CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Manchetes da semana - 13 a 19-01-2024

Produção de uvas e vinhos gaúchos é afetada pela instabilidade climática

O clima instável, que já afetou várias culturas no país, não está poupando a uva e o vinho nacional. A produção de uvas no Rio Grande do Sul, o maior produtor de vinho do Brasil, deve cair este ano, afetando a fabricação da bebida, e a culpa é toda das instabilidades climáticas registradas no último ano, agravadas pelo fenômeno El Niño. A situação está deixando todo mundo desanimado. O setor projeta uma redução de colheita entre 30% e 40%.

Safra brasileira de milho ameaçada

O aumento dos custos de insumos e estreita janela para plantio de milho prejudicarão a safra brasileira de milho em 2023/24, que pode viver um “apagão” neste ciclo. Em Santa Catarina, as perdas de produção foram avaliadas na ordem de 15% em relação à safra do ano passado para as culturas da soja e do milho, percentual semelhante àquele observado em outras áreas do país. Além das perdas ocasionadas, há um problema de janela de plantio. Em consequência desse encurtamento da janela, há dúvida sobre o tamanho da safra brasileira do cereal. Os custos apresentados para o plantio da safra requerem uma colheita acima de 100 sacos por hectare de média e com preços superiores a R$ 70,00 a saca. O preço gira hoje em torno de R$ 50,00.

Pamonha ganha data comemorativa em Goiás

O estado de Goiás, conhecido por sua rica tradição culinária, adiciona mais um capítulo ao seu repertório gastronômico com a instituição do Dia Estadual da Pamonha Goiana. Foi sancionada a Lei nº 22.535, dedicando o dia 3 de fevereiro a homenagear essa iguaria que há gerações conecta as pessoas às tradições agrícolas e culturais do estado. A lei aprovada estabelece não apenas o Dia Estadual da Pamonha Goiana, mas também o Festival da Pamonha Goiana no estado. Este evento tem como propósito celebrar o início da colheita da safra de milho, componente essencial para a produção dessa delícia local.

Fundo Amazônia

Fundo Clima do Brasil pode chegar a US$4 bi em recursos, Fundo Amazônia a R$6 bi

O Fundo Clima do governo brasileiro pode saltar dos 2 bilhões de dólares em recursos atuais para 4 bilhões de dólares com um aporte do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento. O Fundo Amazônia, voltado para ações de proteção da floresta, deverá chegar ao patamar de 6 bilhões de reais em recursos para investimentos de base sustentável. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o Brasil tem atraído interesse de investidores e filantropos de todo o mundo e está preparado para receber esses recursos tendo feito seu “dever de casa” e esses investimentos devem ser liderados pelos países ricos, de acordo com o conceito de responsabilidades compartilhadas, mas proporcionais nos esforços para combater a mudança do clima, que leva em conta que os países tiveram maior contribuição histórica na emissão de gases do efeito estufa causadores do aquecimento global.

Auditores agropecuários decidem iniciar mobilização pela reestruturação da carreira

A partir da próxima segunda-feira (22), os auditores fiscais federais agropecuários vão iniciar uma mobilização em prol da reestruturação da carreira. A paralisação foi aprovada por 93% dos servidores da carreira. Em comunicado, o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa) destaca que, com a medida, a liberação de certificados e mercadorias em portos vai respeitar o último dia de prazo previsto em normas do Ministério da Agricultura (Mapa), e que os auditores não vão cumprir horas extras não remuneradas.

Mais de 214,9 milhões árvores foram vistoriadas em SP para detectar presença de greening

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo inspecionou 214,9 milhões de plantas com o objetivo de detectar a presença de greening, conhecida praga agrícola da cultura. Do total de plantas inspecionadas, mais de dois milhões eram assintomáticas para o greening. O prazo para entrega de relatório sobre a doença encerrou-se no último dia 15 de janeiro. Segundo a secretaria, 96,6% dos produtores do estado já informaram os resultados das vistorias realizadas em seus pomares durante o 2° semestre de 2023. Ao todo, foram entregues 10.330 relatórios. Em nota, a secretaria disse que a Defesa Agropecuária do Estado irá acionar os inadimplentes para regularizarem a situação de sua propriedade.

Carne de laboratório liberada em Israel

Israel é o primeiro país a liberar carne bovina de laboratório

O governo de Israel aprovou nesta semana a liberação para comercialização e consumo da carne bovina cultivada em laboratório desenvolvida pela Aleph Farms, uma startup israelense que utiliza células de vacas para “imprimir” seu produto. O primeiro lançamento será o “Petit Steak”, um bife cultivado a partir de células de animais Angus premium. Segundo a startup, a carne terá preços semelhantes aos da carne bovina premium convencional. A carne é um composto de óvulos fertilizados de uma vaca Angus preta premium com uma “matriz” de proteína vegetal feita de soja e trigo. A Aleph Farms já tem acordo com a BRF para distribuir a carne bovina de laboratório no Brasil. Até o momento, a empresa solicitou autorização para venda da carne bovina cultivada em Cingapura, Suíça, Reino Unido e nos Estados Unidos.

Banco do Brasil desembolsou R$ 195 bilhões de crédito rural em 2023

O Banco do Brasil alcançou o maior desembolso de crédito rural da história em 2023. Foram liberados R$ 195 bilhões de janeiro a dezembro do ano passado, período que abarca a metade das safras 2022/23 e 2023/24. Foram mais de 612 mil operações, aumento de 8,4% em relação ao registrado em 2022. Do total desembolsado, R$ 22 bilhões foram destinados à agricultura familiar por meio do Pronaf. Em nota, o banco disse que o resultado recorde foi impulsionado pelo foco de atuação da rede de agências e dos parceiros agro, além dos canais digitais de contratação.

Agricultores familiares de Minas têm gratuidade na certificação

Em Minas Gerais, pequenos produtores já entenderam que a busca por alimentos com garantias de boas práticas de produção e sustentabilidade é o caminho para alcançar mercados mais exigentes, e estão se adequando para conseguir o selo de certificação emitido pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). O serviço é gratuito para agricultores familiares. Na certificação, além de aspectos higiênico-sanitários, a ênfase recai sobre a rastreabilidade e a sustentabilidade dos processos produtivos. Mais da metade das normas de certificação exigidas pelo IMA estão relacionadas às questões de meio ambiente, como a conservação do solo, ar e água, e também questões de responsabilidade social, como direitos dos trabalhadores e a ausência de trabalho escravo e infantil. Mais informações sobre todo o processo podem ser acessadas CLICANDO AQUI.

Sintomas do dengue

Brasil teve mais de 1,6 milhão de casos de dengue em 2023

O aumento da temperatura e o acúmulo de água da chuva no verão favorecem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, principal transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Os dados do ano passado, do Ministério da Saúde, apontam crescimento no número de casos de dengue, representando um possível novo pico de infecções. Segundo o ministério, houve aumento de 16,8% dos casos prováveis de dengue no país em 2023, com mais de 1,6 milhão de notificações. Em 2024, o caminho para desacelerar o aumento de casos é a conscientização da população. O controle do mosquito deve ser contínuo, mesmo no inverno, porque os ovos podem sobreviver durante essa estação e retomar o desenvolvimento na primavera. Eles possuem a capacidade de permanecerem ativos por até um ano, mesmo em água suja ou em ambientes secos.

Mais ricos estão concentrando cada vez mais renda no Brasil

Pesquisa publicada no Observatório de Política Fiscal do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) com base no imposto de renda mostra que os mais ricos estão concentrando cada vez mais renda no Brasil. Entre as evidências mais importantes da análise, destaca-se no período recente o crescimento da renda dos muito ricos a um ritmo duas a três vezes maior do que a média registrada por 95% dos brasileiros. Observa-se a elevação do nível de concentração de renda no topo da pirâmide para um novo recorde histórico, depois de uma década de relativa estabilidade da desigualdade. Enquanto a maioria da população adulta teve um crescimento nominal médio de 33% em sua renda no período de cinco anos, marcado pela pandemia, a variação registrada pelos mais ricos foi de 51%, 67% e 87% nos estratos mais seletos. Entre os 15 mil milionários que compõe o 0,01% mais rico, o crescimento foi ainda maior: 96%.

Os protestos dos agricultores alemães continuam

os agricultores alemães continuaram com os protestos planejados em resposta à proposta do governo federal de reduzir os subsídios ao setor agrícola. O centro das cidades, incluindo Berlim, Hamburgo, Colônia e Bremen, foi bloqueado por centenas de tratores, enquanto grandes comboios de veículos agrícolas interromperam o tráfego em rodovias principais em diversos lugares, afetando a maioria dos 16 estados do país. Mesmo tendo o governo ter apresentado muitas concessões, a revolta dos agricultores persiste. Muitos no setor argumentam que mesmo o plano revisado do governo tornará a sobrevivência dos agricultores ainda mais difícil, comprometendo, em última análise, a viabilidade futura da produção nacional de alimentos. Grupos agrícolas indicaram que os protestos continuarão até que as alterações propostas sejam completamente revertidas.

Reforma agrária

Bahia terá dois novos assentamentos para 150 famílias através de reforma agrária

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) divulgou, por meio do Diário Oficial da União (DOU), a criação de dois novos assentamentos na Bahia, totalizando 8,1 mil hectares destinados ao assentamento de 150 famílias de agricultores. As portarias publicadas autorizam também a abertura do processo seletivo para preenchimento das vagas disponíveis. Os assentamentos, denominados Dom José Rodrigues e Santa Luzia I, estão localizados estrategicamente em áreas de reforma agrária nos municípios de Campo Alegre de Lourdes e Pilão Arcado, na região do Sertão do São Francisco, e entre os municípios de Santa Inês e Cravolândia, no Vale do Jiquiriçá, respectivamente. Essa iniciativa foi muito importante para os trabalhadores rurais que há muito tempo buscam a garantia do direito à terra.

CEPEA e ESALQ-USP realizam pesquisa de população de equídeos no Brasil

O projeto de pesquisa iniciado essa semana visa levantar os dados da população de equídeos do Brasil. O levantamento, desenvolvido pelo grupo de extensão Equonomia da ESALQ-USP visa realizar um levantamento mais acurado sobre a população brasileira de equinos, visando assim fornecer informações mais atualizadas, sobre a quantidade e distribuição dos animais, para os diferentes agentes desse setor que tanto cresce. De acordo som os pesquisadores, foi constatado uma falha no número de equídeos no Brasil, o que dificulta em diversos fatores, inclusive sanitário, desse setor. Para participar desse levantamento, foi disponibilizado um questionário que pode ser acessado CLICANDO AQUI.

Produção de café do país deve ser 5,5% maior

A safra brasileira de café em 2024 deverá se confirmar como ano de bienalidade positiva, com produção estimada de 58,08 milhões de sacas de café beneficiado, 5,5% superior à produção de 2023. No primeiro levantamento do ano realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estatal ressalta que as safras de 2021 e 2022, devido às adversidades climáticas, tiveram baixas produtividades, o que modificou a tendência de crescimento que se verificava na série de produção. Mas em 2023, com as condições climáticas mais favoráveis, iniciou-se a fase de recuperação das produtividades. Nos ciclos de bienalidade negativa, os produtores costumam realizar tratos culturais mais intensos nas lavouras, promovendo algum tipo de manejo em campos que só entrarão em produção nos próximos anos. Para a produtividade média nacional de café, a primeira estimativa indica um volume de 30,3 sacas por hectare, cerca de 3% maior em relação à safra anterior. A produtividade do café arábica está estimada em 26,7 sacas/ha, com aumento de 2% em relação à safra de 2023, e a do café conilon em 44,3 sacas/ha, 6,2% acima da safra anterior.