CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 25 a 31-05-2024

Produtores de leite do RS pedem socorro

Os reflexos das enchentes crescem a cada dia sobre o setor produtivo no Rio Grande do Sul. Segundo a Confederação Nacional dos Municípios, os prejuízos no agronegócio já ultrapassam os 2,5 bilhões de reais. E ainda falta muito para contabilizar. Produtores de leite enviaram um documento para autoridades pedindo medidas emergenciais.

Programa pretende conter avanço da praga caruru-gigante

Através da Portaria SDA/MAPA Nº 1.119, de 20 de maio de 2024, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) instituiu o Programa Nacional de Prevenção e Controle da praga quarentenária presente Amaranthus palmeri, conhecida como caruru-palmeri ou caruru-gigante. O caruru-palmeri pode causar danos de 70% a 100% em culturas como soja, milho e algodão. A portaria estabelece medidas para conter a disseminação da praga, como levantamentos fitossanitários, restrições ao trânsito de máquinas e implementos em áreas afetadas e eliminação de plantas antes do florescimento. O programa prevê levantamentos fitossanitários anuais para detecção da praga em áreas ainda não afetadas e levantamentos de delimitação em caso de identificação de novos focos. A portaria também determina critérios para pesquisa científica e estudos de eficácia agronômica relacionados à praga. A praga, presente em oito municípios de Mato Grosso e dois de Mato Grosso do Sul, é considerada uma das plantas daninhas mais difíceis de controlar, devido à sua resistência a herbicidas e alta capacidade de adaptação.

Propriedade rural atingida pelas chuvas no município de Linha Nova, RS
Propriedade rural atingida pelas chuvas no município de Linha Nova, RS

Famílias podem receber fomento rural mais de uma vez

O comitê gestor do Programa Fomento às Atividades Produtivas Rurais autorizou que famílias que já cumpriram o ciclo e que se encontrem em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecida pela União poderão voltar a ser beneficiadas. O reingresso começará a valer a partir do dia 3 de junho. Desde maio de 2023, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) já havia regulado, por meio de portaria, a reinserção de beneficiários após o fim do ciclo, em casos de exceção condicionados à avaliação do comitê gestor. O programa tem ciclo com duração de até dois anos e oferece gratuitamente assistência técnica, social e recursos financeiros não reembolsáveis para estruturação ou ampliação de atividades produtivas. Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante. As famílias participantes recebem R$ 4,6 mil em duas parcelas, sendo a primeira após a elaboração de um projeto produtivo orientado por equipes técnicas do programa. E a segunda, após a estruturação das atividades produtivas que podem ser agrícolas, como criação de animais e plantação de horta, e não agrícolas, como a abertura de um comércio ou prestação de serviço. Durante todo o ciclo do programa, as famílias recebem visitas periódicas dos Serviços de Acompanhamento Familiar para Inclusão Social e Produtiva e de Assistência Técnica e Extensão Rural, para que tornem seus projetos fontes geradoras de renda que permitam a superação da pobreza com segurança alimentar e nutricional.

Brasil chega a 165 casos de gripe aviária

Até o fechamento desse post às 17:30 de hoje, o painel de dados para consulta on line disponibilizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) contabilizava 165 focos de influenza aviária de alta patogenicidade (H5N1), a gripe aviária, desde a primeira confirmação, ocorrida em 15 de maio de 2023. O mais recente caso de gripe aviária foi confirmado em 17 de maio e atingiu uma ave do tipo trinta-réis-de-bando (Thalasseus acuflavidus), em Linhares (ES). Do total de casos registrados no Brasil, três são em aves de subsistência, cinco em animais marinhos e os demais em aves silvestres. O Mapa informou ainda que está investigando cinco casos suspeitos da doença.

Rizicultores ajudam a escoar água de enchente no RS

Produtores de arroz e empresas do Rio Grande do Sul cederam novas bombas para auxiliar a drenagem de águas de enchente em cidades como Porto Alegre e Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos. Equipamentos cedidos por meio do projeto Drenar RS entraram em operação na região do Aeroporto de Porto Alegre. A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) mobilizou os produtores, empresas e técnicos a participar de forma voluntária e se unir no mutirão de ajuda. O objetivo é aumentar a capacidade de bombeamento para fora dos seus diques para que o tempo de drenagem seja reduzido de forma significativa, buscando beneficiar mais de 500 mil desalojados e reduzir o tempo de escoamento das cidades alagadas, por meio de mobilização voluntária de apoio às autoridades locais.

Ferrovia

SP tem plano para ampliar em 890 km a malha ferroviária

O governo de São Paulo, assinarou esta semana contrato de concessão para a construção do Trem Intercidades Eixo Norte, que ligará São Paulo a Campinas. Lançou também o o programa São Paulo nos Trilhos, iniciativa que engloba 13 projetos entre linhas de trem e de metrô, totalizando mais 890 Km na rede estadual. Para construir os novos trilhos, o investimento previsto é de R$ 130 bilhões apenas entre os nove projetos já inclusos no Programa de Parceria de Investimentos (PPI-SP). Além deles, estão em estudo três trens intercidades: São José dos Campos-Taubaté, Sorocaba-Campinas-Ribeirão Preto e Campinas-Araraquara, além da Linha 22-Marrom do Metrô, ligando São Paulo a Osasco e Cotia. O leilão vai acontecer ou no final deste ano ou no início do ano que vem.

Apreendido amendoim paraguaio com substância que pode causar câncer

A unidade regional do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) em Marília, no interior de São Paulo, acompanhou a devolução para a origem de uma carga de amendoim orgânico importado do Paraguai. O caso ocorreu no início de maio, mas foi divulgado nesta semana. De acordo com auditores fiscais que acompanharam a apreensão, a carga tinha índice de aflatoxina superior ao limite máximo permitido pela legislação brasileira para consumo humano. A aflatoxina é um tipo de micotoxina produzida por fungos do gênero Aspergillus, que pode estar presente no amendoim, outros grãos oleaginosos e nozes. Se consumida por seres humanos e animais pode causar efeitos cancerígenos.

Imagens por satélite serão testadas para mapear aquicultura no Brasil

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) planeja testar uma das mais avançadas tecnologias de imageamento por satélite. O teste será conduzido pela Embrapa Territorial como parte do acordo de cooperação técnico-científica para detecção automática de viveiros escavados para aquicultura. A aplicação está sendo desenvolvida pela empresa brasileira Concert Space e o satélite com a aplicação será colocado em órbita pela canadense Galaxia Mission Systems, por meio da Missão Möbius, prevista para 2025. A tecnologia poderá conferir ao mapeamento remoto da aquicultura maior agilidade na identificação das regiões produtoras no Brasil. A expectativa é que a nova tecnologia facilite a atualização anual dos viveiros escavados, não só para os municípios já mapeados pela equipe da Embrapa Territorial, mas para todos os municípios do Brasil.

Equipe fazendo inventário florestal na Mata Atlântica - Foto: Gisele Catelli, projeto NewFor
Equipe fazendo inventário florestal na Mata Atlântica – Foto: Gisele Catelli, projeto NewFor

Estudo propõe mudanças para simplificar legislação da Mata Atlântica

Um grupo de pesquisadores apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) observou que critérios fundamentais para definir se uma área de Mata Atlântica pode ou não ser suprimida por seus proprietários são pouco claros. Com isso, podem dar margem para o desmatamento legal de áreas que prestam importantes serviços ecossistêmicos. O grupo propõe mudanças que podem simplificar o processo de licenciamento para o proprietário, ao mesmo tempo em que tornam a política de conservação mais efetiva. Os pesquisadores propõem alterações na resolução do Conama seguida no Estado de São Paulo. Uma delas é separar os tipos de floresta (fitofisionomias), reconhecendo as diferenças naturais entre essas formações. A partir daí, estabelecer um diâmetro mínimo para as árvores a serem inventariadas. Outra proposta é definir uma área mínima de amostragem para determinar o estágio da floresta, como toda a área em locais com menos de meio hectare ou 1% da área em terrenos acima de 5 hectares, por exemplo. Hoje, uma área desse tamanho pode ser avaliada com apenas uma parcela de 10 metros quadrados, por exemplo.

Fazenda prepara linha de crédito bilionária para socorrer grandes empresas do RS

O governo federal anunciou linha de crédito voltada para grandes empresas afetadas pela tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul. O número ainda não está fechado, mas segundo integrantes do Ministério da Fazenda, poderá passar de R$ 15 bilhões. A ideia é atender a grandes empresas do setor industrial e do agronegócio, que não haviam sido contempladas nas primeiras medidas de crédito anunciadas pelo governo há 15 dias. O operador desses novos financiamentos será o BNDES, que receberá funding da União para oferecer taxas de juros abaixo das praticadas no mercado. Neste caso, não haverá garantia do Tesouro, uma vez que a avaliação da Fazenda é de que essas grandes empresas têm suporte de garantia e o auxílio será dado via redução do custo do financiamento. Será editada uma medida provisória para viabilizar a transferência de recursos para o BNDES e a despesa não será contabilizada para o cumprimento da meta de resultado primário. A equipe econômica espera com isso concluir a primeira etapa do auxílio a empresas e pessoas físicas atingidas pelas inundações no Rio Grande do Sul, tendo o controle sobre o custo das medidas de auxílio.

É preocupante o estado das pastagens no RS

De acordo com a Emater/RS-Ascar, em todo o Rio Grande do Sul, as condições dos campos nativos e das pastagens cultivadas estão gerando preocupações devido ao excesso de umidade. O solo encharcado está dificultando tanto a semeadura quanto o desenvolvimento das culturas em fase vegetativa. Embora as sobressemeaduras em campo nativo ou áreas perenes de verão tenham sido menos afetadas, seu crescimento vegetativo está sendo consideravelmente retardado devido à baixa radiação solar. Na região de Bagé, as pastagens implantadas em março e abril estão se beneficiando com a redução das chuvas e o retorno do sol, porém, o desenvolvimento ainda é lento devido à umidade elevada do solo. Em Alegrete, apesar da pouca oferta de massa verde, alguns produtores começaram a utilizar pastagens de inverno. Em outras regiões como Quaraí, Manoel Viana e Hulha Negra, estão sendo retomadas as atividades de semeadura e preparo das pastagens. Entretanto, áreas como Caxias do Sul e Erechim enfrentam desafios consideráveis. Em Caxias do Sul, os poucos dias de tempo bom afetaram o desenvolvimento das forrageiras, agravando o vazio forrageiro. Já em Erechim, os plantios recentemente realizados foram destruídos em sua maioria, exigindo nova semeadura. Na região de Frederico Westphalen, o cultivo de cereais de inverno para silagem ou pastejo sofreu danos significativos devido às fortes chuvas e escorrimento superficial. Em outras áreas como Ijuí, Passo Fundo e Pelotas, os altos volumes de chuva e o excesso de umidade no solo têm reduzido significativamente o desempenho das pastagens, interferindo no manejo dos animais. Em Porto Alegre e Santa Maria, o excesso de umidade tem gerado problemas de pastoreio e danos significativos às pastagens cultivadas de inverno, levando alguns produtores a iniciar o replantio. Em outras regiões como Santa Rosa, Soledade e Baixo Vale do Rio Pardo, as condições climáticas adversas estão limitando o crescimento pleno das pastagens, requerendo medidas como ressemeadura e recuperação após o excesso de chuvas e erosão do solo.

Ibiza Fiv Surreal
Ibiza Fiv Surreal

Vaca é a valorizada em R$ 6.480.000, segundo maior valor da história

A matriz Ibiza FIV Surreal, da raça Nelore Pintado, se tornou a segunda mais cara da raça no Brasil, sendo leiloada por um valor astronômico, evidenciando o quanto a beleza racial e produtividade da raça vem conquistando o mercado pecuário nacional. O remate ocorreu no 6º Leilão Nelore Ibiza 2024, em Patos de Minas (MG). O animal ocupa hoje o segundo lugar como animal mais valorizado da raça, ficando atrás apenas da matriz Idolatria FIV V3 (NEJA 1000), nascida em 18/06/2018 e filha do reprodutor Lacre FIV L. Cançado em matriz Trama da L. Cançado. Os 33% de suas cotas foram comercializadas durante a Expozebu 2024 por R$ 3.030.000,00 em 30 parcelas de R$ 101.000,00, gerando uma valorização de cerca de R$ 9.090.000,00, tornando-se o indivíduo mais valorizado da raça Nelore Pintado atualmente. A Ibiza FIV Surreal é filha do Banner FIV V3 na Feiticeira FIV V3, que é filha da Lambona L. Cançado. A matriz já tem produzido progênies campeãs. É o caso da Betina FIV Syagri – Campeã Novilha Menor Expozebu 2024 e Neru FIV Syagri – Campeão Júnior Menor Expozebu 2024 e Grande Campeão Expozebu 2024. A vaca pertencia a Ronivaldo Alves da Silva, conhecido como Roni Ibiza, proprietário da Nelore Ibiza, empresa dedicada ao melhoramento genético do Nelore Pintado.

Governo cria fundo garantidor para agropecuária do RS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cria os fundos garantidores para as atividades econômicas do Rio Grande do Sul, incluindo a agropecuária. Com a instalação do gabinete itinerante do MAPA no Rio Grande do Sul, outras medidas de crédito para reconstrução da agropecuária gaúcha serão discutidas. O fundo de aval, estruturado pelo governo para garantir operações de crédito de produtores rurais do Rio Grande do Sul, deve contar com um aporte em torno de R$ 2 bilhões a R$ 3 bilhões para compor o fundo. O mecanismo funcionará aos moldes do Fundo Garantidor de Operações (FGO), criado pelo governo durante a pandemia para avalizar empréstimos para micro e pequenas empresas no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

BB abre linhas de crédito de R$ 2 bi para agricultores do RS

O Banco do Brasil (BB) abriu cerca de R$ 2 bilhões em linhas emergenciais de crédito para agricultores do Rio Grande do Sul. As linhas têm subvenção econômica e recursos de equalização para reduzir os custos financeiros para os tomadores. São R$ 1,9 bilhão através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); do Pronaf Investimento (Mais Alimentos); do Crédito de Investimento em Sistemas de Exploração Extrativistas, de Produtos da Sociobiodiversidade, Energia Renovável e Sustentabilidade Ambiental (Pronaf Bioeconomia); e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp Investimento). Podem contratar as linhas agricultores familiares que se enquadram no Pronaf, médios produtores enquadrados no Pronamp e que tiveram perdas ou danos a partir de 30% do valor da estrutura produtiva.

Sacaria de arroz

Arroz importado deve chegar aos supermercados em até 40 dias

Com a autorização para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) comprar até 300 mil toneladas de arroz beneficiado importado, publicada nesta semana pelo Governo Federal, o produto deve chegar às gôndolas dos supermercados em até 40 dias. O estado do Rio Grande do Sul é responsável por 70% de toda a produção de arroz do Brasil, que chega a mais de 10 milhões de toneladas. A medida vai evitar a especulação nos preços e garantir a distribuição do produto para todo o país.

Ministério desmente notícia de que arroz importado seria de plástico ou contaminado

O Ministério da Agricultura (Mapa) desmentiu, em nota, uma notícia falsa de que o arroz importado está contaminado ou é de plástico. Segundo a pasta, as alegações são mentirosas. O Ministério da Agricultura fiscaliza alimentos que entram no país e o edital da Conab especifica tipo de arroz a ser adquirido, lembrando que a autorização do governo para a importação de até 1 milhão de toneladas de cereal beneficiado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) pretende garantir o abastecimento alimentar em todo o território nacional, que poderia ser comprometido pelos impactos das enchentes à produção gaúcha.

São Paulo libera linha de crédito para a citricultura paulista

O Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, lançou mais uma medida de apoio à citricultura no estado. O Projeto FEAP “Combate ao Greening” tem como objetivo apoiar os produtores de citros na adoção de medidas preventivas e de controle, para conter a disseminação da doença que afeta os pomares. O greening é a maior ameaça à produção de citros no país e no mundo. As condições da linha são vantajosas ao citricultor paulista, com 300 mil reais disponíveis por produtor, até 96 meses para pagar, carência de 36 meses e juros a partir de 3% ao ano. Para acesso à linha, o produtor deve buscar a Casa de Agricultura de seu município.

Goodnight Olive na Noite das Estrelas
Goodnight Olive na Noite das Estrelas

Grande campeã Puro-Sangue é vendida por R$ 30,3 milhões

A venda de uma grande campeã Puro-Sangue por R$ 30,3 milhões em um leilão promocional sacudiu o mundo das corridas de cavalos e capturou a imaginação de entusiastas em todo o mundo. A égua Goodnight Olive de seis anos deixou uma marca inegável nas pistas de corrida durante sua carreira estelar. Goodnight Olive, nascida em 2018 em Kentucky, EUA, é filha do lendário Ghostzapper e da égua Salty Strike, descendente do igualmente renomado Smart Strike. Desde cedo, seu potencial era evidente, e ela rapidamente se destacou como uma das promessas mais brilhantes do mundo das corridas. Olive acumulou uma lista impressionante de conquistas ao longo de sua carreira. O remate estabeleceu um novo recorde e reflete o valor único e a importância dessa égua para a indústria das corridas de cavalos.

Aprovado projeto que isenta agricultores do IPI na compra de trator

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2618/23, que isenta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) os bens de uso agrícola para os cadastrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Dessa forma, o projeto que isenta agricultores familiares do IPI valerá para veículos de carga, máquinas e equipamentos. Exceto nos casos de destruição completa, furto ou roubo, o benefício poderá ser usado uma única vez a cada três anos.

DNIT destruiu aldeia Guarani enquanto indígenas se refugiavam da enchente no RS

Assim como mais de meio milhão de gaúchos, os indígenas da aldeia Pekuruty, no município de Eldorado do Sul, Região Metropolitana de Porto Alegre, tiveram de abandonar suas moradias no início de maio devido às enchentes que assolam o Rio Grande do Sul. A comunidade Guarani fica às margens da BR-290, bem no ponto em que o Arroio Divisa corta a rodovia. O aumento súbito do nível da água fez a estrada ceder, ao mesmo tempo em que obrigou os cerca de 40 indígenas a se refugiarem em um abrigo na sede do município. No dia seguinte, a aldeia seria colocada abaixo por máquinas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), em meio às obras para restabelecer o tráfego na rodovia. Desde 2013, está em curso uma negociação entre o DNIT e os Guarani para a remoção da comunidade, abrindo caminho para a duplicação da BR-290, importante rodovia que corta o Rio Grande do Sul de leste a oeste. O órgão informou que a destruição da aldeia foi uma atuação emergencial para que se pudesse devolver o quanto antes a trafegabilidade no km 132 da BR-290/RS, garantindo o acesso de assistência humanitária às áreas afetadas. Segundo o DNIT, os indígenas serão realocados em um terreno de 300 hectares a ser adquirido pelo departamento, conforme previsto no Plano Básico Ambiental do Componente Indígena da obra de duplicação da rodovia. O órgão não informou quando esse terreno será disponibilizado. Queremos ouvir o Ministério dos Povos Indígenas e a Funai. O canal está aberto.

Relatório Anual do Desmatamento (RAD) do MapBiomas

Área desmatada no Brasil cai 11,6%. O Cerrado é exceção

Mais da metade de toda a área desmatada no Brasil em 2023 está localizada no cerrado, apontou o Relatório Anual do Desmatamento (RAD) do MapBiomas. Pela primeira vez desde o início da série histórica, em 2019, o cerrado ultrapassou a amazônia em termos de área desmatada. Quase todo o desmatamento do país (97%), nos últimos cinco anos, teve a expansão agropecuária como vetor, destacou o relatório. O levantamento mostrou que, nos últimos cinco anos, o Brasil perdeu 8.558.237 hectares de vegetação nativa, o equivalente a duas vezes o estado do Rio de Janeiro. No entanto, em 2023, houve uma queda de 11,6% na área desmatada: ao todo, 1.829.597 hectares de vegetação nativa foram suprimidos em 2023. Em 2022, esse total foi de 2.069.695 hectares. Essa redução se deu apesar de um aumento de 8,7% no número de alertas, na mesma comparação. O MapBiomas ressalta que os dados apontam a primeira queda do desmatamento no Brasil desde 2019, quando se iniciou a publicação do RAD. Por outro lado, a avaliação é de que a cara do desmatamento está mudando, se concentrando nos biomas onde predominam formações savânicas e campestres e diminuindo nas formações florestais. O cerrado já perdeu mais da metade de sua vegetação nativa, passando a ser o protagonista do desmatamento no país, o que desperta preocupação.

No RS, Mapa monitora a atuação das seguradoras habilitadas no PSR

Desde o início dos eventos climáticos extremos que afetaram o Rio Grande do Sul no final de abril, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) está monitorando a atuação das seguradoras habilitadas no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). Do total de 16 mil apólices comercializadas para as principais culturas de verão (arroz, milho e soja), cerca de 3 mil estão com aviso de sinistro até o momento. O acompanhamento é importante para se ter um panorama das consequências nas lavouras seguradas. A preocupação, neste momento, é que o produtor que contratou o seguro seja atendido da melhor maneira possível. De acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (Fenseg), as seguradoras que operam no ramo de seguro rural vêm adotando procedimentos emergenciais e reforçando sua estrutura de atendimento regional para oferecer adequada assistência aos segurados no RS, ressaltando ainda que a situação real não está completamente definida, pois muitos segurados, até este momento, não comunicaram a ocorrência dos sinistros. A dificuldade de comunicação, comprovação e apuração também está sendo afetada pela impossibilidade de vistorias e pelo extravio de documentos. No entanto, a entidade destaca que, para as comunicações recebidas, as seguradoras estão enviando peritos para regular os sinistros a campo.