o Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), ocasião em que foi também enfatizado o potencial das indústrias gaúchas, responsáveis por 65% da frota utilizada no Brasil, para suprir a demanda nacional e evitar a importação de tratores, especialmente da China. Representantes do Simers expressaram confiança nas oportunidades de financiamento oferecidas pelo governo para o desenvolvimento de máquinas adaptadas às necessidades dos agricultores, especialmente aqueles do nordeste, que demandam máquinas de menor porte.

Gripe Aviária – Emergência zoossanitária é prorrogada por mais 90 dias em Brasília

Governo do Distrito Federal (GDF) prorrogou por mais 90 dias a vigência do Decreto nº 45.522, de 23 de fevereiro de 2024, que institui situação de emergência zoossanitária em Brasília, visando prevenir a ocorrência da influenza aviária. Desde agosto de 2023, o DF está em estado de alerta devido à possibilidade de contágio da influenza aviária, uma doença viral que afeta aves domésticas e silvestres, bem como mamíferos, incluindo seres humanos. O objetivo primordial desses decretos é intensificar as ações preventivas para evitar a entrada e a propagação desta enfermidade na capital do país. Até agora, não houve registros da doença no DF. Segundo a Secretaria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri). o momento é sensível em relação à disseminação da doença, principalmente devido ao aumento na migração de aves silvestres entre os países das Américas. O controle está sendo intensificando pela vigilância no sistema de Defesa Agropecuária para evitar surpresas neste período mais crítico.

Investimentos fazem parte do Programa Rural+Conectado — Foto: TIM
Investimentos fazem parte do Programa Rural+Conectado — Foto: TIM

Áreas rurais do nordeste recebem investimentos para ampliar conectividade

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou o financiamento de R$ 88,5 milhões para ampliar a internet de banda larga e os serviços de telecomunicações em 24 municípios do nordeste, incluindo as áreas rurais como parte das ações do Programa Rural+Conectado. Os recursos são do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) e serão aportados na construção de mais de mil quilômetros de rede de fibra óptica em municípios prioritários da Paraíba e do Rio Grande do Norte. O investimento deve atender 340 mil pessoas que moram nessas regiões.

Temporada de pesca começou em 18 Estados

Começou na última quinta-feira (29/2) a temporada de pesca em rios e lagos em 18 Estados brasileiros. É o caso, entre outros, de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Pará, Bahia, Goiás e Mato Grosso do Sul. A atividade estava proibida para permitir a reprodução dos peixes, a chamada piracema (palavra de origem indígena que significa “subida dos peixes”). A pesca da sardinha, principal volume de pesca do país, também está permitida a partir de agora. Segundo representantes do setor da pesca, a expectativa é de uma safra boa da sardinha logo na abertura, embora haja rumores de greves de pescadores que estão negociando preços com a indústria, principalmente as de enlatados de sardinha. O calendário não é o mesmo para todos. Estados como o Amazonas, Ceará, Piauí, Alagoas, Maranhão e Acre só vão abrir para a pesca em geral a partir do meio de março. Em Roraima, a piracema começa em 1º de março e termina em 30 de julho.

Setor de máquinas agrícolas antecipa queda nas vendas para 2024

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apresentou em coletiva de imprensa, a projeção de uma queda de 11% nas vendas de máquinas agrícolas para o ano de 2024. Caso confirmada, este será o segundo ano consecutivo de declínio nas vendas, com o último ano registrando a comercialização de 60.981 unidades. A estimativa para este ano aponta para a venda de 54.300 unidades. O fenômeno climático El Niño, que impactou a safra 2023/24 e provocou a redução nos preços das commodities agrícolas, representa um desafio para os agricultores, podendo influenciar negativamente a aquisição de maquinário. Além da previsão de queda nas vendas, as exportações também devem apresentar um declínio, estimando-se 8.500 unidades, uma redução de 3% em relação ao ano anterior. Contudo, a Anfavea aponta que as projeções de crescimento global da economia, do PIB brasileiro, a queda na taxa de juros e a implementação do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), no valor de R$ 1,4 trilhão, podem oferecer estímulos ao setor.