CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

ArteBiodiversidade - Fauna e FloraBlogCiência e TecnologiaSustentabilidade

Arte – São Paulo recebe exposição fotográfica internacional de vida selvagem

O queniano Shashwat Harish registra o momento de contato visual com um leopardo (Panthera pardus) na Reserva Nacional de Maasai Mara, Narok, Kenya

Voltar os olhares para a vida selvagem e a natureza, dentro ou fora dos centros urbanos, é em certa medida sensibilizar-se para a causa ambiental global. Isto é o que fazem anualmente dezenas de milhares de fotógrafos, profissionais ou amadores, no concurso Wildlife Photographer of the Year (Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano), competição organizada pelo Museu de História Natural de Londres, no Reino Unido, cuja exposição chega pela primeira vez ao Brasil.

Os mais variados flagrantes da vida selvagem no planeta, fazem parte da mostra instalada para uma temporada de três meses na Galeria Marta Traba, no Memorial da América Latina, à Av. Mário de Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo, SP.

Galeria Marta Traba, no Memorial da América Latina, São Paulo, SP
Galeria Marta Traba, no Memorial da América Latina, São Paulo, SP

Com entrada gratuita, a exposição foi inaugurada em 28 de maio e ficará aberta ao público até 25 de agosto deste ano. A mostra itinerante, que estava na França, é inédita em um país da América Latina e reúne 100 fotos de um universo de 49.957 imagens inscritas na 59ª edição do concurso, que teve representantes de 95 países. Durante uma semana intensa no Museu de História Natural de Londres, as imagens inscritas foram avaliadas anonimamente em sua criatividade, originalidade e excelência técnica por um painel internacional de especialistas da área.

Para os organizadores, o propósito do concurso vem de encontro ao enfrentamento de crises de biodiversidade e clima, e a fotografia é um poderoso catalisador para a mudança, revelando algumas das imagens mais maravilhosas da natureza, oferecendo esperança e propondo ações ao alcance dos visitantes para ajudar a proteger o mundo natural.

Criado em 1965, o concurso é o mais prestigiado evento de fotografia global e expõe a obra de alguns dos melhores talentos fotográficos do mundo. As imagens da mostra capturam o fascinante comportamento animal, espécies espetaculares e a impressionante diversidade do mundo natural. Além de despertar a curiosidade sobre o planeta e destacar a fragilidade da vida selvagem, o concurso utiliza o poder emotivo da fotografia para inspirar as pessoas a pensarem de forma diferente sobre sua relação com a natureza e a se tornarem defensoras do planeta.

Foto de Fernando Constantino Martínez que mostra o caminho devastador de uma nova ferrovia turística em Paamul, Quintana Roo, México
Foto de Fernando Constantino Martínez que mostra o caminho devastador
de uma nova ferrovia turística em Paamul, Quintana Roo, México

A exibição é uma produção da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp e a vinda da renomada mostra é resultado do esforço conjunto entre a Unesp – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, o Instituto Questão de Ciência (IQC), a Fundação Editora da Unesp (FEU) e o Memorial da América Latina.

Os vencedores

A imagem que levou o grande prêmio em 2023, captada pelo biólogo marinho e fotógrafo Laurent Ballesta, intitulada “The Golden Horseshoe” (Caranguejo-ferradura Dourado), mostra um caranguejo-ferradura (Limulus polyphemus) escoltado por três pequenos peixes, trevallies dourados (Gnathanodon speciosus), nas águas protegidas da ilha de Pangatalan, nas Filipinas, em um registro do fundo do mar que nos transporta para “outro mundo”, segundo as palavras da diretora de fotografia da National Geographic Kathy Moran, presidente da comissão julgadora do concurso. É a segunda vez em três anos que Ballesta leva o Grande Prêmio. Na fotografia, a carapaça dourada do artrópode, uma espécie antiga altamente ameaçada, deslizando pelas águas escuras parece uma nave extraterrestre, o que surpreendeu os jurados.

A imagem de Laurent Ballesta, um caranguejo-ferradura (Limulus polyphemus) escoltado por três pequenos peixes, trevallies dourados (Gnathanodon speciosus), nas águas protegidas da ilha de Pangatalan, Palawan, nas Filipinas
A imagem de Laurent Ballesta, um caranguejo-ferradura (Limulus polyphemus) escoltado
por três pequenos peixes, trevallies dourados (Gnathanodon speciosus), nas águas
protegidas da ilha de Pangatalan, Palawan, nas Filipinas

Outros destaques das 19 categorias são as imagens “Life on the Edge” (A Vida no Limite), de autoria de Amit Eshel, vencedora da categoria Animals in their Enviroment (Animais em seu Ambiente), que testemunha o confronto dramático no penhasco entre dois íbex-da-núbia (Capra nubiana).

Amit Eshel (Israel) testemunha um dramático confronto no penhasco entre dois íbex-da-núbia (Capra nubiana) no Deserto de Zin, Israel. A batalha durou cerca de 15 minutos antes que um macho se rendesse e a dupla se separasse sem ferimentos graves
Amit Eshel (Israel) testemunha um dramático confronto no penhasco entre dois
íbex-da-núbia (Capra nubiana) no Deserto de Zin, Israel. A batalha durou cerca de 15 minutos
antes que um macho se rendesse e a dupla se separasse sem ferimentos graves

E ainda “Hipo Nursery” (Berçário de Hipopótomo), de Mike Korostelev, vencedora da categoria Under Water (Embaixo d’Água), que revela um hipopótomo (Hippopotamus amphibius) e seus dois filhotes descansando nas águas cristalinas de um lago raso da Baía de Kosi, no Parque do Pantano iSimangaliso, África do Sul.

Mike Korostelev (Rússia) revela um hipopótamo (Hippopotamus amphibius) e seus dois filhotes descansando nas águas cristalinas de um lago raso da Baía de Kosi, no Parque do Pantano iSimangaliso, África do Sul
Mike Korostelev (Rússia) revela um hipopótamo (Hippopotamus amphibius) e seus dois
filhotes descansando nas águas cristalinas de um lago raso da Baía de Kosi,
no Parque do Pantano iSimangaliso, África do Sul

Conheça todos os vencedores CLICANDO AQUI.

Explore a galeria CLICANDO AQUI.

Oficinas e visitas guiadas

Na temporada brasileira, a exposição oferecerá oficinas de fotografia para públicos variados e vai acolher visitas monitoradas direcionadas a escolas de ensino básico e demais frequentadores que realizarem inscrição prévia. Verifica-se um interesse científico na exposição e o objetivo é de levar cultura científica ao público em geral, passando para a sociedade aquilo que a ciência pode apresentar para instigar as pessoas a participarem do esforço científico, que se confunde com o esforço humano. Os cursos estão previstos para ocorrer uma vez ao mês, enquanto as visitas guiadas serão oferecidas durante o período em que a exposição estiver ativa.

Imagem do fotógrafo alemão Solvin Zankl, captura uma abelha construindo o telhado do seu ninho próximo a Witzenhausen, Hesse, Alemanha
Imagem do fotógrafo alemão Solvin Zankl, captura uma abelha construindo o
telhado do seu ninho próximo a Witzenhausen, Hesse, Alemanha

Sobre o Museu de História Natural de Londres

Uma das atrações mais visitadas do Reino Unido, o museu é uma fonte global de curiosidade, inspiração e alegria. A instituição tem como visão construir um futuro em que tanto as pessoas quanto o planeta prosperem e como objetivo ser um catalisador para a mudança. O concurso foi criado em 1965 pela revista BBC Wildlife, então chamada Animals. Em 1984, o Museu de História Natural se uniu à iniciativa, que, posteriormente, passou a ser de propriedade exclusiva da instituição. Atualmente voltada para fotógrafos de todas as idades e habilidades, a competição abre para inscrições todos os anos, no mês de outubro.

Exposição Wildlife Photographer of the Year – Fotógrafo do Ano da Vida Selvagem
Local: Galeria Marta Traba, no Memorial da América Latina – Av. Mário de Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo, SP, próximo ao Terminal Barra Funda
Período: de 28/05 a 25/08
Horário: Terça a domingo, das 10:00 às 17:00
Classificação etária: Livre
Entrada: Franca
Acessibilidade: Local acessível via rampa e espaço interno plano

Leia também: