CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Turismo e Lazer

Equinocultura – Casqueamento: atenção sempre!

Ferrageador trabalhando com a grosa o casco de um cavalo
Os cascos crescem constantemente como as unhas dos seres humanos, assim necessitando de atenção constante
 
O casco é a base da sustentação do peso do animal, interfere na saúde das articulações e tendões, na qualidade da locomoção e no desempenho durante o trabalho.

O corte dos cascos serve para manutenção dos órgãos locomotores e auxilia no tratamento de doenças. Animais que permanecem soltos em grandes extensões de campo exigem manutenção menos significativa, pois acabam gastando mais os cascos.
 
Já com os animais estabulados, o processo requer uma manutenção mais regular, recomendando-se o casqueamento em períodos 30 a 40 dias, e a limpeza dos cascos diária.
 
O casco por estar em contato direto com o solo acaba absorvendo muita umidade, principalmente em animais estabulados, podendo desenvolver doenças e o acúmulo de sujeira ocasiona um grande desconforto para o animal.

Doenças nos cascos

Rachadura: A rachadura acontece devido à falta de manutenção nos cascos, como a limpeza e o casqueamento.
Broca: A broca é uma bactéria que se aloja no casco dos animais devido ao excesso de umidade.
Laminite: É uma doença causada por dois motivos: excesso de trabalho em superfície dura, onde se aumenta muito o fluxo sanguíneo dos cascos, ou pela nutrição inadequada.

O ferrageamento é a aplicação de uma lâmina de ferro (ferradura, presa por meio de cravos), na borda da parede do casco, com o objetivo de proteger, curar ou corrigir o aprumo do pé dos equinos. Mas este é assunto para outro dia…

O adequado tratamento dos cascos nos equinos pode ser um dos fatores determinantes para o desempenho correto das funções em que esse animal é destinado. Casqueamentos e ferrageamentos bem feitos resultam em melhores condições de locomoção e sustentação dos animais.
 
Não esqueça de fornecer uma alimentação adequada e cuidar com regularidade da saúde geral do seu animal.

Leia também:
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *