Cavalo Crioulo - Raça forte forjada nos campos do Sul

No cafezal - Óleo sobre tela - Georgina de Albuquerque - 1930 - Nota - na pintura original à direita tem um homem parado, talvez um capataz, sem fazer nada, acompanhando ou supervisionando o trabalho das mulheres. Mostra exatamente a submissão das mulheres ao homem em épocas remotas. Mostrar a força das mulheres que a pintura também transmite é o mais importante para ilustrar o tema relacionado à matéria.
Características tipicamente femininas como capacidade de liderança e facilidade na tomada de decisão fazem das mulheres gestoras eficientes como o agronegócio precisa
 
A figura da mulher na gestão do negócio tem se tornado mais comum e até mesmo requerida por algumas empresas, uma vez que a mulher possui atributos únicos que a coloca em destaque para funções que demandam visão detalhista, atenção e organização.

Dados das mulheres na gestão do agro

Um trabalho em conjunto entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Embrapa e o IBGE, mostra que quase 1 milhão de mulheres são responsáveis pela gestão de propriedades rurais.

A pesquisa também aponta que juntas elas administram cerca de 30 milhões de hectares, cerca de 8,4% da área total ocupada pelos estabelecimentos rurais no país.

Dos mais de 5 milhões de estabelecimentos rurais identificados no Censo Agropecuário de 2017, 19% têm mulheres como proprietárias, um crescimento de mais de 6% em relação ao censo agropecuário de 2006.
 
De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), houve um aumento de 21% no número de mulheres que ocupam cargos de decisão nas empresas do setor entre os anos de 2013 e 2017.

Por outro lado…

Os estudos apontaram que apenas 9,6% das mulheres do agro obtêm informações técnicas através de reuniões técnicas ou seminários, enquanto entre os homens, a porcentagem é de 14,3%.

No que se refere à participação em atividades associativas, como cooperativas, apenas 5,3% são cooperadas, enquanto 12,8% dos homens participam de algum tipo de associação.

Segundo o Centro de Estudos do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV Agro), em 2017, as mulheres do agro receberam cerca de 78,3% do que é pago aos homens dentro do setor.

Visão de mulher na gestão empresarial

Um exemplo claro de mulher do agro que atua na gestão de um negócio, é a carreira de Ângela Joana Schmidtel Klein, que é graduada em Ciências Contábeis e Pós-Graduada em Gestão de Finanças Empresariais. Há 10 anos, Ângela integra o quadro de colaboradores da empresa Roos e, atualmente, é Gestora de Controladoria da empresa.

Sobre sua área de atuação, a gestora relata que quando entrou na empresa, percebeu que as mudanças que estavam ocorrendo na área contábil seriam uma bela oportunidade de realizar um trabalho diferente na empresa. Hoje, ela se reúne mensalmente com a direção da empresa para falar de gestão, resultados e estratégias.
 
Assim como ela, inúmeras outras mulheres do agro têm conquistado uma ascensão no mercado decorrente de um processo de mudança cultural dentro das próprias empresas, trazido com a evolução das forças de trabalho e, principalmente porque há investimentos na educação, na busca de conhecimento e na atualização em relação às tendências de mercado.

Visão de mulher gestora de propriedade rural

No âmbito das propriedades rurais, as mulheres também têm assumido o papel de gestoras dos negócios. Muitas jovens têm se interessado pela sucessão familiar. Muitas esposas buscam acompanhar mais de perto o negócio e acabam assumindo parte das funções. E, em alguns casos, as esposas precisam assumir todos os aspectos do negócio da família na ausência do marido.

Desafios e oportunidades

As mulheres que atuam na gestão enfrentam inúmeros desafios e oportunidades assim como em qualquer outro setor dentro do agronegócio. Um dos maiores desafios é conseguir ser ouvida, principalmente por estar lidando com um universo que era basicamente masculino.

Mas muitas também são as oportunidades para as mulheres que gostam, entendem e desejam atuar na gestão do agro.

Incentivos para as mulheres assumirem a gestão

Mas como as empresas e propriedades podem gerar incentivo e motivação para essas mulheres assumirem cargos de gestão? A capacitação, a promoção de oportunidades para que a mulher tenha voz dentro do negócio, o incentivo ao desenvolvimento de lideranças, tudo isso integra um plano maior que deve ser trabalhado dentro das empresas e propriedades rurais a fim de promover a inclusão e alinhamento da equipe de trabalho com um objetivo comum.

Fonte: Agromulher – Baseado no texto de Marluce Corrêa Ribeiro

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.