CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Sem categoria

MAPA autoriza primeiro produto biológico para controle da ferrugem na soja

Folhas da soja com sintomas da ferrugem asiática
Comparado com outros produtos, pode promover um incremento de produtividade em 18%
 
Formulado à base da bactéria Bacillus subtilis, o Bio Imune é o primeiro produto biológico autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para o controle da doença causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi.

De acordo o Grupo Vittia, responsável pelo produto, além da proteção contra o patógeno, o Bio Imune auxilia no desenvolvimento da soja, podendo promover um incremento de produtividade em 18% quando comparado com os produtos já existentes no mercado.

Desde 2017, o produto está no mercado e já tem registro como defensivo biológico para outras doze doenças, no entanto, ele passa a ser o único registrado para ferrugem da soja.
 
Segundo o fabricante, o grande diferencial e a inovação é não só proporcionar proteção como também produtividade por conta dos mecanismos de ação que ele promove na planta, sem contar que ele é pouco tóxico ao meio ambiente, garantindo uma segurança tanto ao aplicador quanto no alimento que vai ser consumido.

Aplicação

A aplicação do produto é foliar, feita uma vez na fase vegetativa (V5) e outra na fase reprodutiva da soja (até o enchimento de grãos). A formulação líquida facilita a aplicação, que é similar ao que o produtor já faz com fungicidas convencionais para a ferrugem.

O fabricante ainda afirma que não há incompatibilidade com outros produtos, seja inseticida, fungicida, fontes nutricionais e herbicidas, mas orienta, por precaução, que o produtor observe a tabela de compatibilidade disponibilizada pela equipe de campo ou parceiros distribuidores.
 
Atualmente, a ferrugem asiática da soja é considerada uma das principais doenças da cultura por ser encontrada em quase todas as regiões do país e por seu potencial de dano. O fungo causador desta doença provoca a desfolha precoce, interferindo na formação das vagens e enchimento de grãos e, como consequência, reduzindo a produtividade da lavoura. 

Leia também:
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *