CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Guaiamum (Cardisoma guanhumi)

O crustáceo faz parte da culinária pernambucana e baiana, estando entre os pratos mais pedidos para consumo

É conhecido por apresentar crescimento lento em relação a outros caranguejos, além de possuir grande longevidade. Até a fase adulta são estimadas cerca de 60 mudas. Na natureza a espécie pode atingir até 13 anos de idade.

O guaiamum é um crustáceo de fácil captura por construir suas tocas próximas às áreas habitadas e de fácil acesso. Soma-se a isso, o elevado valor comercial que a espécie possui, por ser um dos pratos mais tradicionais da culinária nordestina.

Guaiamum (Cardisoma guanhumi) na entrada de sua toca
Prato típico com guaiamum

É consumido no território brasileiro desde os seus primeiros habitantes – os
índios. Por ser um prato tradicional, remete à culinária, costumes e identificação de uma sociedade. Entretanto, sua pesca tem se reduzido ano após ano de forma considerável, e, em contrapartida, o tempo que leva para reprodução não garante a pesca frequente em grandes quantidades. O guaiamum está ameaçado de extinção em várias partes de seu território, sobretudo devido à caça predatória e à destruição do seu habitat. Em virtude disso, várias medidas governamentais vêm sendo tomadas, incluindo a criação de áreas protegidas e a adoção da prática do período de defeso.

GUAIAMUM ou GUAIAMU (Cardisoma guanhumi)

Guaiamum (Cardisoma guanhumi) na beira da praia

Características – caranguejo de grande porte, pode chegar a mais de 11 cm de carapaça e de pesar mais de 500 g. O macho apresenta uma garra bem maior que a outra. Garras extremamente fortes capazes de quebrar carapaças de outros crustáceos. Coloração azulada ou acinzentada. As garras são esbranquiçadas, sem pelos nas pernas.

Habitat – restingas e manguezais

Ocorrência – mais comuns no Nordeste do Brasil, mas podem ser encontrados em todo o litoral do Brasil.

Guaiamum (Cardisoma guanhumi)

Hábitos – fazem tocas no lodo para se abrigarem . Esses buracos são cavados até a linha d’água, e no fundo de cada buraco existe uma pequena piscina. Cada guiamum tem seu próprio buraco e estes não tem comunicação entre si. Conseguem respirar dentro e fora da água, mas passam a maior parte do tempo fora da água. São totalmente inofensivos e frágeis.

Alimentação – folhas e frutos, mas também podem comer insetos, animais mortos, ou qualquer outro alimento que possam carregar para seu buraco, detritos encontrados no lodo e podem capturar outros caranguejos na falta de alimento.

Guaiamum (Cardisoma guanhumi) - homem segurando uma fêmea com ovas

Reprodução – atinge a maturidade sexual com 4 anos. O ciclo reprodutivo é totalmente ligado às estações quentes do ano e as fases da lua. Os machos cortejam a fêmea e a fertilização é interna. As fêmeas carregam os ovos consigo por aproximadamente duas semanas. Em noite de lua cheia do verão as fêmeas migram juntas para o mar para liberar as larvas recém eclodidas para o mar, que dependem da água salgada para sobreviver.

Amarrado de guaiamum
Amarrado de guaiamum
Caçador de guaiamum com um amarrado pronto para a venda

Ameaças – devido sua excessiva captura e destruição de seu habitat está ameaçada de extinção.

Assista ao vídeo “A resistência dos guaiamuns”

Leia outros artigos do BlogFauna RuraltecTV clicando no LINK.