CAMPO -  A importância dos trabalhadores rurais brasileiros

Turismo e Lazer

BlogFauna RuraltecTV – Onça pintada

Onça pintada (Panthera onca)
Também conhecida como onça pintada, jaguar ou onça-preta (no caso dos indivíduos melânicos), mede da cabeça a ponta da cauda cerca de 2,70 m e pode pesar até 160 Kg, é o maior felino das Américas e o terceiro maior do mundo, só perdendo para o Tigre e o Leão.

A onça-pintada faz parte da mitologia de diversas culturas indígenas americanas, incluindo as dos maias, astecas e guaranis e a sua caça ainda é uma atividade carregada de simbolismo, principalmente entre os pantaneiros. Pelo fato de estar no topo da cadeia alimentar e necessitar de grandes áreas preservadas para sobreviver, esse animal ao mesmo tempo temido e admirado que habita o imaginário das pessoas é um indicador de qualidade ambiental. A ocorrência desses felinos em uma região indica que ele ainda oferece boas condições que permitam a sua sobrevivência. Devido à predação do gado, a onça acaba sendo vista pelos fazendeiros como uma ameaça.

ONÇA (Panthera onca)
Características – A pelagem é amarelo-ruiva, com 5 séries de rosetas pretas nos lados (estas rosetas são equivalentes a nossas digitais, ou seja, exclusivas para cada indivíduo). Em parte, essas rosetas têm no centro uma pequena mancha preta, outras sendo irregulares, sendo nas extremidades e, principalmente, na face, são substituídas por manchas de vários tamanhos. A cauda tem anéis pretos e a ponta também é preta.
Possui mandíbulas fortes e são os únicos felinos que matam suas presas perfurando o crânio com os caninos, podendo até rachar cascos de tartaruga.

Existe uma variação melanínica de onça que é conhecida como onça preta e em tupi-guarani recebe o nome de jaraguá-pichuna. Como o nome já diz, ela tem o corpo todo preto, resultado da grande concentração do pigmento melanina na pele, mas mantêm as mesmas pintas em seu pelo. Porém não é outra espécie. Pela sua raridade, a onça-preta é um animal que desperta grande procura por parte dos zoológicos de todo mundo.
Durante muito tempo quiseram alguns zoólogos classificar esse animal como uma nova espécie. Um grave erro, visto que a onça-preta pode nascer no meio de uma ninhada de “pintadas”, bem como de um cruzamento de onças-pretas pode nascer uma onça-pintada. Pode viver até 22 anos.
Habitat – campos e florestas
Ocorrência – América do Norte (Arizona, Texas e Novo México) e América do Sul até a Patagônia.
Hábitos – a onça é um animal solitário e os casais se encontram apenas na época do cruzamento. Se sai muito bem na água, onde pesca e caça até jacarés. Trepa em árvores com a mesma facilidade com que atravessa os maiores rios. Excelente saltadora, tanto em altura quanto em distância. Prefere caçar ao crepúsculo, carregando a caça para algum esconderijo. É um animal territorial. Necessita ocupar um território de 10 a 40 km², variando de acordo com a disponibilidade de alimento e com cada ecossistema.
 
Alimentação – espécie carnívora, compreendendo mamíferos, aves, répteis e peixes, tendo certa preferência por capivaras e jacarés. A cada sete tentativas a onça consegue capturar uma presa. A onça preda 85 espécies animais diferentes e está no topo da cadeia alimentar.
Reprodução – atinge a maturidade sexual aos 3 anos e a gestação dura de 90 a 105 dias, nascendo 1 a 3 oncinhas, que mamam durante dois meses e acompanham a mãe até o final do primeiro ano de vida, enquanto estão aprendendo a caçar, subir em árvores, nadar e enfrentar inimigos ou presas.
Ameaças – espécie ameaçada de extinção pela caça indiscriminada, principalmente pela procura de sua pele e destruição de seu habitat.
Leia também: