Cavalo Crioulo - Raça forte forjada nos campos do Sul

Carrapato bovino (Rhipicephalus microplus)
A maioria dos produtores faz uso de carrapaticidas quando os animais e as pastagens já estão altamente infestados
 
Não controlar o parasita de forma eficiente possibilita a disseminação da resistência das populações de carrapatos aos produtos utilizados no seu controle. Isto leva ao aumento dos prejuízos econômicos.

A maioria dos produtores faz uso de carrapaticidas quando os animais e as pastagens já estão altamente infestados, o que dificulta o controle. Vamos ver o que pode minimizar este problema.
 
Controle estratégico. Conheça algumas iniciativas, desde da compra até a aplicação de produtos, para realizar um controle eficiente.
 
Em primeiro lugar, o pecuarista deve utilizar produtos adequados ao seu rebanho. Mas como escolher? Então, aqui vai a primeira dica: A Embrapa Gado de Corte faz o teste de graça! Envie as amostras, que elas serão analisadas e um técnico o orientará. 

Época para iniciar o controle. O recomendável é que aconteça no final da seca. A recomendação é dar de 5 a 6 banhos carrapaticidas com intervalos de 21 dias ou usar produtos pour-on e/ou injetáveis.

ATENÇÃO: Sempre seguir a bula do produto.

Equipamentos de proteção. Quem aplica deve estar devidamente paramentado para se proteger.

LEMBRE-SE! Banhe os animais a favor do vento para não correr o risco de se intoxicar. Dar banho com o animal contido também evita o desperdício. Sempre no sentido contrário aos pelos, com pressão adequada e em toda a superfície do bovino.

ATENÇÃO: Dias de chuva e horários de sol forte são contra-indicados para se fazer a aplicação. Em dias de chuva, o produto é lavado do corpo do animal e, no calor, ocorre maior absorção dos produtos, aumentando o risco de intoxicação. 

Redução do número de carrapatos no pasto. Um bom controle determina que o animal deva retornar à mesma pastagem onde foi infectado para que os carrapatos que nele subirem morram e os que sobreviverem serem eliminados no banho seguinte.

Animais de sangue doce. Estes são os que requerem maior atenção! São aqueles mais infestados… Eles são responsáveis pela recontaminação das pastagens. Eles também devem ser tratados com maior frequência.

Controle da entrada de animais na propriedade. Os animais recém-adquiridos devem ser tratados no local de origem e isolados por 30 dias em um pasto quarentena.

Evitar infestações mistas. Mantenha equinos e bovinos em pastos separados para não haver infestação cruzada de espécies diferentes de carrapatos.
Ao final do processo, o produtor deve avaliar anualmente o desempenho do produto. Com estas informações ele poderá escolher aquele cuja eficácia seja superior a 95%.

Siga estas dicas e verifique se o processo funcionou. Boa sorte!

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.