CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 29-07 a 04-08-2023

Aqui você encontra em notas as últimas e mais importantes notícias semanais do agronegócio nacional e internacional

Taxa de desemprego do Brasil cai a 8% no 2º tri

O Brasil encerrou o segundo trimestre com uma taxa de desemprego de 8,0%, abaixo do esperado e a mais fraca para o período em quase dez anos, em meio tanto ao forte recuo no número de empregados como aumento nos ocupados. O dado é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua do IBGE e ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de uma taxa de 8,2%.

RS declara estado de emergência zoossanitária

O Rio Grande do Sul declarou estado de emergência em saúde animal para enfrentamento da influenza aviária de alta patogenicidade. O Decreto 57.133/2023 foi publicado no Diário Oficial do Estado. A medida permite uma resposta mais rápida em casos de novos focos de gripe aviária, tendo em vista a confirmação de múltiplas ocorrências em outras unidades da federação. O Brasil soma 71 casos de gripe aviária de acordo com a plataforma do Ministério da Agricultura, Pecuária, e Abastecimento (MAPA), dedicada a apontar as detecções de influenza aviária. Deste total, dois deles foram em aves de fundo de quintal, um no Espírito Santo e outro em Santa Catarina.

Agência DBRS

Agência de classificação de risco eleva nota do Brasil

A agência de classificação de risco DBRS Morningstar elevou a nota de crédito de longo prazo do Brasil para BB, contra BB(low) anteriormente, tornando-se a segunda instituição de rating a melhorar a avaliação do país nesta última semana. Segundo a agência, essa melhora reflete principalmente a diminuição dos riscos negativos para as perspectivas fiscais, citando medidas do governo para aumentar as receitas e o avanço do arcabouço fiscal no Congresso. Mesmo que as metas de resultado primário almejadas no arcabouço não sejam atendidas de início, o novo quadro sinaliza que os resultados fiscais continuarão a melhorar durante o atual governo. A DBRS é a quarta maior agência de rating do mundo, atrás apenas de três instituições conhecidas no mercado financeiro como as “Big Three” (três grandes, em português): Standard & Poor’s (S&P), Moody’s Analytics e Fitch Ratings.

Japão concorda para regionalização de protocolo por município

Na semana passada, após a detecção de focos em aves de subsistência nos estados do Espírito Santo e Santa Catarina, o Japão decidiu suspender temporariamente as importações dos produtos oriundos destes estados, conforme prevê o protocolo japonês. Em missão do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) no Japão, o ministro Carlos Fávaro se reuniu com os ministros da Agricultura, Florestas e Pesca, Tetsuro Nomura, e da Saúde, Trabalho e Bem Estar, Katsunobu Katō, em Tóquio, para tratar especialmente sobre o protocolo de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (IAAP) para as exportações de produto para o país. O Brasil segue sendo um dos únicos do mundo a manter o status de livre da IAAP em granjas comerciais conforme o protocolo da Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA). Desta forma, as restrições de exportação dos produtos cárneos de frango e ovos ficam limitadas apenas aos municípios onde houver detecção de focos da gripe aviária e não mais o estado todo. A suspensão dura até o cumprimento do protocolo sanitário para que o mercado seja reaberto. O protocolo japonês, é necessário aguardar um prazo de 28 dias para enviar o relatório para a análise da autoridade sanitária japonesa a fim de que se possa retomar a exportação.

Diesel S-10 recua em julho

O preço médio do diesel S-10, o mais consumido no Brasil, caiu 1,5% nos postos do país em julho, para R$ 5,12 por litro, apontou um levantamento da Ticket Log. No caso do diesel comum, houve queda de 1,6% no mesmo período, a R$ 5,02 por litro.

Gado pastando

Japão ajudará Brasil a converter pastagens degradadas em áreas produtivas

A Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) se comprometeu a ajudar o governo brasileiro a estruturar um programa para a conversão de pastagens degradadas em áreas produtivas. Uma equipe da organização virá ao Brasil em agosto para se reunir com o Banco do Brasil, BNDES e Embrapa para juntos estruturarem e começarem a colocar no campo o projeto sustentável de aumento de produção brasileira.

Arábia Saudita em ação no Brasil

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) confirmou o interesse da Companhia Saudita de Investimento Agrícola e Pecuário (Salic) em participar do programa de produção sustentável de alimentos brasileiro. A instituição saudita irá criar e coordenar um segundo grupo para dar continuidade às tratativas no âmbito privado, identificando empresas sauditas interessadas na proposta. O projeto prevê a recuperação e conversão de até 40 milhões de hectares de pastagens, o que pode, praticamente, dobrar a área de produção de alimentos no Brasil sem desmatamento, contribuindo para a segurança alimentar do planeta e o controle das mudanças climáticas, com a redução da emissão de carbono. Também foi anunciado pelos sauditas a abertura do seu mercado para a exportação de caprinos brasileiros. Os estabelecimentos interessados devem buscar a habilitação junto ao Ministério da Agricultura brasileiro. Com essa abertura, o Brasil acumula 25 novos mercados para produtos da agropecuária desde o início deste ano.

Manifestação pede fim de abate de jumentos para China

A Frente Nacional de Defesa dos Jumentos fez uma manifestação pedindo o fim do abate de jumentos no Brasil. O ato aconteceu em 14 capitais. O objetivo do protesto foi pedir o fim da permissão concedida pelo governo federal e do governo do estado da Bahia para o abate desses animais. A manifestação apontou que os jumentos correm o risco de extinção devido à crescente demanda comercial do ejiao, um produto extraído do colágeno da pele do animal e utilizado como medicamento na China.

Putin e Dilma na cúpula Rússia-África em São Petesburgo
Putin e Dilma na cúpula Rússia-África em São Petesburgo

Brasil e Russia contra o dólar

Na abertura da cúpula Rússia-África, realizada em São Petersburgo, Dilma Rousseff, ex-presidente do Brasil e atual presidente do Novo Banco de Desenvolvimento dos Brics, fez um discurso enfatizando a importância de promover mudanças no sistema financeiro global. Ela defendeu veementemente o uso de moedas locais nas transações comerciais como uma medida para impulsionar o desenvolvimento econômico e facilitar as relações comerciais entre os países. Na ocasião, Dilma ainda declarou que o objetivo é captar recursos em diferentes mercados e moedas e financiar mais projetos em moedas locais, visando fortalecer os mercados de capitais e favorecer o investimento privado. Ela destacou a importância de proteger os países e os tomadores de empréstimos privados dos riscos de flutuação cambial. Além disso, a ex-presidente brasileira criticou políticas protecionistas, unilaterais e o uso de sanções com objetivos geopolíticos, destacando que esse tipo de ação vêm prejudicando, de modo especial, os países em desenvolvimento e os mercados emergentes e o uso de sanções para fins geopolíticos juntamente com as tentativas de estender a jurisdição interna de um só para fora de suas fronteiras agrava os problemas existentes. A presidente do banco se encontrou com o presidente russo Vladimir Putin e enfatizou o papel importante do banco dos Brics na formação de um mundo multipolar, defendendo a necessidade de captar recursos nos mercados dos países parceiros. Putin destacou que o dólar é usado como instrumento de luta política nas finanças globais e ressaltou a importância do desenvolvimento dos Brics, cujas relações estão evoluindo em moedas nacionais.

Balança comercial de julho tem maior superávit para o mês desde 1989

A balança comercial do Brasil apresentou um superávit de US$ 9,03 bilhões em julho, com exportações superando as importações. Valor representa um aumento de 68,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando o saldo positivo ficou em US$ 5,35 bilhões. Essa marca de 2023 foi a melhor já registrada para o mês de julho desde o início da série histórica em 1989, conforme Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). No acumulado do ano (janeiro a julho), o superávit atingiu US$ 54,1 bilhões, em comparação com US$ 39,61 bilhões no mesmo período de 2022. Aumento de 36,6% pela média diária.

Após três anos BC reduz Taxa Selic

O Banco Central anunciou na última quarta-feira uma redução de 0,50% na Selic, a 13,25% ao ano, em decisão que dividiu os membros de sua diretoria em 5 a 4, e sinalizou novos cortes equivalentes nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), após a primeira flexibilização na taxa básica de juros em três anos. Após meses de pressão de membros do governo para que o ciclo de baixa nos juros fosse iniciado, o BC disse que avaliou a alternativa de reduzir a taxa básica de juros em 0,25%, mas considerou ser apropriado adotar ritmo de queda mais intenso em função da melhora do quadro inflacionário.

Gráfico em ascendência com o mapa do Brasil em destaque

Investidores estão cada vez mais otimistas com economia brasileira

A revista britânica The Economist publicou reportagem apontando que seis meses após sua posse, os mercados estão aquecidos para o governo Lula. Segundo Robin Brooks, do Institute of International Finance em Washington, citado na reportagem, as pessoas definitivamente estão olhando para o Brasil agora de uma forma que não faziam nos últimos dez anos. Ainda segundo a reportagem, várias políticas do novo governo animaram os investidores. Muitos economistas creditam ao ministro da fazenda grande parte do otimismo. Duas grandes reformas podem colocar o Brasil em uma base mais estável. A Câmara dos Deputados aprovou emenda constitucional da reforma tributária que está em andamento há três décadas e deve aprovar uma nova estrutura fiscal para estabilizar as finanças públicas.

Pecuarista é condenado a pagar R$ 300 mil por trabalho escravo

A Justiça do Trabalho de Corumbá, MS, condenou um pecuarista a pagar R$ 300 mil por danos morais causados à sociedade devido à constatação de trabalho em condições análogas à escravidão em suas propriedades rurais. Durante uma inspeção no local, fotos registraram o ambiente insalubre em que um trabalhador e a esposa viviam. O pecuarista recrutou e supervisionou o casal, sem a realização de exames médicos admissionais/demissionais e sem registro em carteira de trabalho. Segundo a Justiça, o empregador foi considerado negligente e desrespeitoso com o trabalhador e a esposa, já que deixou o casal sem remuneração durante dois meses.

Polícia Federal prende empresário tido como o maior devastador da Amazônia

A Polícia Federal prendeu em flagrante, portando ouro e uma arma de fogo ilegal, em Novo Progresso, no Pará, o empresário Bruno Heller, acusado de ser o maior desmatador da Amazônia. A prisão foi realizada durante a Operação Retomada, que tem como alvo um esquema envolvendo invasões de terras públicas e desmatamento para fins de pecuária na floresta amazônica. Ele já havia recebido 11 notificações e teve 06 embargos impostos pelo Ibama. Também foi determinado o bloqueio de R$ 116 milhões, além do sequestro de veículos, de 16 fazendas e outros imóveis e a indisponibilidade de 10 mil cabeças de gado. A medida tem como objetivo garantir um valor mínimo para a recuperação de recursos florestais extraídos e da área atingida.

Agrotóxico

Ministério defende rever liberação exagerada de defensivos

O Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA) defendeu que a liberação de defensivos agrícolas feita no governo passado seja revista. A proposta ocorre em meio à tramitação do Projeto de Lei 1.459/2022 no Senado, que flexibiliza as regras para aprovação de defensivos agrícolas, estabelecendo um prazo máximo para registro, e regula a produção de bioinsumos no país. De acordo com dados do ministério, 652 produtos foram liberados no ano passado, sendo 609 registros genéricos. A pasta ainda defende a construção de uma política pública de bioinsumos e acesso aos insumos biológicos para a agricultura familiar.

Argentina dificulta escoamento fluvial do Brasil

O ato da Argentina de arestar um barco brasileiro para cobrar pedágio acabou dificultando escoamento fluvial via Rio da Prata. A cobrança de pedágio na hidrovia Paraguai-Paraná não só afeta as empresas de navegação, elevando o custo do transporte, como já está causando prejuízos às empresas e ao Brasil. Além disso, confronta os interesses de empresas do país vizinho instaladas ao longo do rio Paraguai, segundo a Associação Brasileira para o Desenvolvimento da Navegação Interior (Abani). Desde 1º de janeiro deste ano, a Argentina notificou a cobrança de pedágio de US$ 1,47 por tonelada para as embarcações que passarem pelo trecho, apesar das recusas dos demais países membros da Comissão do Acordo Aquaviário. A alguns dias, um navio de investimento brasileiro de bandeira paraguaia que tentava passar pela travessia foi detido pelas autoridades navais argentinas por falta de pagamento da taxa.

Linhas equalizáveis do BNDES para o Plano Safra se encerram no primeiro mês

Os recursos programados para financiamentos equalizados do Plano Safra 2023/24 de julho a setembro deste ano em sete linhas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já se esgotaram no primeiro mês da nova temporada, segundo o controle de saldos da instituição. Os programas, voltados à agricultura empresarial, estão suspensos temporariamente e deverão ser reabertos apenas em outubro, quando a instituição financeira receberá novo aporte de equalização do Tesouro Nacional. Outras 21 instituições financeiras receberam limites equalizáveis na safra 2023/24 e, segundo o Ministério da Fazenda, os produtores podem procurá-las para verificar se há saldos disponíveis nas linhas que estão suspensas no BNDES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *