CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Vários modelos de pneus agrícolas com trator e por do sol ao fundo
Os cuidados são muito simples e exigem apenas alguns minutos de atenção
 
A manutenção pode ocorrer de duas formas: de modo preventivo ou corretivo. É certo que quando o produtor rural se antecede a possíveis problemas, os custos da operação podem ser bem menores — e os danos causados à lavoura também. Na realidade, alguns cuidados são muito simples e exigem apenas alguns minutos de atenção.
 
Conheça algumas ações que garantem o prolongamento da vida útil dos pneus agrícolas, gerando resultados positivos para outros componentes da máquina e para a sua rentabilidade.

Calibragem. Faça-a conforme as orientações do fabricante! Isso fará com que os veículos agrícolas façam menor pressão sobre o solo, não compactando-o.
Pressão abaixo da indicada: o pneu ficará deformado, fora do footprint (pegada do pneu no solo). As bandas vão se desgastar rapidamente e de forma irregular, perdendo parte da capacidade de tração. Além disso, é possível que ocorra o chamado rim slip (quando o pneu corre no aro). O resultado é que a borracha fica mais flexionada, aumentando sua temperatura e prejudicando seus elementos de composição.

Pressão ficar muito alta: também há o problema do footprint. No entanto, nesse caso, o pneu vai ficar oval, destacando o centro da rodagem. Como o contato com o solo vai ser menor, a força de tração vai ficar reduzida. O desgaste vai ser mais rápido e irregular exatamente da linha do centro do pneu. A correta pressão garante um desempenho melhor do trator agrícola, prolongando a vida útil da peça, apresentando uma tração adequada e distribuindo melhor a carga.

Monitore a pressão. Após a calibragem inicial, é necessário controlar a pressão semanalmente. Usando um medidor de pressão, esse procedimento se torna fácil para o produtor rural. Se possível, faça a verificação sempre antes de iniciar as operações do campo. 

Índice de patinagem. A patinagem do pneu é importante para reduzir o esforço no eixo, tornar a operação mais branda para os componentes e aumentar a durabilidade dos materiais. O problema no excesso de patinagem, porém, é que ele retira a força de tração da máquina, contribui para o aumento no consumo de combustível, reduz o rendimento e desgasta os pneus e outros componentes mecânicos. Para avaliar se o índice de patinagem do pneu está correto, costuma-se monitorar as marcas do pneu no solo:

  • marcas indefinidas: indicam um alto índice de patinagem, tornando necessário aumentar a lastração;
  • marcas evidentemente definidas: indicam baixa patinagem, exigindo a redução do peso de carga.

Para saber o índice correto, é preciso fazer um teste prático. O procedimento é simples:

  • faça uma marca na lateral de um dos pneus traseiros, apenas para servir como ponto de referência para medir o número de voltas completas;
  • marque com uma estaca o ponto inicial e, com o implemento levantado (ou sem implemento), movimente o veículo até que o pneu atinja 10 giros completos, marcando com outra estaca o ponto final onde ficou a referência marcada no pneu;
  • agora, com o implemento abaixado, faça o mesmo trajeto entre as estacas, contando o número de giros do pneu (considere a fração do pneu ao parar acima da marca final).

Por exemplo, se o pneu deu 13 voltas e meia para completar o trajeto, basta aplicar a regra de 3. Então, a conta seria assim: 13,5 – 10 = 3,5; 3,5 x 100 / 10 = 35%.

Nesse caso, o índice de patinagem seria de 35%, um percentual bem excessivo — o ideal é ficar abaixo de 13%. Vale, então, considerar o lastreamento do veículo e regular a pressão interna do pneu. Você pode conferir no manual do fabricante do trator os índices aceitáveis de patinagem, de acordo com o tipo do solo.
 
Hora da troca. Independentemente da frequência e do tipo de manutenção preventiva realizada, uma hora será necessário trocar o pneu, pois ele tem uma vida útil limitada. Fatores como tipo de cultura, porte da máquina e região também interferem na durabilidade da peça. 
Você pode perceber que está na hora de trocar os pneus agrícolas de duas maneiras:

  • avaliação visual: observe se as barras de tração estão desgastadas (uma redução maior do que ¼ em relação a pneu novo já pode evidenciar a necessidade de troca);
  • comportamento do veículo: redução na capacidade de tração pode ser um indício de que a peça já chegou ao limite.

Local de armazenagem. Cuidados com o armazenamento também fazem parte da manutenção dos pneus agrícolas. Não é bom que eles sejam armazenados já montados. Mas se isso for necessário devido a algumas necessidades específicas da propriedade, é importante seguir algumas recomendações:

  • não deixe o pneu em contato com água, graxa ou óleos;
  • não o deixe próximo a motores elétricos (eles liberam ozônio, gás prejudicial ao material do pneu).

A manutenção dos pneus agrícolas é fundamental para garantir a qualidade da operação, a preservação do solo e evitar perdas por amassamento.

Fonte: Jacto

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *