CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

AgriculturaCapacitaçãoCiência e TecnologiaCriaçãoGestão, Mercado e EconomiaNotíciasPastagens e Forrageiras

Embrapa apresenta tecnologia de recuperação de pastagens

Flor de Guandu BRS Mandarim - Foto: Cristina Brito

A Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos (SP), participa da 29ª edição da Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), apresentando a a forrageira Guandu BRS Mandarim, uma opção tecnológica para recuperação de pastagens degradadas.

Além da leguminosa, os participantes que visitarem o estande da Embrapa na feira, de 29 de abril a 03 de maio, vão conhecer o Sistema Antecipe, desenvolvido pela Embrapa Milho e Sorgo, um método de cultivo intercalar que possibilita a redução dos riscos causados pelas incertezas do clima durante a segunda safra. Resultado de 15 anos de pesquisas, a tecnologia é composta por três pilares: um sistema inédito de produção de grãos, uma semeadora-adubadora exclusiva e um aplicativo para auxiliar o produtor a tomar as melhores decisões.

Sistema desenvolvido pela Embrapa possibilita a redução dos riscos causados pelas incertezas do clima durante a segunda safra
Sistema desenvolvido pela Embrapa possibilita a redução dos
riscos causados pelas incertezas do clima durante a segunda safra

Neste ano, nove centros de pesquisa da Embrapa apresentam 23 soluções tecnológicas para produtores de diferentes cadeias de produção.

Guandu BRS Mandarim

A leguminosa Guandu BRS Mandarim, desenvolvida pela Embrapa Pecuária Sudeste, tem apresentado bons resultados para recuperar áreas degradadas quando consorciada com braquiária. Com alto potencial para adubação verde, ela melhora a fertilidade do solo e a qualidade do pasto.

Guandu BRS Mandarim - Foto: Cristina Brito
Guandu BRS Mandarim – Foto: Cristina Brito
Sementes de feijão guandu BRS Mandarim - Foto: Ana Maria Dantas de Maio
Sementes de feijão guandu BRS Mandarim – Foto: Ana Maria Dantas de Maio

O uso do Mandarim dispensa a adubação nitrogenada para recuperar o pasto, uma vez que o resíduo proveniente da sua roçada funciona como adubo verde, disponibilizando nitrogênio no sistema. De acordo com pesquisas, o material roçado agrega mais de 200 kg/ha de Nitrogênio (N) na pastagem. Mais um benefício, principalmente para o período seco, quando a pastagem não está em boas condições, é servir de alimento para os bovinos.

Leia também: