CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Bezerrada nelore com matrizes no piquete
O período de nascimento dos bezerros indica o início de uma nova etapa e todos os proprietários devem garantir que o animal esteja em boas condições até a etapa de desmame

Para manter os animais nas condições adequadas, entender o manejo de bezerros de corte é fundamental. Rebanhos com animais que estão sempre adoentados e que demandam tratamentos constantes, geram altos custos e grandes perdas.
 
Assim, esses processos incluem cuidados que vão desde o parto, passando pelo planejamento dos pastos-maternidade e o manejo dos animais.
 
Fique atento a alguns cuidados importantes que vão te ajudar com esta fase!

Colostragem. A ingestão do colostro é fundamental durante o primeiro mês de vida dos bezerros. Isso, porque o primeiro leite reforça o sistema imunológico do animal. Somente com o colostro, o filhote será capaz de desenvolver a imunidade por conta própria após este período. O alimento é rico em diferentes tipos de substâncias como gorduras, proteínas e anticorpos que protegem os bezerros contra doenças. 

O ideal é que os bezerros de corte façam a ingestão do colostro em até, no máximo, três horas após o seu nascimento. Além disso, devem permanecer junto da mãe durante um tempo para que possam mamar à vontade.

Para fornecer colostro de qualidade, o manejo alimentar das vacas também precisa ser bem feito. E vale ressaltar que sim, o manejo correto das fêmeas faz parte e é fundamental para o manejo de bezerros de corte.

Pensando em situações futuras de escassez, é possível congelar e armazenar o colostro. Porém, o procedimento precisa ser realizado de forma bastante criteriosa, para prevenir contaminações. Tomados os devidos cuidados, estes podem ser armazenados em sacos plásticos e descongelados por meio do uso de água morna. Desta forma, evita que os anticorpos sejam destruídos por conta das altas temperaturas.

Cura do umbigo. Após o nascimento dos bezerros o cordão umbilical se rompe e deixa de receber sangue, tornando-se um tecido morto. Contudo, antes de estar completamente seco, ele pode ser considerado uma rica fonte de nutrientes. Ou seja, essa região se torna alvo fácil de contaminações, já que é fonte de alimentação para bactérias indesejáveis. Assim, para que o manejo de bezerros de corte seja bem sucedido é preciso evitar essa contaminação, já que ao entrar em contato com o organismo do animal, provoca diversos problemas.
Assim, a cura é feita por meio da imersão do umbigo em tintura de iodo em concentrações que variam de 5% a 7%, durante pelo menos 5 dias, ou até que ocorra a queda do cordão umbilical. Por mais simples que pareça, o procedimento precisa ser realizado por um profissional capacitado, evitando cortar o umbigo e usar a mesma solução de iodo mais de uma vez.

Alimentação. Quem trabalha com pecuária de corte, já sabe que o manejo nutricional é fundamental em diversas fases da criação. No período da gestação da vaca, a alimentação influencia diretamente na formação do bezerro e, também, na qualidade do colostro. Assim, a saúde das crias está diretamente ligada à nutrição desde antes do parto, já que o colostro, por exemplo, precisa ser nutritivo e com altos níveis de anticorpos para proteger os filhotes. Dessa forma, é seguro afirmar que o manejo de bezerros de corte, principalmente no que trata de sua nutrição, começa na gestação. 

Com relação aos bezerros nascidos, quanto maior for o peso almejado na desmama, mais indicado é substituir a ração por um alimento que forneça mais energia. Um sistema muito utilizado é o de Creep Feeding, já que nele o bezerro fica menos dependente do leite materno. Independente do sistema, o importante é investir em uma alimentação de qualidade que garanta a saúde do rebanho.

LEMBRE-SE! Sem profissionais capacitados para executar os processos, o sucesso e a qualidade da produção ficam comprometidos.
 

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *